Seguir o O MINHO

Futebol

“Desejo a melhor sorte do mundo ao Silas, espero que as coisas se resolvam”

Declarações de João Pedro Sousa

em

Foto: Divulgação

Declarações dos treinadores do Famalicão e do Sporting, João Pedro Sousa e Jorge Silas, no final da partida da 23.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que os famalicenses venceram por 3-1:

João Pedro Sousa (treinador do Famalicão): “Foi muito tempo sem ganhar. Penso que o segredo tem que ver com a paciência e o acreditar no nosso trabalho e na nossa forma de jogar, porque não abdicamos dela.

Tivemos dissabores, mas não deixámos de acreditar. Entrámos no jogo assim, traçámos um plano com os jogadores que tínhamos disponíveis, mudámos ligeiramente a nossa forma posicional, mas os jogadores cumpriram o plano. A nossa vitoria é justa.

[sobre saída de Silas] São situações normais no futebol, mas sobre os negócios dos outros não me quero pronunciar. Desejo a melhor sorte do mundo ao Silas, espero que as coisas se resolvam.

Esse ruído do que se passou no Sporting passou-nos um pouco lado. Estávamos focados no nosso trabalhamos, porque também não estávamos confortáveis com a nossa fase. Não nos distraímos com o ruído dos outros.

[Sobre lutar por outros objetivos] Sempre disse que não ia fugir à questão, nem a objetivos que podemos lutar. O balneário é ambicioso.

Sabemos que na luta pela Europa há equipas melhor apetrechadas e nós chegámos agora da II Liga. Mas não vamos virar a cara à luta. Sabemos que vai ser difícil e, se não acontecer, não vou dizer que é um insucesso.”

Jorge Silas (treinador do Sporting): “A entrada com dois golos do Famalicão condicionou-nos. Em dois remates marcaram dois golos.

Ainda reagimos bem e ao intervalo mostrámos que havia muitos espaços para explorar. Mas, por uma ou outra razão, continuámos a insistir pelo meio e fomos perdendo o discernimento, até que o Famalicão matou o jogo.

Temos de dar os parabéns ao adversário, e pedir desculpa aos nossos adeptos, porque o Sporting exige mais que isso, e todos devemos ter responsabilidades.

Este foi o meu último jogo à frente do Sporting, tenho de agradecer a oportunidade.

Foi uma decisão mais que pensada, que comecei a refletir logo a seguir ao jogo na Turquia, e já não teve volta atrás.

Acho que em uma ou outra situação podíamos ter feito mais, mas esta decisão é pensar no Sporting, que é preciso começar a preparar a próxima época, para que não volte a haver dissabores.

O natural é sairmos e entrar um novo treinador que comece a trabalhar com estes jogadores e numa ideia de jogo.

[Sobre Rúben Amorim] É um grande treinador, jovem. Vai precisar de muita ajuda, porque vem para um desafio enorme. Como ex-colega e amigo espero que tenha ajuda, porque esta é um missão para gente de coragem. Mas, na minha opinião, vem para cá um grande treinador.

Não por algo que tenha feito de mal que saio. Gosto de treinar, mas, quando não sinto prazer de o fazer e não estou bem num sítio, entendo que tenho de mudar. Tal como o Sporting também o entende.

A minha relação com o presidente [Frederico Varandas], com o Hugo [Viana], é muito honesta e leal.

Quando chegámos as Sporting as coisas estavam muito piores. Houve uma evolução na equipa e acho que podia haver mais.

Sempre senti apoio dos jogadores e da direção. É normal que nem todos joguem e que sintam algum desgosto quando isso acontece, mas nunca senti que não me apoiavam. Também acho que querem ganhar, mas, às vezes, só isso não chega.

Também têm responsabilidade, tal com eu. O Sporting precisa de mais do que nós demos.

Deixo uma equipa que em casa é muito competitiva, mas fora tem de melhorar. Fizemos muitos jogos bons, mas quando chegámos havia uma grande descrença.

Sinto que deixo uma melhor equipa do que encontrei, mas vai precisar do apoio de todos.”

Anúncio

Futebol

Estádio do Rio Ave aprovado para receber jogos na retoma da I Liga

Covid-19

em

Foto: Divulgação / Rio Ave FC (Arquivo)

O Estádio do Rio Ave, em Vila do Conde, foi aprovado pela Direção-Geral da Saúde (DGS) para receber jogos na retoma da I Liga portuguesa de futebol, anunciou hoje a LPFP.

O organismo também confirmou aprovação do recinto do Desportivo das Aves, entretanto já divulgada pelo clube, elevando para 14 os estádios autorizados a receber desafios no regresso do campeonato, a partir de 03 de junho.

No caso do estádio dos vila-condenses, a aprovação surgiu após uma vistoria realizada esta manhã, pela Administração Regional de Saúde do Norte, que emitiu parecer favorável, após verificar as intervenções feitas pelo clube.

O Rio Ave procedeu ao aumento da área de um dos balneários para respeitar a distância de segurança de 4 metros quadrados por atleta, colocação de sinalética, instalação torneiras automáticas e à revisão do sistema de ventilação de todos os espaços.

“Sempre foi, desde o primeiro instante, intenção do Rio Ave jogar no seu estádio, pois tínhamos a certeza de que reunimos todas as condições para o trabalho diário como para toda a operacionalização nos dia de jogo, em condições de segurança, a todos os níveis, para atletas, treinadores, médicos e staff”, manifestou o clube vila-condense no seu site oficial, após receber a notícia da aprovação do recinto.

No caso do estádio do Desportivo das Aves, a aprovação já tinha sido anunciada pelo clube na sexta-feira, mas só hoje foi ratificada publicamente pela LPFP, que ressalvou, no entanto, que fica “impedida a utilização do sistema de ar condicionado na zona técnica”.

Além dos recintos do Rio Ave e Desportivo das Aves, foram já aprovados pela DGS o Estádio da Luz (Benfica), Estádio do Dragão (FC Porto), Estádio José Alvalade (Sporting), Estádio D. Afonso Henriques (Vitória SC), Estádio João Cardoso (Tondela), Estádio do Marítimo, Estádio Municipal de Braga, o Portimão Estádio, a Cidade do Futebol (FPF), o Estádio Capital do Móvel (Paços de Ferreira), Estádio Cidade de Barcelos (Gil Vicente) e o Estádio do Bessa (Boavista).

O Estádio do Bonfim (Vitória de Setúbal) ainda aguarda por nova inspeção para ser avaliado um conjunto de correções indicadas pela DGS como necessárias para aprovação do recinto.

No plano de desconfinamento face à pandemia de covid-19, o Governo autorizou a realização à porta fechada dos 90 jogos da I Liga, que deve será reatada a 3 de junho e é liderada pelo FC Porto, com um ponto de vantagem sobre o campeão Benfica, e da final da Taça de Portugal, entre ‘dragões’ e ‘águias’, tendo excluído a continuidade da II Liga.

Os campeonatos de França, Países Baixos, Bélgica e Escócia foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso gradual à competição, como Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, depois de a Liga alemã ter sido retomada

Continuar a ler

Futebol

“Temos 10 jogos e temos de os encarar como 10 ‘finais'”

Davidson, Vitória SC

em

O extremo Davidson, do Vitória SC, afirmou hoje que as derradeiras 10 jornadas da I Liga portuguesa de futebol são como 10 ‘finais’ para o clube minhoto, que deseja apurar-se para a Liga Europa da próxima época.

Após a interrupção anunciada em 12 de março, devido à pandemia de covid-19, o campeonato vai ser reatado em 03 de junho e decorrer até 26 de julho, com a equipa vitoriana, sexta classificada, com 37 pontos, a precisar de subir a um dos cinco primeiros lugares até ao final da época, para alcançar essa meta.

“Temos objetivos, lançados no início da época. Estávamos num momento muito bom, nas infelizmente aconteceu a paragem. Temos 10 jogos e temos de os encarar como 10 ‘finais’, para conseguirmos bons resultados e alcançarmos o apuramento para a Liga Europa”, realçou o jogador brasileiro, num vídeo divulgado pelos vimaranenses, na rede social Facebook.

O primeiro adversário nessa série de “finais” é o Sporting, num duelo da 25.ª jornada agendado para 04 de junho, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, e Davidson assumiu o objetivo de vencer uma equipa que ocupa o quarto lugar, com 42 pontos, e que vai “atacar o máximo possível” para “marcar golos e tentar a vitória”.

“Vai ser um jogo difícil e muito importante, mas jogamos em nossa casa, e é importante vencer em casa. Temos condições para vencê-los. Já mostrámos ter condições para bater-nos com todas as equipas da I Liga”, salientou.

À semelhança de todos os outros jogos da I Liga por disputar, o embate entre vitorianos e ‘leões’ vai realizar-se sem público nas bancadas, condição que, para o ala, de 29 anos, vai obrigar os atletas a estarem “ainda mais focados e concentrados”.

Autor de 10 golos em 37 jogos oficiais na época 2019/20, Davidson realçou que o plantel treinado por Ivo Vieira, face ao “regresso já próximo”, tem trabalhado para “voltar bem”, apesar de “não estar ainda a 100% fisicamente”.

O futebolista, que, em Portugal, representou também Sporting da Covilhã e Desportivo de Chaves, mostrou-se também satisfeito pelo regresso, na semana passada, aos treinos coletivos, situação que deixou de ser “normal” face ao surto do novo coronavírus.

“Estar ao lado dos colegas de equipa e poder treinar, trabalhar e desfrutar é muito bom. É muito bom voltar a fazer o que mais se gosta, mesmo com as restrições”, confessou.

Continuar a ler

Futebol

SC Braga quer manter terceiro lugar e fazer ano “histórico”

Custódio Castro

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

O SC Braga “está preparadíssimo” para retomar a I Liga de futebol e quer manter o terceiro lugar para fazer deste um ano “histórico”, depois da conquista da Taça da Liga, disse hoje Custódio Castro.

“O grupo está preparadíssimo [para o jogo com o Santa Clara, a 05 de junho] e trazer os três pontos é o grande objetivo. Sinto o grupo cada vez mais preparado, os tempos de quarentena [por causa da pandemia de covid-19] foram sem dúvida difíceis, mas foram iguais para todas as equipas”, disse o técnico na rubrica ‘Duas de Letra’, no Facebook do clube, respondendo a perguntas dos adeptos.

Considerando que o atual plantel é um dos melhores dos últimos anos, Custódio Castro disse que “o grande objetivo nas 10 jornadas que faltam é manter o terceiro lugar e juntá-lo à Taça da Liga”.

“Isso seria histórico e estou certo de que o vamos conseguir”, afirmou.

Custódio Castro voltou a reforçar que vai manter o sistema tático implementado pelo agora treinador do Sporting, Rúben Amorim, o 3x5x2, com “uma ou outra nuance”, mas frisou que “o mais importante é a ideia”.

“Queremos ser uma equipa que quer ter bola, recuperá-la o mais rápido possível para chegar à baliza adversária seja em três toques ou em 30”, afirmou.

No dia em que completou 37 anos, o antigo jogador recebeu mensagens de parabéns de alguns ex-colegas, como Hélder Barbosa, Artur Moraes, Wender ou Rui Jorge, que considerou “o jogador mais inteligente” com quem jogou.

“Tive oportunidade de aprender com jogadores como o Rui Jorge, o jogador mais inteligente com quem joguei, sabia tudo do jogo e é um grande treinador, o Pedro Barbosa ou o Paulo Bento [no Sporting], foi a minha escola, aprendi muito com eles a ser jogador e a ser homem”, disse.

O técnico alertou para a “motivação extra” com que, atualmente, os adversários jogam contra o Braga e admitiu que não esperava chegar tão rapidamente à equipa principal, quando estava ao comando dos sub-17 ‘arsenalistas’.

“Pensava fazer o trajeto natural, mas não dá para controlar a velocidade dos acontecimentos do futebol. No futebol, não existe o tempo certo, foi quando tina que ser. Mas sinto-me preparado e isso é o mais importante”, disse.

O plantel encerrou, este domingo, mais uma semana de preparação com um treino de conjunto no Estádio Municipal tendo em vista o jogo com o Santa Clara, no dia 05 de junho (19:00), que terá lugar na Cidade do Futebol, em Oeiras.

O plantel, que cumpre o anunciado período de confinamento coletivo, regressa aos treinos na cidade desportiva na terça-feira.

Continuar a ler

Populares