Seguir o O MINHO

Alto Minho

Deputados questionam Governo sobre cobertura de fibra ótica em Paredes de Coura

Deputados do PS e do CDS receberam denúncias de problemas

em

Foto: Wikipedia

Os deputados do PS eleitos pelo círculo de Viana do Castelo informaram hoje ter questionado o Governo sobre as “deficiências” na cobertura de fibra ótica na União de Freguesias de Formariz e Ferreira, em Paredes de Coura.

Na quarta-feira, também o grupo parlamentar (GP) do CDS já havia informado O MINHO que a vereadora Ilda Araújo Novo, também eleita pelo Alto Minho, questionou a ANACOM sobre o assunto.

“O GP CDS tem conhecimento de reclamações dirigidas à Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM) em diversas ocasiões ao longo dos últimos meses, verificando-se até à data a ausência de resposta e de soluções”, referia.

Em comunicado, hoje enviado, José Manuel Carpinteira e Sandra Pontedeira acrescentam ter questionado o Ministério da Economia e, também, o regulador sobre a existência de “reclamações” de habitantes e das empresas sediadas no parque industrial de Formariz, em Paredes de Coura e “se será possível, a curto prazo, melhorar a cobertura de fibra ótica”, não apenas naquele concelho, como “em todos os parques empresariais do Alto Minho”.

José Manuel Carpinteira e Sandra Pontedeira explicaram ter recebido da União de Freguesias de Formariz e Ferreira, uma exposição onde é denunciada a falta de cobertura de fibra ótica.

“Esta situação tem sido amplamente reclamada quer por habitantes quer por empresas sediadas no Parque Industrial de Formariz, cuja atividade está fortemente dependente da eficácia e operacionalidade do setor das comunicações”, alertam.

Segundo os deputados socialistas a “fibra ótica já se encontra disponível em localidades muito próximas, inclusivamente em alguns pontos da União de Freguesias de Formariz e Ferreira, mas seria uma mais valia, nomeadamente para as empresas, poder contar com a cobertura de rede de alta velocidade em todo aquele território”.

“A União de Freguesias diz que desde há alguns anos, tem dirigido reclamações à ANACOM e a outras entidades, não tendo havido qualquer resposta nem solução”, sublinham.

Anúncio

Alto Minho

Ciclovia de Ponte de Lima está a derreter com o calor. Autarquia já avisou empreiteiro

Investimento de 1,5 milhões

em

Foto: Carlos Martins / Facebook

A ciclovia de Ponte de Lima tem um problema de construção, nomeadamente “uma diluição da camada superior do piso”, que tem levado os ciclistas a usarem a estrada. A Câmara diz que já avisou o empreiteiro para corrigir o defeito antes de entregar a obra.

A situação foi denunciada pelo PS de Ponte de Lima, nas redes sociais, questionando “por que motivo há uma diluição da camada superior do piso da ciclovia com as consequências negativas que este facto acarreta”.

Em resposta a um comentário de um utilizador, o PS acrescentava que “o que acontece, infelizmente, é que os ciclistas têm dificuldade em circular na ciclovia visto que os pneus colam no piso que está a desfazer-se (derreter) talvez fruto do aquecimento provocado pelas temperaturas que se têm feito sentir”.

Ponte de Lima aprova ciclovia urbana de 1,5 milhões com votos contra da oposição

Questionada por O MINHO, a Câmara de Ponte de Lima referiu que a obra ainda não foi entregue pelo empreiteiro.

O município adiantou, ainda, que o defeito já tinha sido detetado e o empreiteiro foi avisado para o corrigir.

Continuar a ler

Alto Minho

Charutos dos Arcos a caminho da certificação

Arcos de Valdevez

em

Foto: DR / Arquivo

– A Câmara Municipal de Arcos de Valdevez informou hoje que vai investir cerca de 20 mil euros na certificação dos Charutos de Arcos de Valdevez, uma “referência” na doçaria tradicional do concelho.

Em comunicado enviado às redações, a autarquia do distrito de Viana do Castelo justificou o investimento com a necessidade de “valorizar a receita original do doce cujo nome está registado pela casa Doçaria Central desde 1963, embora a receita seja mais antiga.

A Doçaria Central existe desde 1830.

Os Charutos dos Arcos são feitos com massa de hóstia, numa máquina antiga manual, que envolve um recheio de gemas de ovo e açúcar.

Na nota, o executivo municipal presidido pelo social-democrata João Manuel Esteves, explicou que, “na última reunião camarária foi aprovada a abertura do procedimento concursal, tendo em vista a certificação dos Charutos de Arcos de Valdevez”.

“Este procedimento tem como finalidade a elaboração de um guia de especificações e ações de acompanhamento às empresas aderentes ao processo de certificação dos Charutos de Arcos de Valdevez, assim como, o desenvolvimento de ações de capacitação para as entidades, sobre Inovação, Investigação & Desenvolvimento relativamente ao produto ou gastronomia tradicional”, explica o município.

Segundo a autarquia “a certificação deste doce tradicional irá permitir aferir as características que fazem com que os Charutos de Arcos de Valdevez sejam uma marca da região, identificando as características e as variáveis comuns em cada receita, bem como, o proteger a nível geográfico”.

De acordo com informação que consta no sítio na Internet da Câmara de Arcos de Valdevez, hoje consultada pela Lusa, “o doce, de origem conventual, tem forma cilíndrica, semelhante a um charuto, com entre oito a dez centímetros de comprimento e dois de diâmetro, com um recheio de ovos e açúcar”.

O “invólucro exterior é feito de massa de hóstia ou obreia e o recheio é de textura cremosa, preparado à unidade”.

Outras pastelarias “começaram a fabricar charutos, que apresentam variantes relativamente à receita original, acrescentam-lhe amêndoa, raspa de laranja, doce de chila, entre outros ingredientes”.

Continuar a ler

Braga

Detido por ameaçar a mulher de morte em Braga

Violência doméstica

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um homem de 59 anos foi detido pela PSP depois de ter ameaçado de morte a esposa, numa audiência de julgamento na quarta-feira, em Braga, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a PSP dá conta da detenção, ocorrida cerca das 10:00 horas na cidade de Braga, depois de os agentes terem constatado que o homem continuava a proferir “vários insultos e ameaças”, entre as quais de morte, perante a esposa.

Face ao referido, foi o mesmo detido, sendo presente hoje no Tribunal Judicial da Comarca de Braga.

Continuar a ler

Populares