Seguir o O MINHO

Mundo

Decisão de invasão de Putin foi erro estratégico, preço será elevado

em

Os chefes de Estado e de Governo da NATO declararam hoje que a decisão do Presidente russo, Vladimir Putin, de invadir a Ucrânia “é um erro estratégico pelo qual a Rússia pagará um preço elevado” económica e politicamente.

Num comunicado conjunto, divulgado após a reunião de hoje em Bruxelas destinada a debater aquela que classificaram como “a mais grave ameaça à segurança Euro-Atlântica em décadas”, os Estados-membros da Organização do Tratado do Atlântico-Norte (NATO) condenaram “nos termos mais fortes possíveis” a “invasão em larga escala da Ucrânia, facilitada pela Bielorrússia”, que teve início na quinta-feira.

“Instamos a Rússia a cessar imediatamente a sua agressão militar, a retirar todas as suas forças da Ucrânia e a recuar em relação ao caminho de violência que escolheu”, lê-se no documento.

“Este ataque longamente planeado à Ucrânia, um país independente, pacífico e democrático, é brutal e totalmente não-provocado e injustificado. Lamentamos a trágica perda de vidas, o enorme sofrimento humano e a destruição causados pelas ações da Rússia”, prosseguiram os dirigentes dos Estados-membros da Aliança Atlântica, para quem “a paz no continente europeu foi essencialmente destruída”.

Defendendo que “o mundo considerará a Rússia responsável, bem como a Bielorrússia, pelas suas ações”, os chefes de Estado e de Governo da NATO apelaram “a todos os Estados para condenarem sem reservas este ataque inconcebível” e sublinharam que “ninguém deve deixar-se enganar pelo chorrilho de mentiras do Governo russo”.

https://twitter.com/NATO/status/1497255800577925121

“A Rússia é a única responsável por este conflito: rejeitou a via da diplomacia e do diálogo repetidamente proposta pela NATO e seus aliados; violou os fundamentos do direito internacional, incluindo a Carta das Nações Unidas” e “as suas ações são também uma flagrante rejeição dos princípios consagrados na Ata Fundadora NATO-Rússia”, porque “foi a Rússia que se afastou do compromisso assumido na Ata”.

“A decisão do Presidente Putin de atacar a Ucrânia é um terrível erro estratégico, pelo qual a Rússia pagará um preço elevado, tanto económica como politicamente, nos próximos anos”, lê-se no texto, que precisa que “já foram impostas sanções em massa e sem precedentes à Rússia” e que a NATO “continuará a coordenar-se estreitamente com os atores relevantes e outras organizações internacionais, incluindo a União Europeia”, indicando que, a convite do secretário-geral, participaram na reunião de hoje representantes da Finlândia, da Suécia e da União Europeia.

EM FOCO

Populares