Seguir o O MINHO

Braga

Corporação de Braga critica “falta de apoio” aos bombeiros voluntários em Portugal

em

Miguel Ferreira, presidente dos Bombeiros Voluntários de Braga. Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

A falta de apoio aos bombeiros voluntários portugueses foi criticada esta tarde de sábado pelo presidente da corporação bracarense, capitão Miguel Ferreira, durante a entrega de 17 equipamentos de proteção para o combate a fogos florestais.

Os equipamentos completos foram oferecidos pela sociedade civil e empresarial de Braga na sequência do 1º Trail Solidário dos Bombeiros Voluntários de Braga, o que levou este dirigente a questionar “se a entrega destes equipamentos ou outros que os bombeiros tanto necessitam não deveria ser objetivamente uma preocupação, uma obrigação, do Estado e das Autarquias”.

Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

Vós sois a verdadeira razão de todo o trabalho e de toda a disponibilidade de quantos aqui estamos, porque quanto melhor equipados vices estiverem, melhores condições tereis para nos socorrerem a nós e aos nossos e isso basta-nos para estarmos gratos”, referiu em Braga o capitão Miguel Ferreira.

Bombeiros Voluntários de Braga. Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

Parece irónico que quem anuncia a contratação de centenas e centenas de sapadores florestais ou de agentes da GNR para agirem nos GIPS, de helicópteros, de aviões, de milhares de antenas fixas e móveis, quando se anuncia anualmente um orçamento de muitos e muitos milhões para o dispositivo de proteção civil, tenha tão pouco, sublinho, tão pouco, para distribuir pelos que constituem o verdadeiro e mais importante suporte nacional para o cumprimento desta missão, os bombeiros voluntários de Portugal”, disse.

Segundo afirmou o capitão Miguel Ferreira, “já não bastava contarmos com um exército de mulheres e homens que dão o seu tempo, o seu esforço, e os melhores anos da sua vida ao serviço dos outros e da proteção dos seus bens, sem ter de lhes pagar e ainda os obrigamos a que para cumprimento dessa missão comprem e paguem as suas viaturas de socorro, transporte ou de combate ao fogo”.

Bombeiros Voluntários de Braga. Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

Mais ainda, o mesmo responsável, disse não compreender “que comprem e paguem os seus equipamentos e que substituam sempre que se avariem ou se estraguem, situação muito recorrente, conforme todos facilmente perceberemos”.

Bombeiros Voluntários de Braga. Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

“Mas não só ainda os obrigamos e isto não acontece poucas vezes a pagar do seu bolso as suas refeições quando estão de piquete, de prevenção e algumas vezes mesmo quando no cumprimento de operações de combate ao fogo ou em outras de socorro para as quais foram escalados”, acrescentou o presidente dos Bombeiros Voluntários de Braga.

Populares