Seguir o O MINHO

Futebol

Cristiano Ronaldo ganha prémio ‘Golden Foot’ 2020

Futebol

em

Foto: DR / Arquivo

O português Cristiano Ronaldo conquistou hoje o ‘Golden Foot’ 2020, um prémio que vai na 18.ª edição e é destinado a futebolistas com mais de 28 anos, que o podem vencer por uma só vez.

“Adeptos de todo o mundo escolheram o melhor jogador de futebol de 2020, entregando o 18.º Prémio ‘Golden Foot’ a Cristiano Ronaldo. A estrela da Juventus e da seleção de Portugal obteve o maior número de votos entre os 10 candidatos selecionados este ano”, refere a organização.

Aos 35 anos, o campeão italiano pela Juventus, que sucede ao médio croata Luka Modric, com quem jogou no Real Madrid, conquista mais um prémio, este inédito na sua carreira.

‘CR7’ superiorizou-se a outras estrelas, como o argentino Lionel Messi, do FC Barcelona, o polaco Robert Lewandowski, do Bayern Munique, ao seu colega italiano da Juventus Giorgio Chiellini, ao argentino do Manchester City Sergio Aguero, ao brasileiro Neymar do Paris Saint-Germain, ao espanhol Sergio Ramos do Real Madrid, ao egípcio Mohamed Salah do Liverpool, ao espanhol Gerard Piqué do FC Barcelona e ao chileno Arturo Vidal do Inter.

Os 10 finalistas que são escolhidos para irem à votação do público foram designados por um painel de jornalistas internacionais.

Pela primeira vez, foi atribuído o prémio ‘Golden Foot Prestige’, homenageando o italiano Andrea Agnelli, presidente da Juventus, que ganhou nove campeonatos italianos seguidos e conquistou 17 troféus em 10 anos.

A organização do Golden Foot recorda que não realizou a habitual gala, no Mónaco, devido à pandemia de covid-19.

Anúncio

Futebol

“Parte do relvado era para patinagem artística”

Carlos Carvalhal

Imagem: Next / SC Braga

Declarações após o jogo Paços de Ferreira-SC Braga, que terminou com a vitória dos pacenses, por 2-0, da 14.ª jornada da I Liga de futebol:

Carlos Carvalhal (treinador do SC Braga): “Antes de mais, quero dar os parabéns ao Paços pela vitória. Fizemos uma abordagem boa, dominámos completamente na primeira parte, com quatro boas oportunidades para marcar, e não permitimos que o Paços chegasse perto da nossa baliza.

O Esgaio e o Galeno são importantes nos corredores e sentiram dificuldades em cada uma das partes, porque houve um corredor que não deu para jogar.

Quem marcasse primeiro, em função das condições do relvado, ficaria com vantagem, porque depois bastava defender apenas numa parte do relvado, uma vez que do outro era patinagem artística.

Criámos boas oportunidades, entrámos bem na segunda parte, o Abel podia ter marcado, depois há o golo do Paços e, animicamente, acabámos por cair um pouco. No momento em que íamos fazer as substituições, sofremos o segundo. Houve uma reação da nossa parte, tentámos até ao final chegar à baliza, mas o Paços começou a jogar em contra-ataque”.

Pepa (treinador do Paços de Ferreira): “Jogámos contra uma equipa tremenda, que tem um treinador de excelência e só um Paços a roçar a perfeição conseguiria ganhar.

Vencemos com a inteligência dos jogadores. Entrámos com as linhas juntas, sabíamos que íamos ter dificuldades, porque o Braga varia muito o sistema. Já o tinha dito na antevisão que íamos defrontar um adversário muito complexo, que varia o sistema com facilidade e com os mesmos jogadores.

Na segunda parte, percebemos o que tínhamos a fazer, alargando mais o campo para dar espaço para os nossos interiores, e o golo do Bruno surgiu com esse espaço alargado que demos ao jogo, o que nos deu confiança.

O melhor que nos podia ter acontecido foi o zero na nossa baliza, depois tivemos mais bola na segunda parte e os golos surgiram com naturalidade.”

Continuar a ler

Futebol

Relvado gelado obriga a adiar jogo do Vitória para amanhã

I Liga

Imagem: Sport TV

O jogo Vitória SC-Farense, da 14.ª jornada da I Liga de futebol, foi hoje adiado para as 18:00 de domingo, devido ao gelo existente sob parte do relvado do estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

“Relvado condicionado pelo gelo adia o jogo Vitória SC-SC Farense. O encontro está agora agendado para domingo, às 18:00”, lê-se numa mensagem publicada pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional, na rede social Twitter.

Depois de ter atrasado o início da partida por 30 minutos, o árbitro Fábio Veríssimo voltou ao relvado às 18:30 e entendeu não estarem reunidas as condições para o encontro entre minhotos e algarvios se realizar hoje.

O gelo encontra-se em torno de uma das grandes áreas, junto à bancada sul do Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, onde a exposição solar do relvado é menor.

Alguns funcionários do clube tentaram derreter esse gelo, resultante da temperatura a rondar os zero graus que se tem sentido na ‘cidade berço’, com picadores e com água quente, mas abandonaram esse esforço mal Fábio Veríssimo deixou pela segunda vez o relvado.

Vitória de Guimarães, sexto classificado da I Liga, com 20 pontos, e Farense, 13.º, com 12, fizeram os exercícios de aquecimento, mas recolheram aos balneários por volta das 18:00, regressando somente ao relvado do Estádio D. Afonso Henriques no domingo.

Continuar a ler

Futebol

Braga, derrotado em Paços de Ferreira, fica mais longe do pódio

I Liga

Foto: SC Braga

O SC Braga perdeu hoje, por 2-0, em Paços de Ferreira, frente à equipa local, em jogo a contar para a 14.ª jornada da Liga portuguesa de futebol.

Após o ‘nulo’ verificado ao intervalo, entraram melhor os pacenses na segunda metade, adiantando-se aos 57 minutos, com um golo de Bruno Costa, e ampliando aos 76, através de Hélder Ferreira.

Com esta vitória, o Paços de Ferreira reforça a sua quinta posição, agora com 25 pontos, apenas menos dois do que o quarto classificado, precisamente o SC Braga, que assim, nesta ronda, não aproveitou os empates registados por Sporting, FC Porto e Benfica, as três equipas acima na tabela.

As duas equipas iniciaram o jogo num encaixe tático, em ‘4-3-3’ (João Amaral rendeu no ‘onze’ do Paços Luther Singh, cedido pelos bracarenses, que se apresentaram pelo segundo jogo consecutivo sem Paulinho, lesionado), e os primeiros minutos foram marcados por muitos passes errados, de parte a parte, mas cedo se percebeu que a maior qualidade individual dos bracarenses ia obrigar os locais a cuidados redobrados.

O Braga alternava entre passes longos para os corredores laterais e aproximações em apoios mais curtos para chegar perto da área de Jordi, mas, na maior parte das vezes, houve alguma cerimónia no remate, faltando, consequentemente, melhor definição.

O Paços, tal como antecipara Pepa, procurava fechar todos os espaços e ajustar-se às movimentações contrárias, sem nunca deixar de espreitar o ataque, hoje compreensivelmente mais limitado a transições e bolas paradas, num campo mais ‘estreito’ por força do gelo acumulado numa das laterais e que dificultou muito a manobra das duas equipas.

Seria mesmo na sequência de um canto, as 35 minutos, que Marco Baixinho dispôs da melhor situação para marcar, na sequência de um cabeceamento ao primeiro poste.

Foi a resposta do Paços aos melhores momentos do Braga no primeiro tempo, concretamente a um cabeceamento de Ricardo Esgaio, em apoio ao ataque, aos 18 minutos, e a uma triangulação pela esquerda, aos 25, concluída num remate de Fransérgio apenas travado por Jordi.

O extremo Iuri Medeiros rendeu o médio defensivo Al Musrati ao intervalo, numa aposta mais ofensiva do Braga, mas o Paços começou a aproveitar os espaços e aos poucos foi perdendo o respeito pelo adversário, acabando por ser premiado aos 57 minutos.

Bruno Costa recebeu a bola na esquerda, fletiu para o meio e rematou cruzado, levando a bola a desviar no poste antes de entrar na baliza do desamparado Matheus, que voltaria a ser batido aos 76, por Hélder Ferreira, na insistência a uma bola no ‘ferro’ após livre lateral.

O Braga, que falhou o empate aos 68 minutos, numa espécie de penálti em andamento por Ricardo Horta, nunca deixou de tentar o golo, mas acabaria por falhar o objetivo e perder o quinto jogo no campeonato.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio Capital do Móvel, em Paços de Ferreira.

Paços de Ferreira – SC Braga, 2-0.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores:

1-0, Bruno Costa, 57 minutos.

2-0, Hélder Ferreira, 76.

Equipas:

– Paços de Ferreira: Jordi, Fernando Fonseca, Marco Baixinho, Maracás, Uilton, Stephen Eustáquio, Luiz Carlos (Diaby, 78), Bruno Costa, João Amaral (Adriano Castanheira, 69), Douglas Tanque (João Pedro, 77) e Hélder Ferreira (Pedro Rebocho, 90+1).

(Suplentes: Michael, Pedro Rebocho, Marcelo, Diaby, Ibrahim, Matchoi, Adriano Castanheira, Lucas Silva e João Pedro).

Treinador: Pepa.

– SC Braga: Matheus, Ricardo Esgaio, Bruno Viana, David Carmo, Sequeira, Al Musrati (Iuri Medeiros, 46), André Castro (André Horta, 75), Fransérgio, Ricardo Horta (Lucas Piazón, 82), Abel Ruiz (Guilherme Schettine, 62) e Galeno (João Novais, 62).

(Suplentes: Tiago Sá, Vítor Tormena, Raul Silva, João Novais, André Horta, Lucas Piazón, Iuri Medeiros, Vítor Oliveira e Guilherme Schettine).

Treinador: Carlos Carvalhal.

Árbitro: Nuno Almeida (AF Algarve).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Galeno (62), Iuri Medeiros (85) e Diaby (90).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Continuar a ler

Populares