Seguir o O MINHO

Futebol

“Demonstrámos um caráter muito grande”

Carlos Carvalhal

em

Declarações após o jogo da segunda jornada do grupo G da Liga Europa de futebol entre SC Braga e Zorya, que hoje decorreu em Zaporizhia, na Ucrânia, e que os minhotos venceram (2-1):


Carlos Carvalhal (treinador do SC Braga): “O Zorya é uma equipa com qualidade, com pontos fortes e fragilidades, e a nossa grande virtude hoje foi explorar um ou outro ponto fraco, fizemo-lo muito bem e, a partir do 2-0, conseguimos gerir mais o resultado. Devíamos ter feito mais transições ofensivas, só o fizemos depois das substituições, podíamos ter feito o 3-0, era merecido.

Foi uma vitória sofrida, porque o adversário obrigou a isso, uma vitória diferente do AEK. Hoje, demonstrámos um caráter muito grande a agarrar a vitória e os três pontos.

O Gaitán estava em condições de fazer o tempo que fez hoje, fê-lo bem, é um jogador que temos que ter cuidado a geri-lo nesta sequência de jogos, ele está para ajudar, que é o mais importante.

Não, o apuramento ainda não está conseguido, temos que fazer mais pontos, estamos em boa posição, mas são necessários pelo menos 9/10 pontos para passar à fase seguinte.”

Matheus (guarda-redes do SC Braga): “Foi um jogo difícil, já estávamos à espera disso, conseguimos anular [o ataque do Zorya] até ao último minuto, sofremos um golo infelizmente, mas temos que ressalvar a vitória e o trabalho que a equipa teve durante todo o jogo.”

Paulinho (jogador do Sporting de Braga em declarações à Sporttv): “Tivemos que ter a humildade que perceber que íamos que ter que jogar mais baixo, a segunda parte foi mais difícil, porque estávamos a ganhar 2-0 e eles arriscaram para fazer o primeiro, meteram muita gente na frente, não conseguimos sair em transições, mas conseguimos todos manter a vitória, que era o mais importante.

(Jogos com o Leicester com outro conforto?) Conforto não, porque isso é inimigo dos bons resultados e da concentração, temos que olhar esses jogos com ambição e com vontade de somar pontos.”

Anúncio

Futebol

Benfica voltar a igualar SC Braga na tabela classificativa

I Liga

em

Foto: SL Benfica

O Benfica regressou hoje aos triunfos na I Liga de futebol e manteve-se a quatro pontos do líder Sporting, depois de vencer na Madeira o Marítimo (2-1), no fecho da oitava jornada, que deixou tudo igual na frente.

No Funchal, após os desaires com o SC Braga (3-2) na Luz e com o Boavista (3-0) no Bessa, os ‘encarnados’ voltaram a ‘sorrir’, mas com algum sofrimento à mistura, já que tiveram de dar a volta ao marcador.

Nos Barreiros, com ‘assistência’ de Otamendi, numa tentativa infeliz do central argentino em atrasar a bola para o guarda-redes Vlachodimos, o avançado Rodrigo Pinho abriu a contagem, aos 14 minutos, e fez o seu sexto tento na competição.

Ainda antes do intervalo, Pizzi empatou a partida, aos 32 minutos, e, pouco depois do arranque da segunda parte, aos 51, o brasileiro Everton consumou a reviravolta no jogo e confirmou o regresso as vitórias da equipa de Jorge Jesus no campeonato.

A oitava jornada deixou tudo igual nas quatro primeiras posições da I Liga, com o Benfica a manter-se no terceiro lugar com 18 pontos, em igualdade com o Sporting de Braga, que é terceiro, e a quatro pontos do Sporting, que tem 22. O FC Porto é quarto, com 16.

No sábado, os ‘leões’ venceram por 2-1 na receção ao Moreirense, enquanto o FC Porto foi aos Açores bater o Santa Clara, por 1-0. Igual resultado fez o Sporting de Braga no domingo, frente ao Farense, no Minho.

Na próxima ronda, o atual líder da I Liga joga no campo do Famalicão e o SC Braga defronta fora o Belenenses SAD. O Benfica recebe o Paços de Ferreira e o FC Porto terá pela frente o Tondela, no Dragão.

Na outra ponta da classificação, o Marítimo já não sabe o que é vencer desde o triunfo no campo do FC Porto (3-2) e registou a quarta derrota nos últimos cincos jogos.

Os madeirenses seguem no 15.º lugar, com sete pontos, em igualdade com Portimonense e Boavista, com os ‘axadrezados’ a estarem em zona de descida.

Continuar a ler

Futebol

Benfica regressa às vitórias no campeonato na Madeira

I Liga

em

Foto: SL Benfica

O Benfica conseguiu hoje dar a volta a mais um erro crasso de Otamendi e regressar às vitórias na I Liga portuguesa de futebol, na casa do Marítimo (2-1), no fecho da oitava jornada.

Depois dos triunfos de FC Porto, Sporting e Sporting de Braga, os ‘encarnados’ estavam obrigados a ganhar, mas começaram cedo a dar ‘tiros nos pés’, com um atraso fatal do central argentino para Vlachodimos que Rodrigo Pinho aproveitou, aos 14 minutos.

A formação comandada por Jorge Jesus acusou o ‘toque’ e passou por um período complicado, mas ‘voltou’ ao jogo com mais um golo do ‘inevitável’ Pizzi, aos 32 minutos, e concretizou a reviravolta com um golo de Everton, aos 51.

Com muito ainda para jogar, num campo pesado e escorregadio, o Benfica, que vinha de duas derrotas seguidas na prova e a sofrer três golos em cada, não mais criou grande perigo e pareceu ‘viver’ sempre em sobressalto. Ainda assim, o Marítimo não conseguiu mais do que um inofensivo remate de Milson, aos 76 minutos.

Os ‘encarnados’ fecham, assim, a ronda no terceiro lugar, com 18 pontos, os mesmos do Sporting de Braga, segundo, e menos quatro do que o líder Sporting, enquanto o Marítimo, que apenas somou um ponto nos últimos cinco jogos, é 15.º colocado, com sete, os mesmos do penúltimo, o Boavista.

Em relação ao 2-2 com o Rangers, Jesus, ainda sem Darwin, Taarabt ou Weigl, trocou Helton Leite, Jardel e Chiquinho por Vlachodimos, Otamendi e Pizzi, enquanto Lito Vidigal mudou duas ‘peças’ em relação ao ‘onze’ que venceu 3-2 em Penafiel, fazendo entrar Leo Andrade e René em vez de Kerkez e Tamuzo.

O Benfica entrou ofensivo, a dominar, instalou-se no meio-campo contrário e ameaçou várias vezes o golo, nomeadamente em remates de Pizzi, aos oito minutos, e Everton, aos 11. Só que, aos 14, cometeu uma falha e ficou em desvantagem.

A formação da casa ‘despejou’ a bola para a frente, Otamendi chegou primeiro e voltou a cometer um erro crasso, desta vez um atraso a isolar Rodrigo Pinho, que, com classe, fez um pequeno ‘chapéu’ a Vlachodimos, para o seu sexto golo na prova.

Em desvantagem, o Benfica ‘perdeu-se’, começou a falhar mais passes, para, aos 32 minutos, ser ‘resgatado’, para não variar, por Pizzi, que deu a melhor sequência, de pé esquerdo, a uma jogada por si iniciada e que passou ainda por Everton e Grimaldo.

O golo voltou a melhorar o futebol dos ‘encarnados’, hoje de negro, e, até ao intervalo, foram várias as ocasiões para a reviravolta, mas Charles negou o bis’ a Pizzi (40 minutos), Rafa acertou em René (44) e Waldschmidt não rematou bem (45+5).

Por seu lado, o Marítimo, e embora de forma espaçada, foi colocando em ‘sentido’ a defesa dos forasteiros, como aos 42 minutos, num contra-ataque, conduzido por Joel, que Rodrigo Pinho não teve ângulo para concluir com êxito.

O Benfica voltou a entrar forte na segunda parte, em busca do segundo golo, que conseguiu aos 51 minutos. Num livre marcado rápido, a bola passou de Waldschmidt para Seferovic, que isolou Everton, com o brasileiro a bater Charles com um remate colocado.

O golo mudou o jogo, com os ‘encarnados’ a perderem claramente o pendor ofensivo e o encontro a equilibrar, com o Marítimo a tentar incomodar a defesa contrária, mas sem conseguir criar uma única oportunidade para incomodar Vlachodimos.

Ainda assim, e face a algumas bolas ‘bombeadas’ para a área e um canto sobre o final – o primeiro dos locais, contra 12 -, o Benfica sofreu até final para voltar aos triunfos e responder aos restantes candidatos ao título.

Continuar a ler

Futebol

Pepa quer vencer Moreirense para levar Paços ao quinto lugar

I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

O treinador do Paços de Ferreira confirmou hoje foco absoluto na vitória frente ao Moreirense, espreitando uma eventual qualificação para os ‘quartos’ da Taça da Liga, em jogo de atraso da sétima jornada da I Liga de futebol.

Pepa dedicou as primeiras palavras da conferência de imprensa a Vítor Oliveira, vitimado por doença súbita no fim de semana, considerando que, “mais do que chorar a morte, é relembrar a vida e a alegria que tinha e transmitia”.

“Não cansa ouvir dos agentes desportivos palavras elogiosas e de carinho para um homem que era fantástico”, acrescentou.

Em relação ao jogo em Moreira de Cónegos, o técnico garantiu que o Paços vai com tudo.

“Vamos com tudo, mas não vamos cegos. O nosso foco são os três pontos, porque o depois é uma sequência e é a classificação que vai ditar a Taça da Liga”, disse Pepa, em conferência de imprensa.

O técnico pacense sempre falou desta possível qualificação como “um objetivo a curto prazo”, cumprindo o formato da competição redefinido por força da pandemia e a partir da classificação até dezembro (são apurados os seis primeiros da I Liga e os dois primeiros da II), sem deixar de criticar o modelo, que considera “desajustado” e formatado para os denominados ‘grandes’.

“Houve uma alteração do formato [da Taça da Liga], algum ajuste de equilíbrio, mas é muito curto e não faz sentido nenhum. Dentro do formato desajustado que já existia, é um pequeno objetivo a curto prazo, mas o principal para nós amanhã [terça-feira] é o campeonato, a vitória, é chegarmos aos 14 pontos, conseguirmos ir para o top cinco, que é algo que ambicionámos muito e, mais uma vez, está à distância de 90 minutos, contra uma equipa forte em sua casa”, referiu.

O empate serve o objetivo da qualificação, ‘casando’ sempre o Paços com Benfica ou FC Porto, em jogos na Luz ou Dragão, mas Pepa aponta à vitória em Moreira de Cónegos, depois de o jogo ter sido adiado devido a casos de Covid-19 no plantel do Moreirense.

“Ainda bem que o jogo desta jornada foi adiado. Queremos e gostamos de competir 11 para 11 e que estejam na máxima força. Pelo que sei, estão”, disse o técnico, atento às dificuldades que o Paços vai encontrar.

César Peixoto é agora o treinador do Moreirense e o Paços terá de estar “preparado para as ‘nuances’ que ele quer para passar para a equipa e conhecer as individualidades”, advertiu Pepa, para quem o foco pode fazer a diferença.

“Estando ao nosso melhor nível, sabemos que podemos competir para os três pontos em qualquer lugar contra qualquer equipa”, sublinhou, “orgulhoso” pela “qualidade de jogo e seriedade” dos seus jogadores, num registo “à Paços”.

O Paços de Ferreira, sexto classificado, com 11 pontos, defronta o Moreirense, no 12.º lugar, com oito, no Parque Desportivo Comendador Joaquim de Almeida Freitas, na terça-feira, às 21:45, num jogo em atraso da sétima jornada e que terá arbitragem de Hélder Malheiro, da Associação de Lisboa.

Continuar a ler

Populares