Seguir o O MINHO

Região

Covid-19: Incidência ‘dispara’ na maioria dos concelhos do Minho

Atualização da DGS

em

Foto: Arménio Belo / CM Viana do Castelo / Arquivo

A incidência ‘disparou’ em praticamente todos os concelhos do distrito de Braga, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde desta sexta-feira. Só Terras de Bouro se mantém abaixo dos 100 casos por 100 mil habitantes, mas mesmo assim subiu em relação à semana passada. No Alto Minho, subiu em sete dos 10 concelhos. Disparou em Viana (que está em alerta) e em Cerveira e voltou a subir em Paredes de Coura (que já estava em risco elevado). Melgaço é o único concelho a zero.

Como anunciado ontem pelo Governo, Braga, Guimarães, Famalicão, Barcelos e Paredes de Coura têm restrições por terem uma taxa de incidência acima do limite de risco (120 para os concelhos de alta densidade, 240 para os de baixa densidade). Em todos a incidência disparou: Braga de 172 para 210, Guimarães de 133 para 211, Famalicão de 179 para 260, Barcelos de 135 para 178 e Paredes de Coura de 248 para 283.

Viana do Castelo, Fafe e Vizela também subiram e ultrapassam os respetivos limites, sendo que, se os valores se mantiverem ou subirem na próxima semana, retrocedem no desconfinamento.

Viana do Castelo passou de 92 para 151, Fafe de 184 para 289 e Vizela de 109 para 151.

Certo é que em quase todos os concelhos do Minho houve subidas e muitos arriscam-se para a semana a entrar em situação de alerta.

Segundo o boletim, referente ao período entre 01 e 14 de julho, todos os concelhos do distrito de Braga registaram subidas da incidência e as taxas são as seguintes: Braga (210 por 100 mil habitantes), Guimarães (211), Barcelos (178), Famalicão (260), Vila Verde (120), Amares (111), Póvoa de Lanhoso (116), Vieira do Minho (153), Fafe (289), Esposende (100), Vizela (151), Celorico de Basto (159), Terras de Bouro (63) e Cabeceiras de Basto (116).

Já no Alto Minho, a incidência subiu em sete dos dez concelhos: Viana, Monção, Arcos de Valdevez, Paredes de Coura, Ponte de Lima, Valença e Cerveira. Manteve-se em Caminha e Ponte da Barca e só desceu em Melgaço, que agora está a ‘zeros’.

No distrito de Viana registam-se as seguintes taxas de incidência por 100 mil habitantes: Viana do Castelo (151), Cerveira (124), Caminha (32), Ponte da Barca (36), Monção (73), Arcos de Valdevez (72), Melgaço (0), Paredes de Coura (283), Ponte de Lima (88) e Valença (53).

No Minho há 13 concelhos que são considerados de baixa densidade e, por isso, o limite de risco é 240. No distrito de Braga, os concelhos de baixa densidade são Vila Verde, Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Fafe, Terras de Bouro, Póvoa de Lanhoso e Vieira do Minho. No distrito de Viana do Castelo são Arcos de Valdevez, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Ponte da Barca e Cerveira.

Os restantes são considerados de alta densidade e por isso têm como limite de risco os 120 casos por 100 mil habitantes.

Populares