Seguir o O MINHO

Guimarães

Coreógrafa Joana Castro estreia peça “sobre a morte” em Guimarães

A bailarina e coreógrafa mostra “luto perante a negligência pela criação” em Portugal

em

Foto: 2016.festivalcumplicidades.pt

A coreógrafa e bailarina Joana Castro vai estrear a sua nova criação, Rite of Decay, no dia 08 de fevereiro, no Festival GUIdance, em Guimarães, espetáculo que tem antestreia no próximo dia 25, no Centro Cultural do Cartaxo.


Projeto a solo, Rite of Decay (“Rito da Decadência”, em tradução livre) é uma peça “sobre a morte, ou várias mortes”, disse Joana Castro à Lusa, uma peça de “manifesto e de luto”, condição em que a criadora diz encontrar-se enquanto artista, “perante a negligência pela criação”, em Portugal.

A obra tem colaboração da artista sonora Diana Combo, que vai interpretar música ao vivo, num espetáculo com “um único corpo em palco”.

O projeto começou a ser pensado há dois anos, na sequência do solo “Submarino”, que a artista criou entre 2016 e 2017, em torno de questões como “a identidade, o território e o poder num contexto de territorialização do doloso, uma peça muito escura”, com “muito pouca luz”, durante a qual se foi apercebendo de que o “lado mais obscuro de morte, destruição e ideias de rituais de fim foram pontuando” o seu trajeto desde que começou a criar os seus próprios projetos, em 2006 e 2007, disse.

Rite of Decay é uma peça sobre a morte, ou várias mortes. Interessa-me pensar sobre um corpo que vai habitando outras danças, outros corpos, assombrações, vá, e memórias da própria história da dança, uma brincadeira que faço até com o título, que é quase uma espécie de Rite of Spring do agora, Sagração da Primavera do hoje”, salientou.

“É uma peça-luto, o lugar onde eu acho que me encontro enquanto pessoa, enquanto artista, e acho que é o lugar onde a dança também deve estar neste momento, não só a dança, mas a arte e a cultura no geral, nestes momentos conturbados que vivemos em Portugal, em que a arte e a cultura passam momentos um bocado complicados”, acrescentou.

Para Joana Castro, “há uma precariedade imensa, uma negligência pela criação artística em Portugal”.

Referindo a “luta constante” que tem vindo a travar, no esforço de criar as suas peças no seu “próprio tempo”, dentro das suas “necessidades e urgências, e não refém de um produto acabado e pronto a ser consumido”, Joana Castro apontou o questionamento que coloca no seu micromundo, mas também na macro escala da sua relação com os outros e da sua visão do mundo.

“Há uma necessidade qualquer de refletir, de reconfigurar até, talvez pensar, perceber quais as nossas premissas”, porque “é importante continuarmos a perceber o que andamos aqui a fazer enquanto seres humanos, artistas. Acho que estamos completamente às escuras neste momento”, disse.

A sua nova criação acaba por ser “esse lugar de manifesto e de luto, pensando a morte enquanto reestruturação, enquanto reformulação de existências”.

O convite para a edição deste ano do GUIdance, Festival Internacional de Dança Contemporânea, que decorre de 06 a 16 de fevereiro, em Guimarães, com o “papel da mulher no centro da criação e das atenções”, fez “todo o sentido”, tendo em conta o seu percurso e a sua posição claramente feminista.

Para Joana Castro, a participação de Marie Chouinard, com Rite of Spring (15 de fevereiro, no Centro Cultural Vila Flor), foi uma “coincidência bastante interessante”, se bem que Rui Torrinha (diretor artístico do festival) “tinha isto tudo muito bem pensado”.

O projeto tem o apoio da associação Materiais Diversos, pelo que estará em residência artística de 21 a 29 deste mês no Centro Cultural do Cartaxo (Santarém), onde acontecerá, no dia 25, a antestreia, com entrada gratuita, e, no dia 28, uma oficina com alunos de dança.

Depois da participação no GUIdance, Rite of Decay estará na Rua das Gaivotas 6, em Lisboa, de 28 a 30 de maio.

Anúncio

Guimarães

Câmara de Guimarães entrega habitação social partilhada

Solidariedade

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Coordenação de Âmbito Social e Financeiro das Habitações do Município de Guimarães (CASFIG) procedeu à entrega de uma habitação social partilhada, iniciativa que beneficia famílias unipessoais, refere um comunicado camarário divulgado hoje.

Em causa está uma residência partilhada, um projeto que segue o modelo de distribuição espacial permitindo a ocupação individual da habitação, de modo totalmente independente, com quarto, casa de banho e cozinha.

“Reconhecendo a importância desta modalidade alternativa ao alojamento convencional, a CASFIG tem vindo ao longo dos anos a aperfeiçoar o seu modelo de implementação e funcionamento, procurando sempre melhorar a sua funcionalidade e garantir maior privacidade individual a cada residente. Nesta linha de atuação foi criada mais uma residência partilhada, com um modelo inovador que permite conferir ainda mais privacidade aos seus residentes, bem como um melhor funcionamento das dinâmicas de convivência diária”, descreve a Câmara de Guimarães.

Até hoje foram entregues 12 residências masculinas partilhadas e seis residências femininas partilhadas, que resulta no apoio total a 45 famílias unipessoais.

Continuar a ler

Guimarães

Casal de traficantes tenta abalroar polícia e embate contra carros em Guimarães

Tráfico de droga

em

Foto: O MINHO / Arquivo

Dois jovens, um homem de 28 e uma mulher de 23, foram detidos na sexta-feira depois de tentarem embater contra agentes da PSP com uma viatura enquanto tentavam fugir de uma operação de fiscalização, anunciou aquela polícia.

O incidente ocorreu pelas 11:50 de sexta-feira, na rua Dr. Eduardo Almeida, na cidade de Guimarães, quando a patrulha efetuava uma ação de vigilância aos indivíduos por suspeitas do crime de tráfico de estupefacientes.

“Após ter intercetados dois suspeitos, os mesmos ainda dentro da viatura tentaram a fuga, tendo embatido em dois veículos que se encontravam estacionados nas imediações, provocando danos materiais em ambos”, adianta o comando distrital da PSP.

De referir ainda, que aquando da fuga os suspeitos direcionaram a mesma contra os elementos policiais.

No decorrer da intervenção policial foi verificado que os dois suspeito tinham em sua posse heroína suficiente para 36 doses, que lhe foram apreendidas, bem como a quantia de 1.773,30 euros, um telemóvel e a viatura em que se faziam transportar.

Face ao exposto, foram os mesmos detidos, sendo presentes este sábado no Tribunal de Turno de Celorico de Basto.

Continuar a ler

Ave

Guimarães isenta pagamento de taxas da Feira Retalhista e do Mercado Municipal

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Câmara de Guimarães deliberou a isenção de pagamento das taxas da Feira Retalhista e do Mercado Municipal até ao final do ano, anunciou hoje a autarquia.

A medida visa apoiar os comerciantes, na retoma da sua economia em época de contingência no âmbito da prevenção à pandemia covid-19.

Em comunicado, a autarquia afirma que, segundo as estatísticas oficiais disponíveis na presente data, o surto epidémico aparenta estar controlado, mas a pandemia provocou uma disrupção do tecido económico e do emprego cujos efeitos apenas agora se começam a sentir em toda a sua amplitude.

Portanto, considera a câmara, tonar-se indispensável que tais medidas se prolonguem no tempo, como forma de mitigar as dificuldades atualmente sentidas pelas famílias e pelas empresas radicadas no Município.

No Mercado Municipal e na Feira Retalhista de Guimarães existe um plano de contingência que obriga a limitação de acessos de clientes, de distanciamento, de comerciantes, de espaços de venda, pelo que o município entende ser necessário apoiar estes comerciantes, na retoma da sua economia.

Continuar a ler

Populares