Seguir o O MINHO

Cávado

Costa Gomes critica “desperdício” de 10 mil euros com Assembleia sobre água

em

O presidente da Câmara de Barcelos criticou esta segunda-feira os cerca de 10 mil euros que o erário público vai pagar por uma Assembleia Municipal extraordinária “completamente inócua”, convocada expressamente para “analisar” o dossiê do resgate da concessão da água.


“São cerca de 10 mil euros do erário público que vão ser gastos numa sessão que, em boa verdade, não vai, nem pode dar, em nada, uma vez que a convocatória diz claramente que é apenas para analisar o processo da água”, referiu Miguel Costa Gomes.

O presidente da Assembleia Municipal de Barcelos, Duarte Nuno, convocou para sexta-feira uma sessão extraordinária daquele órgão, tendo com ponto único a “análise da situação do contrato de concessão da exploração e gestão dos serviços públicos municipais de abastecimento de água e saneamento” do concelho.

Aquele órgão conta com 123 deputados municipais, a quem é paga uma senha de presença por cada sessão.

Ressalvando que o presidente da Assembleia “tem todo o direito” de convocar sessões extraordinárias, Costa Gomes sublinhou que “não havia necessidade” de gastar “tanto dinheiro” para analisar o dossiê.

“Havia, certamente, outras formas e outros instrumentos para analisar a situação”, disse o autarca, adiantando que, naquela sessão extraordinária, e face ao teor do ponto único, “não é admissível” sequer a apresentação e votação de qualquer moção.

Para Costa Gomes, trata-se de uma sessão “perfeitamente inócua”, cujos efeitos só serão sentidos nos cofres do erário público.

A Lusa tentou ouvir Duarte Nuno, mas sem sucesso.

Em inícios de outubro, a Câmara de Barcelos anunciou, em comunicado, que já dera início ao procedimento administrativo para o resgate da concessão da água e saneamento do concelho, por 87 milhões de euros.

No comunicado, o município sublinhava que estava, assim, a dar cumprimento ao acordo de princípio assinado a 02 de novembro de 2015 com a empresa Águas de Barcelos (AdB), detentora da concessão.

“A Câmara Municipal de Barcelos notificou, em devido tempo, a AdB, bem como as duas empresas acionistas, do início do procedimento administrativo conducente ao resgate do referido contrato de concessão, nos termos dos princípios acordados em 02 de novembro de 2015”, refere o comunicado.

A água e o saneamento de Barcelos foram concessionados em 2004, por um executivo camarário PSD liderado por Fernando Reis, mas entretanto, em 2009, a Câmara passou para as mãos do PS, que desde então tem tentado remunicipalizar aqueles serviços, por considerar a concessão “ruinosa” para os cofres camarários.

Entretanto, o Tribunal Arbitral de Lisboa condenou a Câmara de Barcelos a pagar, até 2035 e em tranches anuais, uma indemnização total de 172 milhões de euros à AdB, para assegurar o reequilíbrio financeiro da concessão.

Os consumos previstos no contrato nunca foram atingidos e a empresa, em 2010, requereu a constituição do tribunal arbitral, com vista à reposição de equilíbrio económico-financeiro da concessão.

A Câmara recorreu daquela decisão, mas os tribunais administrativos confirmaram-na.

A autarquia recorreu ainda para o Tribunal Constitucional, que aceitou o recurso, pelo que a decisão ainda não transitou em julgado.

Entretanto, Costa Gomes disse hoje que a Câmara e os acionistas da AbB continuam “à mesa das negociações”, à procura de uma outra solução para o problema.

 

logo Facebook Fique a par das Notícias de Viana do Castelo. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Cávado

Vison-americano filmado na marginal de Esposende

Na foz do Cávado

em

Foto: Alex Silva

Depois de avistamentos no rio Selho em Guimarães e no rio Cávado em Barcelos, há agora novo vídeo, filmado esta quinta-feira, que mostra um vison-americano na marginal de Esposende. O vídeo cedido a O MINHO foi captado por Alex Silva, que registou o mamífero na zona da foz do Cávado, perto do restaurante Pé No Rio.

O vison-americano, neovison vison, é um mamífero da família mustelidae e está relacionado com doninhas e lontras. Trata-se de uma espécie invasora.

Vison-americano filmado no rio Cávado em Barcelos

De acordo com a bióloga Joana Soto, ouvida pela Jornal de Barcelos (JB) a propósito dos avistamentos destes animais no rio Cávado, o vison-americano representa uma “ameaça” para as espécies nativas, mas o seu impacto neste território ainda carece de estudos.

A bióloga salienta que não sendo novo no Cávado, é normal existirem mais avistamentos nesta altura do ano porque está mais ativo a preparar o Inverno.

Joana Soto, nas declarações ao JB, refere que o maior perigo que o animal representa é comer ovos das aves que habitam as margens do rio e fazem ninhos no solo, salientando que é uma espécie muito recente em Portugal e que “ainda se está a adaptar ao habitat”.

Novos vídeos mostram vison-americano a ‘passear’ no rio Cávado em Barcelos

Como a presença deste anfíbio na bacia do Cávado ainda é pouco estudada, a bióloga apela a que os avistamentos sejam reportados pela aplicação móvel “iNaturalist” de forma a contribuir para o mapeamento da espécie.

Como O MINHO tem noticiado, já foram filmados visons-americanos no rio Selho em Guimarães e no rio Cávado em Barcelos, sendo que também há relatos da sua presença no rio Ave e no Este, em Braga, na zona de Gualtar.

Visons-americanos filmados no rio Selho em Guimarães

A moda acabou por ser a razão de o vison-americano ter ‘viajado’ do continente norte-americano para o europeu.

“Foi introduzida na Europa para criação em quintas para o comércio de peles. No entanto, quer por fugas de animais a partir destas quintas, quer pela sua libertação deliberada e ilegal por parte dos proprietários das quintas, quando a atividade deixa de ser rentável, ou por grupos de defesa dos direitos animais, estabeleceram-se populações ferais em grande parte da Europa”, pode ler-se na tese de mestrado em Biologia da Conservação de Ana Duarte.

“Em Portugal, o vison-americano foi introduzido na década de 80, sendo provavelmente proveniente de quintas de criação localizadas na região da Galiza, existindo apenas uma quinta de criação em Portugal, na cidade de Valença do Minho”, refere o mesmo estudo, que alerta que o vison-americano “pode ainda vir a afetar negativamente as populações de rato-de-água (Arvicola sapidus) e as populações de anfíbios já de si debilitadas”.

“Atualmente, a introdução de espécies exóticas é considerada uma das principais ameaças à diversidade biológica”, sublinha a tese de Ana Duarte.

Continuar a ler

Barcelos

Casos de covid-19 em Barcelos deixam centenas de pessoas isoladas por todo o Minho

Covid-19

em

Foto: DR

Existem 665 pessoas em isolamento obrigatório em diversos concelhos do Minho após contacto com pessoas infetadas residentes em Barcelos, disse a O MINHO fonte das autoridades de saúde.

Os casos estão patentes em diversos concelhos, como Braga, Vila Verde, Ponte de Lima, Esposende, Póvoa de Varzim ou Famalicão e devem-se a contactos de infetados de Barcelos fora da área de residência.

Pelo que apuramos, alguns dos isolados apresentam sintomas, mas ainda não foram testados, enquanto que outros estão assintomáticos e a cumprir quarentena obrigatória sem, no entanto, terem sido chamados para realizar testes. Todos eles já foram contactados pelas autoridades de saúde.

Segundo os dados recolhidos por O MINHO junto da autoridade de saúde local, o concelho de Barcelos apresentava, pelas 18:00 horas desta quinta-feira, 165 casos ativos do coronavírus, num total de 783 infeções confirmadas desde o início da pandemia.

Há 606 pessoas dadas como recuperadas, lamentando-se doze óbitos, mais três em outubro.

Estes dados são apurados por O MINHO junto de fonte local do setor da saúde e não coincidem com os divulgados pela Direção-Geral de Saúde (DGS), no qual Barcelos regista o número de 502 acumulados.

Continuar a ler

Cávado

Cemitérios de Esposende fechados no Dia de Todos os Santos

1 de Novembro

em

Foto: DR / Arquivo

Os cemitérios de Esposende estarão encerrados no feriado 1 de Novembro, Dia de Todos os Santos, anunciou hoje a Câmara.

Em comunicado, a autarquia refere que a decisão se deve “aos constrangimentos associados à evolução da pandemia em Portugal, e ao facto de o Governo ter novamente declarada a situação de calamidade em resultado do aumento muito acentuado do número de novos casos” e foi tomada “em articulação com a Unidade de Saúde Pública”.

“Durante os dias que antecedem as celebrações do Dia de Fiéis Defuntos, assim como durante os dias seguintes, os munícipes poderão fazer romagem pessoal aos cemitérios, devendo respeitar as regras vigentes, nomeadamente o uso obrigatório de máscara, o distanciamento social e todas as regras de higienização”, realça a câmara, acrescentando que “é fortemente recomendado o uso de material próprio (vassouras, baldes, etc.), não devendo haver partilha em qualquer circunstância”.

Também não haverá qualquer celebração religiosa no espaço dos cemitérios.

“Lamentamos que a celebração tradicional não possa ser cumprida, mas trata-se de um bem maior, em que tem de ser evitada toda e qualquer possibilidade de aglomeração de pessoas, no interior ou nos acessos aos espaços”, conclui o comunicado.

Continuar a ler

Populares