Seguir o O MINHO

Braga

Curso de Química da UMinho tem ‘montes’ de saídas profissionais

Garante Dulce Geraldo, docente da disciplina

em

Foto: DR

Porquê estudar Química? A resposta à pergunta é da docente da disciplina na UMinho, Dulce Geraldo, em entrevista a O MINHO, na qual fala da diminuição de professores da disciplina nas escolas e na falta de alunos nas universidades. Isto, apesar de o curso ter ‘montes’ de saídas profissionais.

Ao que julgamos saber, começa a haver falta de professores de Química e o número de alunos do ensino secundário que procura a licenciatura tem diminuído em várias universidades, incluindo na UMinho. Porquê?

Ao longo das últimas semanas, tem sido notícia a falta de professores nos diversos níveis de ensino, prevendo-se que até 2030 irão aposentar-se 39% dos atuais profissionais. As projeções apontam que é na zona Norte onde as escolas terão mais carências. Esta falta de professores é transversal às diferentes áreas científicas.

Poder-se-á questionar sobre a razão porque isto acontece. Provavelmente haverá uma multiplicidade de fatores, mais ou menos transversais, nos quais se incluem a falta de reconhecimento da profissão, a instabilidade da mesma decorrente das colocações. Para além disso haverá, com certeza fatores que diferem com a área científica.

No que à Química diz respeito, a perceção pública desta área científica é bastante negativa pois normalmente é associada a problemas diversos, nomeadamente poluição. Não podia ser uma perceção mais errada!

Química tem papel fundamental

Foto: DR

Perceção errada porquê?

A Química desempenha um papel fundamental na vida de todos, satisfazendo as necessidades de alimentação, vestuário, saúde, energia, ambiente, águas e solos limpos. Os avanços realizados pelos químicos melhoram a qualidade de vida de diversas formas, criando novas soluções para problemas de saúde, desenvolvendo novos materiais e energias mais limpas. De facto, o estudo da Química é extremamente útil e importante e envolve, de alguma forma, quase todos os aspetos da nossa existência.

A Química é considerada a ciência central porque liga a Física e a Matemática, a Biologia e a Medicina, as Ciências da Terra e do Ambiente. Assim, pela sua capacidade em compreender e relacionar diferentes aspetos do quotidiano, os químicos detêm conhecimento e competência científica para enfrentar e criar soluções para os problemas com que a sociedade moderna se depara.

Muitas saídas profissionais

Fala em soluções para os problemas atuais… Como?

Efetivamente, um químico pode estudar o mecanismo de recombinação das moléculas de ADN, avaliar a quantidade de poluentes emergentes na água potável, quantificar o teor proteico das carnes, desenvolver novos fármacos, melhorar processos energéticos, desenvolver novos materiais com propriedades específicas, entre muitas outras atividades.

Perante isto, é possível perceber que o estudo da Química proporciona uma excelente base para a compreensão do Mundo em que vivemos, permitindo escolher entre uma grande variedade de profissões interessantes e úteis. Um licenciado em Química tem uma diversidade grande de saídas profissionais desde uma carreira na indústria química desenvolvendo novos produtos (materiais têxteis e matérias plásticas, detergentes, cosméticos, conservantes, corantes e aromatizantes, fármacos…), passando por biotecnologia, gestão de resíduos perigosos, conservação de arte, ciência forense e investigação criminal, ambiente, oceanografia, empresas de prestação de serviços, de consultoria e de auditoria, por exemplo.

Habilitação para a docência

Claro que outra saída profissional será ser Professor de Físico-Química (3º ciclo do Ensino Básico) ou de Física e Química A (Ensino Secundário). Após a conclusão da licenciatura, o ingresso no Mestrado em Ensino de Física e de Química confere habilitação profissional para a docência.

Os licenciados em Química orgulham-se do grau que obtiveram e ficam para sempre ligados aos colegas, aos docentes e ao curso, tal como é percetível por vários depoimentos de antigos alunos da Licenciatura em Química da UMinho (aqui).

Populares