Seguir o O MINHO

Alto Minho

Covid-19: Quatro doentes recuperados em Melgaço e dois em Monção

Covid-19

em

Foto: Ilustrativa / DR

Os Municípios de Melgaço e Monção, da raia minhota, anunciaram hoje cinco casos recuperados, que se juntam a um já existente.


Em Melgaço, foram quatro os infetados com covid-19 que testaram negativo por duas vezes nos testes de despistagem, sendo considerados recuperados.

De acordo com uma publicação nas redes sociais do Município de Melgaço, o lote de recuperados é composto por duas trabalhadoras do Lar Pereira de Sousa e dois habitantes da freguesia de Parada do Monte.

 

No que diz respeito ao Lar Pereira de Sousa, que aloja mais de 50 utentes, estavam 31 pessoas infetadas, entre utentes e trabalhadoras, com o número a descer agora para 29.

Já na aldeia de Parada de Monte, que viu o cordão sanitário ser levantado no início da semana, regista assim um decréscimo do número de infetados de 9 para 7.

Melgaço levantou cordão sanitário em aldeia: “População respeitou de forma exemplar as medidas”

O cerco sanitário na aldeia de Parada do Monte, com 370 habitantes, vigorou durante 20 dias, após a confirmação do terceiro caso de infeção pelo novo coronavírus. Cinco pessoas foram hospitalizadas mas quatro já recuperam em casa.

Em termos concelhios, Melgaço regista 69 infetados (DGS confirma 32), cinco óbitos e quatro recuperados.

No que diz respeito a Monção, a autarquia anunciou através das redes sociais que se registou no sábado o segundo caso recuperado, elevando para dois o número de pessoas no concelho que estiveram infetadas e já não transportam o vírus da covid-19.

“Trata-se de um indicador tranquilizador e encorajador para todas as pessoas que, diariamente, combatem este flagelo social, revelando-se como um sinal de esperança e confiança no futuro”, escreve a autarquia.

O Município dá conta de 60 casos registados no sábado (DGS confirma 54 no relatório deste domingo), dois recuperados, um óbito, 106 pessoas em quarentena e 236 em isolamento profilático.

Anúncio

Alto Minho

Morreu um dos feridos da explosão em fábrica de borracha em Melgaço

Aflex – Indústria de Borrachas

em

Foto: Google Maps

Um homem de 22 anos morreu hoje na sequência de uma explosão numa fábrica de borracha, em Melgaço, e uma mulher de 29 anos em estado grave foi transportada ao hospital, disse à Lusa fonte do INEM.

A fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) explicou que a mulher, que “não corre risco de vida, foi transportada ao hospital de São João, no Porto”.

A mesma fonte adiantou que o alerta foi dado cerca das 15:08, tendo sido deslocadas para o local duas ambulâncias de Suporte Imediato de Vida (SIV), uma estacionada em Melgaço e outra em Valença, a Viatura de Emergência Médica (VMER) do hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo e uma unidade móvel de intervenção em psicologia de emergência.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viana do Castelo disse que são ainda “desconhecidas as causas da explosão que não originou incêndio”.

O alerta ao CDOS foi dado cerca das 15:04.

No total, compareceram ao local 16 operacionais e cinco viaturas, entre elas dos Bombeiros de Melgaço.

De acordo com o CDOS, a explosão foi comunicada à Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) de Viana do Castelo.

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara de Melgaço, Manoel Batista, disse que a Aflex Portugal-Indústria de Borrachas, instalada na zona industrial de Penso emprega cerca de 100 trabalhadores e “é a maior produtora de tubos de borracha para indústria automóvel do distrito de Viana do Castelo”.

Continuar a ler

Alto Minho

Explosão em fábrica de borrachas faz dois feridos graves em Melgaço

Zona industrial

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Uma explosão numa fábrica de tubos de borracha para a indústria automóvel, na zona industrial de Penso, em Melgaço, provocou hoje ferimentos graves em dois trabalhadores, disse fonte da proteção civil.

ATUALIZAÇÃO:

Morreu um dos feridos da explosão em fábrica de borracha em Melgaço

Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viana do Castelo, “os dois feridos, uma mulher e um homem, ainda estão a ser avaliados no local”.

Aquela fonte adiantou que “são ainda desconhecidas as causas da explosão que não originou incêndio”.

O alerta foi dado cerca das 15:04.

No local compareceram dez operacionais e cinco viaturas dos bombeiros locais, duas ambulâncias de Suporte Imediato de Vida (SIV), uma estacionada em Melgaço e outra em Valença, e a Viatura de Emergência Médica (VMER) do hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo.

A explosão foi comunicada à Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) de Viana do Castelo.

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara de Melgaço, Manoel Batista, disse que a Aflex Portugal-Indústria de Borrachas, emprega cerca de 100 trabalhadores e “é a maior produtora de tubos de borracha para indústria automóvel do distrito de Viana do Castelo”.

Notícia atualizada às 16h31 com mais informação.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Despiste corta A28 em Viana do Castelo

Acidente

em

Foto: Custódio Santos

Um despiste na A28, em Viana do Castelo, levou ao corte do trânsito no sentido Norte / Sul, na tarde desta segunda-feira, disse a O MINHO fonte do CDOS. Do acidente resultou um ferido ligeiro que foi transportado para o Hospital de Viana do Castelo.

A circulação normal já foi entretanto retomada.

O acidente, envolvendo um táxi, deu-se ao quilómetro 78,2, em circunstâncias por apurar.

O alerta foi dado às 14:42.

No local estiveram os Bombeiros Voluntários de Viana e os Bombeiros Sapadores de Viana.

A GNR registou a ocorrência.

Foram mobilizados, no total, 16 operacionais e cinco viaturas.

Continuar a ler

Populares