Convento saqueado e abandonado no coração de Viana

Convento de São Francisco do Monte

Votado ao esquecimento na encosta de Santa Luzia, o convento de São Francisco do Monte está coberto pela mata, vandalizado, à mercê do tempo e da inação das instituições. De construção medieval, o convento foi habitado por frades franciscanos capuchos. Hoje é um local mal referenciado pela população de Viana do Castelo.

30 minutos de caminhada, sob gravilha térrea e pedra espalmada para encontrar os muros do convento. Depois de algumas dificuldades no acesso, o assombro: restos de madeira ardida por fogueiras de outrora, garrafas de bebidas alcoólicas, muros e imagens vandalizadas, sepulturas profanadas, santos nem vê-los. Assim estão conservados, mais de 500 anos de História.

“Arquitetura religiosa, gótica, maneirista e barroca. Convento franciscano capucho de construção medieval, tendo sido remodelado nos séculos 16 e 18, com alterações significativas na sua estrutura”, explica o site da DGPC, sobre o monumento.

Foto: Tomás Guerreiro / O MINHO
Foto: Tomás Guerreiro / O MINHO
Foto: Tomás Guerreiro / O MINHO
Foto: Tomás Guerreiro / O MINHO

Desde 2001, o convento é propriedade do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, a instituição procura há anos soluções para a requalificação do convento. O cruzeiro que antecede o edifício abandonado está classificado como Imóvel de Interesse Público. A estrutura do edificado não está dotada de proteção patrimonial.

O convento foi o terceiro a ser fundado em Portugal pela Ordem Franciscana. Em 1834, com a extinção das Ordens Religiosas, o convento foi comprado em hasta pública pelo visconde de Carreira. No século XX, o convento entrou em estado de degradação e, em 1987, o último proprietário doou-o à Santa Casa da Misericórdia de Viana do Castelo, que o vendeu, em 2001, ao IPVC.

Foto: Tomás Guerreiro / O MINHO
Foto: Tomás Guerreiro / O MINHO
Foto: Tomás Guerreiro / O MINHO
Foto: Tomás Guerreiro / O MINHO

Este ano um grupo Internacional de académicos, IHSHG (International History Students and Historians Group), criticou veemente o estado de abandono do convento e expressou a sua indignação com as instituições da tutela.

Alguns arcos, alpendres e fachadas do edifício estão sustentados com ferros, por via a evitar o seu desmoronamento. A população da cidade, não olha com bons olhos o espaço abandonado, que nos últimos anos, é alvo de rumores de malfeitorias.   

A Câmara Municipal de Viana do Castelo e o IPVC estão à procura de soluções, para reabilitar o edifício histórico.  

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Concelho de Braga com 315 novos casos numa semana. Há mais de 1.500 em isolamento

Próximo Artigo

Homem em estado grave após ser colhido por automóvel em Braga

Artigos Relacionados
x