Seguir o O MINHO

Alto Minho

Deputado eleito por Viana despede-se da Assembleia da República 16 anos depois

Natural de Lisboa, Luís Campos tem raízes familiares em Valença. É irmão da conhecida jornalista Fátima Campos Ferreira. Será substituído por António Rodrigues, jovem de Arcos de Valdevez que, em 2015, foi número 5 da lista, enquanto presidente, à data, da JSD Alto Minho.

em

Foto: DR/Arquivo

O deputado do PSD Luís Campos Ferreira, eleito pelo círculo de Viana do Castelo, fez esta quinta-feira o seu discurso de despedida da Assembleia da República, onde chegou em 2002, com elogios à transparência e ao Canal Parlamento, que ajudou a criar.

“Tomei a decisão de renunciar ao mandato de deputado. Faço-o de uma forma muito refletida, muito consciente e muito livre”, afirmou Campos Ferreira, numa declaração em nome individual que, no final, foi aplaudida pelas bancadas do PSD, do CDS-PP – de pé – e do PS, com a maioria dos deputados socialistas a baterem palmas sentados, mas também alguns de pé.

Campos Ferreira aludiu ao “momento delicado” relacionado com as questões de transparência que se vive na Assembleia da República, e deixou a convicção de que, se muito há a fazer, existe em 2018 maior escrutínio e transparência do que quando chegou, em 2002.

“Nestes últimos 44 anos, os portugueses já aprenderam que opacidade não rima com democracia”, afirmou.

O deputado do PSD apontou o Canal Parlamento, de que foi presidente da direção, como um exemplo de que “a democracia se deve orgulhar”.

“Foi desde o seu início uma enorme porta aberta à sociedade portuguesa”, afirmou, considerando que, graças a este canal, os portugueses sabem melhor hoje que o trabalho dos deputados não se limita a três sessões plenárias semanais e se desenrola por muitas comissões.

“Se é verdade que temos telhados de vidro – e temos mesmo, basta olhar para a claraboia -, também temos paredes de vidro e uma delas é justamente o Canal Parlamento”, referiu, com o bom-humor pelo qual é conhecido.

Despedindo-se com agradecimentos aos funcionários parlamentares e com o poema “Viagem” de Miguel Torga, Campos Ferreira garantiu que continuará a acompanhar todos os deputados através do canal Parlamento.

Apenas o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, usou da palavra após a intervenção de Campos Ferreira.

“Certamente vamos todos sentir falta das suas intervenções, da sua consistência e do seu sentido de humor”, referiu.

Campos Ferreira será substituído por António Rodrigues, jovem de Arcos de Valdevez que, em 2015, foi número 5 da lista, enquanto presidente, à data, da JSD Alto Minho.

Eleito por Viana do Castelo, Luís Álvaro Barbosa de Campos Ferreira é deputado há cinco legislaturas (desde 2002), com uma interrupção durante o tempo em que foi secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros do anterior Governo PSD/CDS-PP liderado por Passos Coelho.

No PSD, já foi ‘vice’ da bancada e secretário-geral adjunto do partido durante a liderança de Durão Barroso.

Quando anunciou que iria renunciar ao cargo de deputado, no início de dezembro, Campos Ferreira justificou a saída com motivos pessoais e um novo desafio profissional, garantindo que se manteria no PSD.

O deputado foi constituído arguido em junho deste ano, tal como os ex-líderes parlamentares do PSD Luís Montenegro e Hugo Soares, no âmbito do inquérito-crime que investiga as viagens de ex-governantes a França para assistirem a jogos do Euro2016, por suspeitas do crime de recebimento indevido de vantagem.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Ponte de Lima

Arquiteto de Ponte de Lima ganha dois prémios no Azerbaijão

Baku International Architecture Award

em

Chalé das Três Esquinas. Foto: DR

A Tiago do Vale Arquitectos, de Ponte de Lima, acabou de ser duplamente distinguida na quarta edição do Prémio Internacional de Arquitectura de Baku, Azerbeijão.

Um dos segredos mais bem guardados da arquitectura está a ser reconstruído em Ponte de Lima

O Chalé das Três Esquinas foi galardoado com o Primeiro Prémio da categoria de Recuperação de Interiores Históricos.

O Espigueiro-Pombal do Cruzeiro foi distinguido com uma Menção Honrosa na categoria de Reabilitação e Reconstrução de Edifícios Históricos.

Arquiteto de Ponte de Lima triplamente distinguido em competição de Nova Iorque

O Baku International Architecture Award é um prémio bienal organizado pelo Ministério da Cultura da República do Azerbaijão. A edição deste ano, integrada no programa do Fórum Internacional de Arquitectura, focou-se sobre os temas da reabilitação e reconstrução de património arquitectónico.

Continuar a ler

Ponte de Lima

Alunas de Ponte de Lima participam em concurso de robótica na Alemanha

Clube de Robótica do Agrupamento de Escolas de Freixo

em

Foto: Divulgação

O Clube de Robótica do Agrupamento de Escolas de Freixo, em Ponte de Lima, foi convidado para participar na Liga de Busca e Salvamento Júnior do Robocup Euro 2019, que se realizará em Hannover, Alemanha, entre os dias 21 e 23 de junho.

O convite é resultado da prestação da equipa no Festival Nacional de Robótica 2019. O projeto traduz-se num robot capaz de efetuar seguimento de linha, com o objetivo de alcançar a área onde as vítimas simuladas devem ser detetadas e salvas, cumprindo um determinado número de tarefas/ações.

“O convite para este evento é um reconhecimento da qualidade do trabalho que os alunos do Clube de Robótica de Freixo têm desenvolvido e apresentado nas competições nacionais, podendo a participação nesta prova europeia permitir uma significativa evolução para novos projetos. Releva ainda o crescente envolvimento nos projetos, com resultados muito positivos, de alunas, contribuindo assim, para a divulgação e motivação das raparigas para o ingresso em áreas de estudo e investigação onde ainda constituem uma minoria, sendo esta equipa constituída apenas por alunas”, diz o Agrupamento de Escolas de Freixo, em comunicado.

A atividades desenvolvidas pelo Clube de Robótica de Freixo visam desenvolver trabalhos tecnológicos idealizados pelos alunos com a coordenação dos professores. Em termos globais, este projeto justifica-se pelo grande interesse por parte dos alunos e por facilitar o desenvolvimento de competências e domínios STEM, em áreas científicas e tecnológicas atuais e de relevância futura, colmatando lacunas na formação dos alunos, em particular, no domínio da literacia tecnológica.

Continuar a ler

Ponte de Lima

Obras de 300 mil euros controlam erosão das margens do rio Lima em Ponte de Lima

Projeto “é fundamental para a preservação do maior ecossistema que atravessa o concelho”, diz o autarca

em

Foto: Divulgação / Arquivo

A Câmara de Ponte de Lima e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) vão investir mais de 300 mil euros, para controlar a erosão das margens do rio Lima, naquele concelho do Alto Minho, informou hoje aquela autarquia.

Em comunicado, o município liderado por Victor Mendes (CDS-PP) adiantou que a intervenção de proteção de recursos hídricos, é financiada pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSSER) e tem um prazo de execução de 120 dias.

O “auto de consignação da empreitada foi assinado realizou-se na semana passada, na Câmara de Ponte de Lima, entre a APA e a empresa Primos Lena – Engenharia & Construção”.

Foto: Divulgação / CM Ponte de Lima

O município justificou aquela intervenção com “significativa erosão fluvial que se tem registado nas margens do rio Lima, agravada sobretudo no período de outono e inverno, constituindo um fator de agressão e de desequilíbrio determinante para o mau estado de conservação hidromorfológicas” daquele curso de água.

“De acordo com a APA, a intervenção vai centrar-se nos troços mais vulneráveis à erosão hídrica, no sentido de mitigar os riscos e efeitos de cheias e inundações na zona crítica influente”, especificou o município, apontando “três troços do rio como os mais vulneráveis e que terão intervenção prioritária, nomeadamente em Arcozelo, Correlhã e Fontão”.

As intervenções previstas “serão direcionadas para o controlo das situações de degradação verificadas na margem direita e esquerda do rio Lima, por via de ações que envolvem medidas de estabilização das margens”.

A intervenção agora anunciada tem como objetivos a “renaturalização do curso de água, a melhoria das condições de escoamento dos caudais do rio Lima, e proteção das margens contra o efeito erosivo dos caudais escoados”.

Para o presidente da Câmara de Ponte de Lima, citado na nota, este projeto “é fundamental para a preservação do maior ecossistema que atravessa o concelho”.

O autarca ressalvou a intervenção “foi elaborado com base nas principais preocupações e sugestões do município dentro dos parâmetros e dos objetivos definidos pela candidatura da APA”.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares