Seguir o O MINHO

País

Covid-19 é pretexto para regredir décadas em conquista de direitos, diz PCP

Política

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

O secretário-geral do PCP alegou hoje que a pandemia de covid-19 está a ser utilizada como pretexto para se tentar fazer regredir décadas em conquistas de direitos, através do que apelidou de “teorias do ‘novo normal'”.


Jerónimo de Sousa deixou esta mensagem, em tom de alerta, numa intervenção na Voz do Operário, em Lisboa, na abertura de uma conferência do PCP para assinalar o bicentenário do nascimento do filósofo alemão Friedrich Engels, que escreveu com Karl Marx o “Manifesto do Partido Comunista”.

De acordo com o secretário-geral do PCP, “à sombra da pandemia” de covid-19, está a ser lançada uma “nova onda de centralização, concentração do capital, utilizando a pandemia como pretexto para intensificar a exploração dos trabalhadores e a opressão neocolonialista dos povos, tentando assim desequilibrar ainda mais a repartição da riqueza ao nível mundial em favor do capital”.

“É essa mesma natureza que está na origem das teorias do ‘novo normal’ com que tentam desenhar um novo quadro de relações sociais e políticas, onde o individualismo, o isolamento, a inexistência de perspetivas coletivas, o medo, a repressão, o conformismo, a compartimentação de direitos e o obscurantismo são usados para fazer regredir décadas de conquistas em direitos laborais – incluindo no próprio conceito de relação laboral -, sociais e democráticos”, sustentou.

Segundo Jerónimo de Sousa, “ao mesmo tempo, intensifica-se a corrida aos armamentos e multiplicam-se os focos de tensão e ingerências de agressões contra Estados soberanos, e os setores mais reacionários e agressivos do imperialismo jogam cada vez mais no fascismo e na guerra como ‘saída’ para as insanáveis contradições do sistema capitalista”.

“A luta de classes, que a classe dominante gostaria de ‘confinar’, tende e está a agudizar-se”, considerou, defendendo que “a exigência da superação revolucionária do capitalismo é mais atual e necessária do que nunca”.

Sem falar em casos concretos, o secretário-geral do PCP advertiu que há “vastas manobras em curso para desenvolver novas fileiras de acumulação capitalista nomeadamente no plano tecnológico e ambiental” e uma “espessa cortina ideológica de mentira, desinformação, manipulação, que visa conter a luta dos trabalhadores e dos povos”.

Anúncio

País

Vacina contra a covid-19 deve chegar ainda este ano, anuncia a OMS

Programa Covax

em

Foto: DR / Arquivo

O presidente da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, confirmou que a vacina contra o novo coronavírus deve chegar ainda este ano.

“Vamos precisar de vacinas e há esperança de que até o final deste ano possamos ter uma vacina”, disse Ghebreyesus numa reunião de executivos da OMS.

O programa Covax, que conta com a adesão de 168 países, tem nove vacinas experimentais em preparação que irão permitir a distribuição de dois biliões de vacinas contra a covid-19 até ao final de 2021.

Covid-19: OMS apela aos governos que combatam cansaço da população

A zona da OMS na Europa, que inclui 53 países, incluindo a Rússia, tem mais de 6,2 milhões de casos oficiais de covid-19 e quase 241 mil mortes relacionadas com o novo coronavírus, de acordo com a tabela de vigilância da organização.

Em todo o Mundo, a covid-19 já provocou mais de um milhão e trinta mil mortos e mais de 35,2 milhões de casos de infeção.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

País

Nomeados para melhor ato português dos prémios europeus da MTV revelados

Uma das categorias regionais dos prémios de música

em

Diogo Piçarra. Foto: DR / Arquivo

Os cantores Bárbara Bandeira, Bispo, Dino D’Santiago, Diogo Piçarra e Fernando Daniel estão nomeados para o “Best Portuguese Act”, uma das categorias regionais dos prémios de música do canal de televisão MTV, foi hoje anunciado.

“Já são conhecidos os nomeados da 27.ª edição dos MTV EMAs [European Music Awards] 2020, transmitida no dia 08 de novembro a partir das 19:00. Bárbara Bandeira, Bispo, Dino D’Santiago, Diogo Piçarra e Fernando Daniel são os artistas nomeados para ‘Best Portuguese Act’, a categoria que vai eleger o melhor de Portugal. As votações já estão a decorrer em https://www.mtvema.com/pt-pt”, refere a MTV Portugal num comunicado hoje divulgado.

Dos cinco nomeados, Dino D’Santiago é o único estreante nesta categoria dos prémios europeus de música da MTV (EMA, na sigla em inglês). Bárbara Bandeira e Bispo foram nomeados em 2018, ano em que o vencedor foi Diogo Piçarra, já várias vezes nomeado. Fernando Daniel foi o vencedor do “Best Portuguese Act” no ano passado.

Este ano, é Lady Gaga quem lidera as nomeações aos MTV EMA com indicações em sete categorias, incluindo Melhor Artista, Melhor Pop, Melhor Vídeo, Melhor Canção e Melhor Colaboração, estas três últimas com o tema “Rain on Me”, um dueto com Ariana Grande.

Lady Gaga disputa a categoria de Melhor Vídeo com Billie Eilish (“everything i wanted”), Cardi B (“WAP” com Megan Thee Stallion), DJ Khaled (“POPSTAR” com Drake), Karol G (“Tusa” com Nicki Minaj), Taylor Swift (“The Man”) e The Weeknd (“Blinding Lights”).

A “sensação da K-Pop” BTS e o “galáctico” Justin Bieber reúnem cinco nomeações cada, em categorias como Melhor Pop e Maiores Fãs.

À 27.ª edição, os MTV EMA ganham novas categorias: Melhor Latino, Vídeo pelo Bem e Melhor Atuação Virtual.

As votações estão abertas até ao dia 02 de novembro.

Continuar a ler

País

Mais de metade dos portugueses não têm capacidade financeira de poupar para a reforma

Economia

em

Foto: O MINHO / Arquivo

Mais de metade dos portugueses (53%) não têm capacidade de poupar para a reforma, de acordo com o estudo da Insurance Europe, que sinaliza que Portugal está acima da média europeia entre os que não poupam para a reforma.

Segundo os resultados do estudo europeu de pensões da Insurance Europe, hoje divulgado, os portugueses são os que têm mais interesse em poupar para a reforma, mas não dispõem de capacidade financeira.

Adicionalmente, a amostra revela que os portugueses que não estão a poupar para a reforma, está acima da média europeia.

Os resultados do inquérito, realizado a mais 10.000 indivíduos (1.013 participantes de Portugal), em 10 países europeus, revelam que Portugal supera a média europeia em vários indicadores.

Mais precisamente, 53% dos portugueses afirmaram que têm interesse em começar a poupar para a reforma, embora não tenham condições financeiras no momento.

“Com este percentual Portugal assume a liderança neste ranking, que conta com uma média europeia de 42%. Adicionalmente cerca de 45% dos inquiridos indicaram que não estavam a realizar poupanças privadas para a reforma, um valor também à cima da média da Europa de 43%”, refere.

De sublinhar que 35% dos inquiridos a nível nacional revelaram que planeiam poupar para a reforma num futuro próximo, sendo “um percentual de relevo, tendo em conta que a média europeia para este indicador é de 20%”, refere.

Destaque ainda para os parâmetros relacionados com a segurança do investimento realizado, com resultados para Portugal também acima das médias europeias.

Segundo o estudo, 76% dos portugueses afirmaram que preferem receber pelo menos o total do valor investido e possivelmente um pouco mais, já a nível europeu, este percentual é de 73%.

Em sentido contrário, apenas 36% da amostra nacional revela estar disposta a pagar por uma proteção, caso viva mais anos do que inicialmente esperado.

Portugal é o país com menor frequência para este indicador e posiciona-se no final da tabela dos 10 países analisados, na qual a média europeia é de 43%.

Continuar a ler

Populares