Seguir o O MINHO

País

Consumo de energia elétrica recua 13% em maio para valor mais baixo desde 2003

REN

em

Foto: DR / Arquivo

O consumo de energia elétrica recuou 13,2% em maio, face ao período homólogo, para o valor mais baixo registado desde 2003, segundo dados hoje divulgados pela REN.


Este valor não se altera com correção dos efeitos de temperatura e número de dias úteis.

“Trata-se de uma contração semelhante à verificada no mês anterior e é o consumo mais baixo para o mês de maio registado desde 2003. A evolução no acumulado do ano é negativa em 4,7%, ou 4,6% com correção de temperatura e dias úteis”, refere.

Segundo a REN, as condições hidrológicas mantiveram-se favoráveis em maio, com o índice de produtibilidade hidroelétrica a situar-se em 1,05 (média histórica igual a 1), ao contrário das eólicas em que o índice de produtibilidade respetivo registou 0,72 (média histórica igual a 1).

A produção renovável abasteceu 56% do consumo nacional, a produção não renovável 27%, enquanto os restantes 17% foram abastecidos com energia importada.

No período de janeiro a maio, o índice de produtibilidade hidroelétrica situou-se próximo do valor médio, com 0,97 (média histórica igual a 1), enquanto o de produtibilidade eólica registou 0,84 (média histórica igual a 1), que é o valor mais baixo dos registos da REN (desde 2001).

No mesmo período, a produção renovável abasteceu 67% do consumo, repartida pela hidroelétrica com 34%, eólica com 24%, biomassa com 7% e fotovoltaica com 2,3%, apresentando neste último caso, proporcionalmente, o maior crescimento.

A produção não renovável abasteceu 28% do consumo, praticamente apenas com gás natural, mantendo o carvão uma produção residual.

Neste período, acrescenta, registou-se um saldo importador equivalente a cerca de 5% do consumo nacional.

No mercado de gás natural, segundo a REN, o consumo nacional acentuou a tendência de queda verificada no mês anterior, com uma queda homóloga de 32%, resultado de uma variação negativa de 28% no segmento convencional e, também, negativa em 40% no segmento de produção de energia elétrica.

A redução no segmento convencional tem a influência de grandes consumidores que anteciparam as suas paragens anuais, justifica a REN.

No período de janeiro a maio registou-se uma redução no consumo de 2,1%, com o crescimento de 18% no mercado elétrico a não ser suficiente para compensar a quebra de 8,7% no segmento convencional.

Anúncio

País

Graça Freitas infetada com covid-19

Diretora-Geral da Saúde

em

Foto: DR

A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, está infetada com covid-19, confirmou a própria ao Expresso, acrescentando ter apenas sintomas ligeiros.

Graça Freitas foi testada durante a última noite, tendo o resultado sido positivo, depois de ter estado em contacto com um infetado.

Segundo o Expresso, a ministra da Saúde, Marta Temido, foi igualmente testada, tendo-se deslocado uma equipa ao seu domicílio.

Ainda durante a madrugada, outro grupo de profissionais encarregue de testar altas individualidades viajou até Leiria para fazer a análise covid-19 ao secretário de Estado adjunto e da Saúde, António Sales.

Continuar a ler

País

Moreirense falha Taça da Liga

I Liga

em

Foto: Twitter / Moreirense

O Paços de Ferreira qualificou-se na terça-feira para os quartos de final da Taça da Liga, ao impor-se na deslocação ao Moreirense, por 1-0, num encontro em atraso da sétima jornada da I Liga de futebol.

Em Moreira de Cónegos, o golo solitário de Douglas Tanque (10 minutos) ofereceu o terceiro triunfo consecutivo dos ‘castores’ no campeonato e ditou um embate com o FC Porto na prova mais jovem do futebol profissional, a disputar de 15 a 17 de dezembro.

O Paços de Ferreira subiu ao quinto lugar, com 14 pontos, enquanto o Moreirense, cujo surto de covid-19 levou ao adiamento desta partida, originalmente marcada para 07 de novembro, desceu ao 13.º posto, com oito pontos, um acima da zona de despromoção.

Com processos mais consolidados, a formação de Pepa repetiu os titulares da vitória sobre o Famalicão (2-0) e denotou uma entrada autoritária e eficaz, focada em assumir a iniciativa do jogo, tendo agitado o marcador logo na primeira oportunidade do encontro.

Aos 10 minutos, Luther Singh deu continuidade à subida em profundidade pela esquerda de Oleg, que cruzou para o cabeceamento de Douglas Tanque, dedicado pelo avançado brasileiro ao ex-treinador pacense Vítor Oliveira, que morreu no sábado, aos 67 anos.

O revés madrugador instabilizou o conjunto de César Peixoto, que trocou Steven Vitória por Ferraresi no jogo de estreia em Moreira de Cónegos, sem desfazer uma linha defensiva de cinco unidades adotada na derrota frente ao líder Sporting (2-1).

À procura de entrosamento coletivo, os minhotos demoraram a calibrar a definição no último terço, como expressou a receção imperfeita de André Luís aos 32 minutos, desmarcado na área por Gonçalo Franco, e apenas geraram perigo antes do intervalo.

Num raro momento de superação do Moreirense face ao bloco pressionante do Paços de Ferreira, Afonso Figueiredo ganhou espaço na esquerda aos 44 minutos e cruzou na direção de André Luís, que desviou para uma defesa apertada de Jordi junto ao poste.

Ato contínuo, o lateral esquerdo cobrou um pontapé livre descaído para a direita e Lazar Rosic dominou a bola ao segundo poste, mas errou o alvo, num duplo susto sem consequências para o bloco compacto, organizado e pressionante dos ‘castores’.

Os ‘cónegos’ tentaram incutir maior consistência entre setores no reatamento para alcançar outro poder de desequilíbrio ofensivo, mas sentiram dificuldades de progressão, à exceção de investidas inofensivas de André Luís (53 minutos) e Walterson (72).

César Peixoto envolveu mais gente no ataque, mas Pepa foi encontrando o antídoto para neutralizar a crença vimaranense, recuperando algum atrevimento em remates seguidos de Bruno Costa e Oleg, aos 63 minutos, ambos defendidos por Mateus Pasinato.

Apesar de a entrada na Taça da Liga estar à distância de três golos, o Moreirense subiu linhas nos minutos finais em busca de um ponto, mas a reação encheu-se de timidez e viabilizou o regresso do Paços de Ferreira às vitórias no seu estádio sete anos depois.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos.

Moreirense – Paços de Ferreira, 0-1.

Ao intervalo: 0-1.

Marcador:

0-1, Douglas Tanque, 10 minutos.

Equipas:

– Moreirense: Mateus Pasinato, Anthony D’Alberto, Lazar Rosic, Fábio Pacheco (Ibrahima Camará, 81), Nahuel Ferraresi, Afonso Figueiredo, Gonçalo Franco (David Tavares, 81), Alex Soares (Filipe Soares, 56), Felipe Pires (Derik Lacerda, 64), André Luís e Walterson (Galego, 82).

(Suplentes: Miguel Oliveira, David Tavares, Ibrahima Camará, Steven Vitória, Filipe Soares, Reynaldo, Galego e Derik Lacerda).

Treinador: César Peixoto.

– Paços de Ferreira: Jordi, Fernando Fonseca, Marcelo, Marco Baixinho, Oleg, Stephen Eustáquio, Luiz Carlos (Mohamed Diaby, 63), Bruno Costa, Hélder Ferreira (Zé Uilton, 64), Douglas Tanque (João Pedro, 80) e Luther Singh (João Amaral, 74).

(Suplentes: Michael, Abbas Ibrahim, Zé Uilton, Matchoi Djaló, Adriano Castanheira, Mohamed Diaby, Maracás, João Pedro e João Amaral).

Treinador: Pepa.

Árbitro: Hélder Malheiro (AF Lisboa).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para o treinador do Paços de Ferreira, Pepa (36), e para Gonçalo Franco (51).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Continuar a ler

País

Freguesia açoriana de Rabo de Peixe sujeita a cerca sanitária

Covid-19

em

Foto: JF Rabo de Peixe

A freguesia de Rabo de Peixe, na ilha de São Miguel, vai ficar sob cerca sanitária a partir das 00:00 e até 08 de dezembro, e a população vai ser testada, anunciou hoje o Governo dos Açores.

Segundo uma nota do gabinete de imprensa do executivo açoriano, ficam interditas as deslocações, por via terrestre e marítima, entre Rabo de Peixe, no concelho da Ribeira Grande, e as restantes freguesias, sendo que as autoridades de saúde vão proceder à realização de “testes rápidos à população”.

Por freguesias, a vila piscatória de Rabo de Peixe, com cerca de dez mil habitantes, é a que regista mais casos (61) nos Açores.

De acordo com deliberação, fica proibida a circulação e permanência de pessoas na via pública, são encerradas todas as escolas e fixa-se a limitação da lotação máxima de um terço da respetiva capacidade na restauração, bares e outros estabelecimentos de bebidas, com ou sem espetáculo e com ou sem serviço de esplanada.

O Governo dos Açores determina ainda que, a partir das 20:00, “são encerrados os restaurantes, bares e outros estabelecimentos de bebidas, com ou sem espetáculo e com ou sem serviço de esplanada, sendo cancelados todos os eventos de natureza cultural ou de convívio social alargado”.

Estão previstas exceções para deslocações necessárias e urgentes, para acesso a cuidados de saúde, assistência, cuidado e acompanhamento de idosos, menores, dependentes e pessoas especialmente vulneráveis, incluindo o recebimento de prestações sociais, bem como de profissionais de saúde e de medicina veterinária, entre outros.

A cerca sanitária vigorará a partir das 00:00 de quarta-feira até às 23:59 de 08 de dezembro de 2020, podendo as medidas previstas “ser revertidas ou revogadas a qualquer momento, tendo em conta a evolução da pandemia na região”.

Os Açores registaram mais 18 casos de infeção por covid-19 nas últimas 24 horas.

Segundo o comunicado de hoje da Autoridade Regional de Saúde, há oito novos casos em São Miguel e dez na ilha Terceira, na sequência de 1.463 análises realizadas na região.

Foram registadas quatro recuperações e há na região 37 cadeias de transmissão ativas, sendo 26 em São Miguel, oito na Terceira, uma partilhada entre São Miguel e São Jorge, uma no Pico e outra em São Jorge.

Nos Açores, foram detetados até hoje 1.044 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19, e registados 17 óbitos. Há 523 casos recuperados e mantêm-se 421 casos positivos ativos.

Estão internadas 14 pessoas, seis no Hospital do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada, sete no Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira e um no Hospital da Horta.

Continuar a ler

Populares