Seguir o O MINHO

Desporto

Darque Kayak Clube retira a inscrição de atletas de paracanoagem após ameaças

Do campenato nacional

em

Foto: Divulgação

A Darque Kayak Clube informou este fim de semana que decidiu retirar a inscrição dos seus dois atletas de paracanaogem federados da prova do campeonato nacional de regatas em linha KS1, para que os mesmos não sejam expostos a novas ameaças à sua integridade física, a comentários depreciativos ou injúrias.

Segundo o clube, três atletas portadores de deficiência intelectual, dois técnicos da DKC e um técnico de uma escola para deficiência, foram alvo de um comportamento por parte de um canoista (jovem e alheio à DKC) em maio, ao que tudo indica de ameaça de atropelamento, ao imprimir fortes acelerações e arranques bruscos em direção aos mesmos quando estes saiam do treino de água e se dirigiam ao Centro de Canoagem com os respetivos kayaks em plena passadeira. Foi reportado a quem de direito.

O Darque Kayak Clube, alega que a motivação desta ameaça contra os estes atletas e tecnicos prende-se provavelmente ao facto de quererem impedir que estes atletas participem na prova de paracanoagem, categoria KS1, destinada a atletas com deficiência intelectual no campeonato nacional de regatas em linha do dia 21 de julho de 2019, diz o DKC, em comunicado.

“Tem-se sentido nos últimos tempos a presença deste e outros canoistas alheios à DKC, nas horas, dias e locais de treino destes atletas portadores de deficiência intelectual, bem como à quase dois anos atletas, técnicos e dirigentes tem sido alvo sistemático de comportamentos de ameaças, injúrias e até de ofensas à integridade física”, pode ler-se no texto.

Leia o email enviado à organização do evento:
“Agradecendo a vossa pronta resposta, é nosso entendimento não estarem reunidas as condições mínimas de segurança para a participação dos nossos dois atletas de paracanoagem na categoria KS1, nomeadamente na categoria de deficiência intelectual.

Assim, sem medidas de segurança (ou acréscimo), é nosso entendimento que se poderá repetir o episódio de ameaças à integridade física grave e mesmo ameaças à vida por parte de canoista (s) federados, assim como episódios reiterados de violência no desporto tais como comentários depreciativos, ameaças, injurias…,

Pelo perfil dos nossos atletas não parece razoável submetê-los a tais comportamentos, nem parece razoável manchar uma prova que por si só, pelos seus intervenientes deveria ser mais nobre e consensual e não serem objeto desta componente negativa que está a viver uma parte da náutica de Viana.

Para preservar a integridade física e moral dos atletas portadores de deficiência mental, dos técnicos e dirigentes, bem como não prejudicar o espírito que deverá ser nobre da paracanoagem decidiu-se retirar a inscrição destes dois atletas do campeonato nacional de regatas em linha 2019 KS1”.

Lamentando o sucedido e esperando melhores dias para que exista algum esforço para repor os mais nobres valores da ética desportiva e do desporto sem violência

Anúncio

Futebol

Sá Pinto espera um Spartak de Moscovo ao nível dos ‘grandes’ em Portugal

Liga Europa

em

Foto: DR / Arquivo

O treinador do Sporting Clube (SC) de Braga, Ricardo Sá Pinto, disse hoje que os jogos do playoff de acesso à Liga Europa de futebol com o Spartak de Moscovo serão tão difíceis como os embates com os ‘grandes’ portugueses.

“Sem dúvida, será um jogo da mesma exigência [como com Benfica, FC Porto e Sporting]. Será um jogo muito difícil para nós, mas também para eles. É uma equipa muito madura, com jogadores internacionais nos diversos setores, com experiência e qualidade, muito perigosa no contra-ataque e no ataque rápido”, disse na conferencia de imprensa de antevisão da partida da primeira mão, que se realiza na quinta-feira, em Braga.

O técnico quer, por isso, um Braga muito cuidadoso: “temos que ser equilibrados em todos os momentos e agressivos defensivamente e não dar espaço a jogadores como Schurrle, Bakaev ou Ponce”, disse.

Para Sá Pinto, “os detalhes vão fazer a diferença nesta eliminatória”, considerando que “as duas equipas têm valor para passar à fase de grupos”.

“É importante fazer um bom resultado e isso passa por não sofrer e marcar: é o resultado que queremos para amanhã (quinta-feira)”, afirmou.

A Rússia é sexta classificada no ranking da UEFA e Portugal sétimo e, para Sá Pinto, esse é outro motivo para querer bater os moscovitas.

“Queremos fazer as duas coisas, ajudar o Braga a entrar na fase de grupos e Portugal através dessa qualificação”, disse.

O técnico não quis revelar se vai fazer alterações em relação ao ‘onze’ que começou o jogo em Alvalade, contra o Sporting, no domingo (derrota por 2-1), mas frisou que, seja qual for a equipa, isso não significa fazer gestão.

“Não faço gestão, faço uma convocatória a pensar que aqueles jogadores são os melhores para aquele jogo. Tenho muitos e bons jogadores, mas não os posso meter a todos. Estou muito satisfeito com a prestação de todos. Na quinta-feira jogarão os que têm as características ideais para começar este jogo”, disse.

Já o extremo Ricardo Horta frisou a vontade da equipa em chegar à fase de grupos.

“O Braga está a querer chegar perto dos ‘grandes’ e temos de estar nas competições europeias para mostrar quão fortes somos, vamos lutar por isso”, garantiu.

O Spartak de Moscovo já leva oito jogos oficiais esta época, o dobro dos do Braga, mas o jogador português considera que a equipa está preparada fisicamente para o embate.

“Estamos com muita ambição e ilusão para jogar este jogo, é um jogo difícil, mas é destes jogos que gostamos [e são estes] nos fazem crescer. Todo o plantel está pronto para jogar e certamente vamos fazer dois grandes jogos para esta grande equipa”, disse.

Questionado pelos jornalistas russos sobre a importância da Liga Europa para as equipas portugueses, Sá Pinto respondeu: “Em Portugal não descuramos nada, não abdicamos de nada, tudo é importante”.

SC Braga e Spartak de Moscovo defrontam-se a partir das 19:45 de quinta-feira, no Estádio Municipal de Braga, com arbitragem do espanhol Xavier Estrada Fernández.

Continuar a ler

Futebol

Liga Europa: Treinador do Vitória quer derrotar FCSB na Roménia

Liga Europa

em

Ivo Vieira Vitoria SC

O treinador Ivo Vieira assumiu esta quarta-feira que o Vitória SC quer surgir “competitivo e organizado” na Roménia para derrotar o FCSB, na quinta-feira, na primeira mão do playoff de acesso à Liga Europa de futebol.

Depois de, nas rondas anteriores, ter ultrapassado com distinção Jeunesse Esch, do Luxemburgo (triunfos por 1-0 e 4-0), e Ventspils, da Letónia (3-0 e 6-0), os portugueses vão disputar o acesso à fase de grupos com a equipa descendente do Steaua de Bucareste e estão, segundo o técnico, prontos para se imporem e vencerem a primeira mão.

“Esta é uma fase em que há muita responsabilidade de todos nós. Temos de lutar para que os resultados surtam a nosso favor. O playoff não vai mudar o que temos feito. Vamos com o intuito de ganhar, competitivos e organizados, como vamos para os outros jogos”, disse, na academia vitoriana, durante a antevisão ao jogo marcado para as 19:30 (hora de Lisboa).

O ‘timoneiro’ vitoriano realçou que o seu conjunto vai tentar encarar a partida somente concentrado em “ter bola, atacar e fazer golo”, de forma “equilibrada e consciente”, sem pensar muito num opositor que tem estado melhor na Liga Europa do que no campeonato.

Atual 11.º classificado da Liga romena, com quatro pontos em seis jogos, o FCSB ultrapassou o Milsami Orhei (Moldávia), o Alashkert (Arménia) e o Mladá Boleslav (República Checa) para chegar ao playoff.

Ivo Vieira lembrou que a turma romena tem apostado sobretudo na Liga Europa na fase inicial da época, com várias trocas nos onzes escolhidos para essa prova e para o campeonato, pelo seu técnico interino, Vergil Andronache, e frisou que o Vitória tem de fazer um esforço coletivo para travar o FCSB, em vez de se focar nos seus elementos mais cotados, como o extremo Florinel Coman.

“Pode haver algum atleta que faz o golo, que faz o passe, mas o coletivo é que pode resolver os problemas. Vamos ter atenção a alguns atletas que possam acrescentar algo ao jogo. O nosso adversário vai criar-nos problemas, mas não vamos estar focados num ou noutro jogador”, explicou.

Tal como aconteceu no Luxemburgo e na Letónia, o Vitória não vai jogar no recinto do adversário, a Arena Nacional, em Bucareste, mas sim no Estádio Marin Anastasovici, na cidade de Giurgiu, 60 quilómetros a sul, por imposição da UEFA.

O treinador do Vitória negou, contudo, que essa situação constitua um benefício para a sua equipa, tendo, por outro lado, rejeitado que o FCSB possa tirar alguma vantagem do maior número de partidas disputadas – já fez 12, contra seis dos portugueses.

Ao lado de Ivo Vieira, o lateral esquerdo Florent atribuiu favoritismo na eliminatória ao FSCB, por ser o cabeça de série, mas lembrou a ambição vimaranense em chegar à fase de grupos.

O encontro será arbitrado pelo esloveno Matej Jug.

Continuar a ler

Desporto

Portugueses ganham medalhas de ouro e prata nos Mundiais para Transplantados

Em natação

em

Foto: DR

Nas provas de natação realizadas na terça-feira, André Jorge venceu duas medalhas de ouro, nos 100 metros bruços e nos 100 metros livres, e Maria João Taborda conseguiu a medalha de prata nos 100 metros bruços.

Dois atletas portugueses conseguiram duas medalhas de ouro e uma de prata nos Jogos Mundiais para Transplantados 2019 que decorrem em Newcastle, Reino Unido, disse hoje à Lusa a responsável pela delegação de Portugal Sofia Santos.

Nas provas de natação realizadas na terça-feira o atleta André Jorge venceu duas medalhas de ouro, nos 100 metros bruços e nos 100 metros livres, e a nadadora Maria João Taborda conseguiu a medalha de prata nos 100 metros bruços.

A delegação portuguesa é constituída por cinco atletas que se repartem pelas modalidades de natação, petanca, atletismo, ténis e ténis de mesa.

Hoje vão estar quatro atletas portuguesas em competições de ténis e natação e na quinta-feira, atletismo e ténis de mesa.

“É preciso quebrar o mito de que não se pode fazer desporto após um transplante. É claro que temos de ter acompanhamento médico, temos de fazer exames complementares necessários, mas é possível. Este é o nosso testemunho e é claro que se vierem medalhas melhor, mas o importante é conseguirmos estar aqui porque esta é uma segunda oportunidade de vida para nós”, disse à Lusa Sofia Santos, do Grupo Desportivo de Transplantados de Portugal.

O grupo é uma associação promotora do desporto, reconhecida pela Instituto do Desporto que desempenha o papel de uma federação.

Nos jogos mundiais participam atletas com transplante de “órgão sólido: coração, rim ou fígado”.

“O importante destes jogos é a integração, a reabilitação e a inclusão através do desporto. Em Portugal falta divulgação. Vamos encontrando novos sócios. Temos apenas 70 sócios. Há muito trabalho a fazer, sobretudo, junto de pessoas que foram sujeitas a um transplante e que não praticavam desporto”, afirma Sofia Santos, atleta de ténis de mesa.

A chefe da delegação portuguesa aos jogos mundiais refere ainda que há um compromisso de prática desportiva por parte dos participantes e que é mais fácil para os transplantados que já praticavam desporto voltarem a praticar desporto após o transplante, mas frisa que a prática desportiva não se limita aos que já praticavam uma modalidade antes da doença.

“É normal que haja algum receio de rejeição após o transplante, temos de ter alguns cuidados”, diz.

A presença de Portugal nestas competições internacionais ocorre desde 1989, mas não tem sido regular.

Nos jogos mundiais, que realizam-se nos anos ímpares, participam apenas transplantados, sendo que nos jogos europeus, que se realizam ‘nos anos pares’, participam transplantados e hemodialisados.

De acordo com a organização dos Jogos Mundiais para Transplantados 2019, que se realizam entre 17 e 23 de setembro em Newcastle (http://worldtransplantgames.org/), estão envolvidos mais de 2.300 atletas e apoiantes de diferentes idades inscritos em 16 modalidades.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares