Seguir o O MINHO

Barcelos

Têxtil Becri, em Barcelos, perde 30 ‘chefes’ para quarentena após caso positivo

Covid-19

em

Foto: Divulgação

A fábrica do grupo têxtil Becri, com sede no parque industrial de Alvelos, em Barcelos, perdeu para quarentena quase todos os quadros de chefia depois de um elemento próximo da administração ter acusado positivo num teste à Covid-19, disse um dos administradores a O MINHO.

De acordo com Américo Alves, um dos quatro administradores, foi registado um caso de Covid-19 por entre os quadros da empresa, o que levou a que cerca de 30 pessoas fossem colocadas em quarentena obrigatória, todas elas ligadas a funções de chefia.

“Esteve cá o delegado de Saúde de Barcelos e em conjunto com a DGS foi decidido colocar os contactos diretos da pessoa em causa em quarentena, pelo que continuamos a laborar, mas quase sem chefias”, explica.

Acrescenta que isso poderá mudar, uma vez que existirá uma reunião na sexta-feira para se decidir se a empresa fecha ou não.

“Hoje e amanhã continuamos a trabalhar, mas amanhã vamos decidir, e até podem surgir novas indicações das autoridades da saúde que nos leve a fechar a empresa, mas para já ainda não há essa indicação”, sublinha Américo Alves.

O administrador explica que, de todos os casos em quarentena, ninguém apresentava sintomas até ao dia de ontem, pelo que não se terá efetuado testes de despistagem aos mesmos, ao contrário da pessoa infetada.

O Grupo Becri, com um volume de negócios superior a 45 milhões de euros, emprega mais de 400 trabalhadores diretos, divididos por empresas em Barcelos e Esposende, mas abarca um universo de 2 mil pessoas, se se considerarem também os trabalhadores indiretos.

Anúncio

Barcelos

Festa das Cruzes cancelada em Barcelos

Covid-19

em

Foto: Divulgação / Arquivo

A Festa das Cruzes, em Barcelos, não se vai realizar este ano. A medida foi anunciada hoje pelo presidente da autarquia, Miguel Costa Gomes, em videoconferência para fazer um balanço da situação da epidemia Covid-19 no concelho, cujo pico está previsto para maio.

Conhecida como a primeira grande romaria do calendário de festividades do Minho, a Festa das Cruzes tem o seu ponto alto nos primeiros dias de maio.

O presidente da Câmara de Barcelos pondera, ainda, o cancelamento de todos os eventos promovidos pela autarquia, até final de junho, decisão que deverá ser confirmada nos próximos dias.

Miguel Costa Gomes anunciou ainda a cedência do Pavilhão Municipal ao Hospital de Barcelos, o qual já está a ser usado pelos colaboradores como base de apoio daquela unidade hospitalar.

Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral de Saúde desta segunda-feira, com os números aproximados daquilo que são os casos fidedignos de infeções por Covid-19 discriminados por concelho, Barcelos tem atualmente 35 casos.

Os números correspondem aos dados recolhidos até as 00:00 de segunda-feira e podem comportar apenas cerca de 75% dos casos reais. Em todo o Minho, estão confirmados 505 casos de infeção.
Braga, com 213 casos confirmados, Guimarães com 75 e Famalicão com 71 são os concelhos da região mais atingidos pela pandemia.

Continuar a ler

Barcelos

Utentes de lar em Barcelos não infetados serão transferidos para hospital particular

CASP – Centro de Apoio e Solidariedade da Pousa

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Os utentes do Centro de Apoio e Solidariedade da Pousa (CASP), em Barcelos, estão hoje a fazer os testes de despistagem da covid-19, com vista à transferência dos não infetados para uma unidade de saúde particular do concelho.

O anúncio foi feito pelo presidente da Câmara de Barcelos, Miguel Costa Gomes, numa conferência de imprensa por videoconferência.

Segundo o autarca, o CASP “não tem condições internas”, tanto a nível de instalações como de pessoal, para garantir o necessário isolamento, separando os infetados dos não infetados.

“Vamos retirar do lar os que não estão infetados e colocá-los uma unidade de saúde privada”, acrescentou.

No domingo, o presidente da direção do CASP, Joaquim Pereira, disse à Lusa que já estavam contabilizados cinco idosos e quatro funcionárias infetados com covid-19.

Os cinco utentes que testaram positivo estão em isolamento na instituição e assim deverão continuar se permanecerem, como atualmente, “estáveis”. Os restantes 19 utentes mantinham-se assintomáticos.

Das 31 funcionárias que a instituição possui, e ainda segundo Joaquim Pereira, só “menos de meia dúzia” estava ao serviço. Das restantes, quatro estão em casa após terem testado positivo para a covid-19 e as outras ou apresentam sintomas da doença, ou estão em quarentena, incluindo as duas enfermeiras da instituição.

Hoje, estão a ser feitos testes a todos os utentes e funcionários, para apurar o real ponto da situação.

Segundo o presidente da câmara, o caso da Pousa é, em termos de instituições, o “mais difícil” no concelho, uma vez que evoluiu “de uma forma muito rápida”. De resto, acrescentou o autarca, está “tudo sereno”.

No concelho, há 650 utentes em lares, contando-se ainda 646 em centros de dia e 444 que têm apoio domiciliário.

Portugal regista hoje 140 mortes com covid-19, mais 21 do que na véspera (+17,6%), e 6.408 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 446 em relação a domingo (+7,5%).

Dos infetados, 571 estão internados, 164 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Continuar a ler

Barcelos

Estudante do IPCA cria aplicação para pedir medicamentos às farmácias

Covid-19

em

Foto: Ilustrativa / DR

Chama-se Rui Fernandes, frequenta o mestrado em Engenharia Informática do IPCA, e criou a aplicação Farmaemcasa, que pretende afastar os portugueses das farmácias nesta altura critica que o país atravessa, foi hoje anunciado.

Em comunicado divulgado pelo politécnico, Rui Fernandes, fundador da We Make It , refere que o objetivo desta aplicação é servir “as pessoas que estão em casa e necessitam de algum medicamento ou produto farmacêutico”.

Através da aplicação, a pessoa pode “fazer o pedido”, assim que o mesmo estiver pronto “pode fazer o levantamento na farmácia”. Em alguns casos em que as farmácias façam entregas ao domicílio evita que em nenhum momento “a pessoa tenha que sair de casa”.

O objetivo é impedir as habituais filas nas farmácias portuguesas, situação que tende a agravar-se com o aumento de contágios da Covid-19 e com as novas regras de atendimento nestes espaços.

No desenvolvimento da aplicação estiveram envolvidos outros estudantes do IPCA: Sérgio Cruz, Bruno Silva, José Rocha e Luís Macedo.

A aplicação está já disponível para Android e iOS e pode ser descarregada sem qualquer custo associado:

Pode ser descarregada aqui.

Continuar a ler

Populares