Seguir o O MINHO

Ave

Data do feriado municipal de Vizela vai a referendo

Validado pelo Tribunal Constitucional

em

Foto: DR / Arquivo

O Tribunal Constitucional aprovou a proposta dos órgãos autárquicos de Vizela para a realização de um referendo à data do feriado municipal, informou, esta segunda-feira, fonte da câmara.

Segundo um comunicado daquele município, caberá agora à autarquia fixar a data do referendo, apontando-se o final de março ou princípio de abril como o período provável.

Os munícipes de Vizela vão responder à questão: “Concorda em manter a data do feriado municipal de Vizela no dia 19 de março em vez de a alterar para o dia 11 de julho?”.

Vizela tem atualmente o seu feriado municipal a 19 de março, data que assinala a criação do concelho, que ocorreu há 16 anos.

Há, contudo, quem defenda no concelho que o feriado coincida com o 11 de julho, dia de S. Bento das Peras, Padroeiro de Vizela.

A realização do referendo, assinala-se no comunicado, é uma promessa eleitoral de Vítor Hugo Salgado, atual presidente da Câmara de Vizela, que cumpre o seu primeiro mandato.

Anúncio

Ave

Incêndio destrói garagem e mata coelhos em Fafe

Incêndios

em

Imagens via FafeTV

Um incêndio habitacional provocou danos avultados numa garagem e matou vários coelhos, em Estorãos, Fafe, ao final da manhã desta quinta-feira.

Em declarações à Fafe TV, o comandante dos Bombeiros de Fafe explica que, à chegada dos operacionais, o incêndio lavrava numa garagem “com alguma violência.

“Evitamos que as chamas tomassem o resto da casa. Em cinco minutos, com um ataque bem direcionado, dominamos as chamas e iniciamos a manobras de consolidação de rescaldo”, disse o comandante à mesma fonte.

As causas do incêndio estão ainda por apurar.

Há danos materiais elevados e vários coelhos morreram pelas chamas, sendo que alguns ainda foram salvos pelos bombeiros.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Guimarães

Comunidade Angolana diz que “foi sempre bem recebida” em Guimarães

Caso Marega

em

Foto: Facebook da Comunidade Angolana em Guimarães / DR

A Comunidade Angolana de Guimarães emitiu um comunicado, esta quinta-feira, onde expõe a sua opinião sobre o recente incidente que envolveu o futebolista Marega e alguns apoiantes do Vitória SC num episódio de racismo.

Esta comunidade começa desde logo por afirmar o seu repudio contra qualquer tipo de desigualdade ou atos racistas em qualquer tipo de contexto.

Depois destas afirmações o comunicado segue explicando que esta comunidade jamais se sentiu vitima de racismo na cidade vimaranense, antes pelo contrário, mostrando um sentimento geral de inclusão e gratidão pelo pelo apoio prestado não só à Comunidade Angolana como africana em geral.

Imagem: Facebook de Comunidade Angolana de Guimarães / Divulgação

No comunicado são referidas ainda a forte partilha cultural desta comunidade não só em Guimarães como na zona norte de Portugal.

Continuar a ler

Ave

Chefe nacional escutista de Famalicão envolvido no caso ‘Luanda Leaks’

Terá sido um dos que mais trabalhou com o braço-direito de Isabel dos Santos

em

Foto: Divulgação / Escuteiros Portugueses

O envolvimento no caso ‘Luanda Leaks’ do nome do chefe nacional dos escuteiros católicos portugueses, Ivo Faria, de Famalicão, que deverá tomar posse no sábado para novo mandato, está a causar polémica e há quem defenda já a realização de novas eleições.

Em causa está o envolvimento de Ivo Faria, sócio na PwC (PricewaterhouseCoopers) nos negócios de Isabel dos Santos em Portugal e, segundo o Expresso de 18 de janeiro, terá sido uma das pessoas que mais trabalhou com Mário Leite da Silva, apontado como o braço direito de Isabel dos Santos em Portugal.

O mal-estar no Corpo Nacional de Escutas (CNE) é hoje revelado pelo jornal online 7MARGENS, que refere que uma das operações em que a PwC Portugal terá estado envolvida, através destes seus responsáveis, foi a reestruturação da petrolífera angolana Sonangol, então presidida por Isabel dos Santos.

O envolvimento teria passado por faturar serviços a empresas sem proprietários conhecidos de Malta e do Dubai, quando as regras da própria PwC dizem que os contratos devem ser pagos por quem adjudica os serviços e não por outras entidades.

Perante o envolvimento do nome de Ivo Faria no caso ‘Luanda Leaks’ – desencadeado pelos documentos revelados pelo consórcio internacional de jornalistas sobre alegados esquemas financeiros envolvendo, entre outros, a empresária Isabel dos Santos, filha do ex-Presidente angolano José Eduardo dos Santos -, há já dirigentes nacionais do CNE a defenderem que ele não deve tomar posse para o segundo mandato no cargo de chefe nacional, marcada para sábado em Balasar, na Arquidiocese de Braga.

Contactado pelo 7MARGENS, Ivo Faria não fez comentários, preferindo dar primeiro explicações aos escuteiros.

O chefe nacional deveria “primeiro resolver os problemas” que vieram a público, disse ao jornal online João Carvalhosa, ex-chefe regional de Lisboa (2015-18), que defende que Faria não deveria tomar posse.

“Se fosse eu, por mais inocente que estivesse, salvaguardaria sempre o bom nome do CNE e não tomaria posse”, disse outra dirigente do Corpo Nacional de Escutas, ao mesmo tempo que surgem vozes a defender a realização de novas eleições.

Outro responsável, que toma o partido de Ivo Faria, disse, no entanto, que “se as pessoas têm perguntas já o poderiam ter feito”.

Já o presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família, da qual está dependente o CNE, assegurou que ainda não lhe chegou qualquer queixa sobre o assunto.

“A nós não nos chegou nada sobre isso, não podemos agir nem refletir sobre o assunto sem nos chegar nada”, disse o presidente da comissão e bispo auxiliar de Lisboa, Joaquim Mendes, citado pelo 7MARGENS, acrescentando que “quando chega um papel, a comissão dá atenção ao papel, tem de dar atenção ao que as pessoas dizem”.

A tomada de posse dos novos órgãos nacionais do CNE – que resultaram de eleições realizadas em 12 de janeiro – para o próximo mandato está agendada para o final da reunião do conselho nacional plenário da instituição, que deverá decorrer entre as 09:00 e as 17:00 na Paróquia de Santa Eulália de Balasar.

Continuar a ler

Populares