Seguir o O MINHO

Região

Covid-19: Distrito de Viana com 18 casos ativos, 56 óbitos e 544 recuperados

Covid-19

em

Foto: DR

O distrito de Viana do Castelo contava, no passado dia 06 de julho, com 18 casos ativos de infeção por covid-19, segundo dados revelados pela coordenação da Unidade de Saúde Pública do Alto Minho.


No total, desde o início da pandemia, o Alto Minho regista 618 casos acumulados positivos do novo coronavírus, estando, à data indicada, 544 deles recuperados, mais quatro do que no passado dia 02 de julho. Há ainda mais um óbito a lamentar durante igual período, passando para 56.

A nível de concelhos, apenas Arcos de Valdevez, Ponte da Barca e Viana do Castelo registam casos ativos.

Arcos de Valdevez

O concelho de Arcos de Valdevez regista, no mesmo dia, dois casos ativos, 72 recuperados e nove óbitos, num total acumulado de 83 casos registados desde o início da pandemia. Os dados são fornecidos pela autarquia citando o delegado de saúde da ULSAM.

Caminha

Por sua vez, o concelho de Caminha não regista qualquer caso ativo de covid-19, segundo avançou o presidente da autarquia, Miguel Alves, ao jornal C. Depois de ter registado um caso ativo na última semana, o mesmo já foi dado como recuperado.

Atualmente, o concelho caminhense regista um total acumulado de 18 casos desde o início da pandemia. 17 recuperaram e uma pessoa morreu.

Paredes de Coura

Paredes de Coura, de acordo com dados revelados pela autarquia, está quase há um mês sem qualquer caso ativo, depois de ter registado um acumulado de nove infeções detetadas. Com os nove recuperados desde o dia 12 de junho, não há óbitos a lamentar.

Monção

No concelho de Monção, também não há registo de casos ativos, de acordo com dados revelados pela autarquia, neste que foi um dos municípios mais fustigados pela pandemia.

Depois de 128 casos confirmados ao longo dos últimos três meses e meio, com especial incidência no lar da Santa Casa da Misericórdia, o município anunciou no passado dia 30 de junho ter chegado aos zero casos ativos, com o total de 117 recuperados.

Infelizmente, morreram onze pessoas durante igual período.

Melgaço

No concelho vizinho de Melgaço, também não registo de casos ativos, segundo dados fornecidos pela autarquia. Com um total acumulado de 86 infetados, 74 pessoas recuperam, a última das quais no dia de ontem. Há 12 óbitos a lamentar.

Cerveira

Desde o passado dia o3 de junho que Vila Nova de Cerveira fez o último anúncio sobre a covid-19. Confirmava um caso ativo pelo vírus SARS-CoV-2, subindo então para onze o total acumulado – nove recuperados e um óbito registado numa IPSS fora do concelho. Desconhece-se se o caso ativo de 03 de junho já estará recuperado.

Ponte da Barca

Em Ponte da Barca os dados não têm sido divulgados pela autarquia. Porém, sabe-se que, no passado dia 24 de junho, existiam quatro casos ativos e oito recuperados, num total de 12 casos acumulados desde o início da pandemia.

No entanto, no início do mês de julho, registaram-se mais três casos confirmados de infeção – três trabalhadores agrícolas de nacionalidade estrangeira, elevando para 15 o número acumulado.

Valença

Em Valença, não existem casos ativos desde o passado dia 25 de maio. O último caso ativo que ainda restava era o de uma funcionária do lar da Santa Casa da Misericórdia local.

Em declarações à Rádio Vale do Minho, o vice-provedor Hermenegildo Alves confirmou então a ‘boa nova’, indicando que, em termos de casos na instituição, “está tudo arrumado”.

Viana do Castelo

O concelho de Viana do Castelo não revela os dados de infetados, recuperados ou óbitos por covid-19.

Nota de redação: O MINHO continua a tentar apurar o registo epidemiológico do concelho de Ponte de Lima, não tendo ainda recebido a informação até publicação desta notícia

Anúncio

Ave

Populares protestaram junto a ETAR que dizem estar a poluir o rio Vizela

Poluição

em

Foto: Digital de Vizela

Dezenas de pessoas, a maioria de Vizela, concentraram-se hoje junto à estação de tratamento de águas residuais (ETAR) de Serzedo, no concelho de Guimarães, para protestar contra o funcionamento do equipamento que dizem estar a poluir o rio Vizela.

Acompanhados do presidente da Câmara de Vizela, Vítor Hugo Salgado, os populares acenderam velas, que colocaram no chão, à entrada da ETAR, exibiram bandeiras do concelho e cartazes de protesto, nos quais se podiam ler as frases “Respeitem a natureza” e “Poluir é crime”.

Por entre palmas, os manifestantes entoaram a frase “Vizela é assim e luta até ao fim”, no que foram acompanhados por vários membros do executivo municipal.

Rafael Sousa, de Vizela, disse à Lusa ser uma vergonha haver “um rio vermelho e castanho”, situação que “acontece há muitos anos”.

“Quando vamos procurar as causas, detetamos que é a ETAR que polui o rio, o que é um contrassenso e faz-me uma confusão incrível”, afirmou.

Alexandra Araújo, também munícipe de Vizela, afirmou estar na vigília para “apoiar a câmara e representar a população na defesa de algo muito importante para o concelho”.

A munícipe considerou, depois, que a manifestação de hoje “tem de ter interesse para alterar a situação”, garantindo que a população está disposta a avançar para outras ações de protesto.

Já Paulo Lopes, que também participou na vigília, referiu à Lusa que “poucas cidades têm um rio a passar no meio”.

“Vizela tem, mas não pode usufruir dele, o que é lastimável e muito mau para a saúde”, lamentou. Sobre a vigília, declarou ser “um gesto simbólico” e “pacífico” para chamar à atenção para o problema, garantindo: “Estamos todos juntos nesta causa”.

O presidente da câmara dirigiu-se aos populares, agradecendo a participação e reafirmou empenho neste caso.

Vítor Hugo Salgado referiu que a ETAR de Serzedo, no distrito de Braga, gerida pela empresa de capitais públicos Águas do Norte, é quem polui aquele afluente do rio Ave, uma situação que tem sido desmentida pela entidade gestora, alegando não haver quaisquer anomalias no funcionamento do equipamento.

O autarca reafirmou hoje que as recentes análises à água captada junto à ETAR indicam que apresenta valores de poluição acima do permitido pela legislação.

“Hoje, pedimos que seja resolvida esta questão de forma definitiva”, reforçou.

Vítor Hugo Salgado sinalizou, por outro lado, que a solução passa pela construção de um emissário, cujo projeto foi conhecido esta semana, que ligue a ETAR de Serzedo à ETAR de Lordelo, também em Guimarães, obra que obriga a um investimento de cinco milhões de euros por parte do Governo, liderado pelo socialista António Costa.

“Acho que o senhor ministro pode fazer um grande brilharete. Se eu fosse ministro do Ambiente, tendo a possibilidade de despoluir um dos rios mais poluídos da Europa e apenas fazer um investimento de cerca de cinco milhões de euros, não pensava duas vezes”, declarou.

Dizendo contar com o apoio da população, o autarca, eleito por uma lista independente, insistiu que Vizela não parará nesta causa: “Os vizelenses já demonstraram ao longo da sua história, em particular no que concerne à luta autonómica, que, quando querem algo, vão à luta e lutam até ao fim”.

Continuar a ler

Braga

Covid-19: Mais um caso positivo no concelho de Braga nas últimas 24 horas

Pandemia

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

O concelho de Braga registava, até ao final da tarde desta quarta-feira, 1.419 casos acumulados de infetados com covid-19 desde o início da pandemia, mais um do que ontem, apurou O MINHO junto de fonte local da saúde.

Destes, 1.325 estão recuperados, ou seja, não há recuperações desde a passada quinta-feira. Lamentam-se ainda 74 óbitos, número que permanece igual desde o passado dia 16 de junho.

Existem, atualmente, 20 casos ativos de covid-19 em todo o concelho de Braga.

Estes dados são apurados por O MINHO junto de fonte local do setor da saúde e não coincidem com os divulgados pela Direção-Geral de Saúde (DGS), no qual o concelho de Braga regista 1.277 acumulados.

Portugal regista hoje mais uma morte por covid-19 e 167 novos casos de infeção por covid-19, em relação a terça-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim, desde o início da pandemia até hoje registam-se 51.848 casos de infeção confirmados e 1.740 mortes.

Há 37.565 casos recuperados, mais 247.

Continuar a ler

Ave

Briga entre vizinhos ‘regada’ a álcool acaba com três feridos em Famalicão

Agressões

em

Foto: DR

Três pessoas sofreram ferimentos na sequência de uma confusão entre vizinhos, ao início da noite desta quarta-feira, em Famalicão.

Ao que apurou O MINHO, desavenças antigas entre vizinhos da Travessa da Boavista, na freguesia de Seide São Paio, culminou esta noite com ‘vias de facto’, depois de algum álcool à mistura.

Por entre a pancadaria, onde também existiram ameaças com armas brancas, três pessoas sofreram hematomas e escoriações, necessitando de assistência hospitalar.

Para o local foram mobilizados vários militares da GNR por inicialmente se falar em tiros e facadas, algo que não se confirmou.

Os Bombeiros de Famalicão, em conjunto com a equipa médica da VMER, prestaram primeira assistência às vítimas.

Os três feridos foram transportados para o hospital local pelos bombeiros.

A GNR registou a ocorrência desconhecendo-se se existem detenções.

O alerta foi dado às 21:18.

Continuar a ler

Populares