Seguir o O MINHO

Braga

Confiança. JS responde a Ricardo Rio: “Braga pertence à população. Contente e descontente”

Leia o comunicado da JS Braga na íntegra.

em

Foto: Divulgação / JS Braga

A Juventude Socialista (JS) de Braga enviou este sábado um comunicado às redacções em resposta a “algumas declarações” feitas pelo presidente da Câmara Municipal, durante a semana, acerca da venda das instalações da antiga saboaria Confiança.

Leia o comunicado da JS, assinado por Bruno Gonçalves, presidente da estrutura concelhia da JS, e que, segundo diz, “reforça a sua posição antes da votação em sede de Assembleia Municipal”, agendada para o próximo dia 04 de outubro.

“Braga pertence à população. Contente e descontente.
A Juventude Socialista de Braga tem acompanhado, atentamente, o desenvolvimento do debate público, participado e interessado, em torno do futuro das antigas instalações da Fábrica Confiança. O nosso contributo, atento e construtivo, para este debate marca uma forma responsável de ação política. Entendendo que a mudança vinda por parte dos mais jovens, de forma empenhada e rompendo com velhos hábitos que afastaram, por gerações, os jovens da política, constitui uma necessidade para credibilização do sistema político em Portugal: 
Sugerimos a manutenção da Fábrica Confiança enquanto património público, com alternativas concretas que impulsionarão a cidade: a construção de uma residência universitária e a dinamização de um hub cultural. 
Infelizmente, muitos são os que assim não o entendem. Os mesmos que aprovaram, no passado, decisões políticas e estratégias (como é exemplo o caso do Estádio Municipal de Braga) vêm hoje tentar esconder o seu envolvimento e a sua responsabilidade. Dizem-no, sem qualquer respeito pela memória coletiva, de forma vil e cruel. E concluem a sua ação – que visa atacar irresponsabilidades do passado – com manifestações pouco credíveis e, no mínimo, pouco amigas do ambiente. 
https://ominho.pt/oposicao-a-uma-so-voz-apela-a-suspensao-da-venda-da-antiga-saboaria-confianca/
A JS Braga estará, sempre, presente, com memória integral das melhores e piores decisões do passado, com vista a melhorar a vida comum dos que habitam em Braga. 
Não contem connosco para um debate rasteiro, que tanto afasta os cidadãos da política partidária, mas sim para soluções onde cada um se possa rever. Não contem connosco para desviar o debate do essencial (o futuro de Braga e, neste caso, das antigas instalações da Confiança), procurando discutir decisões judiciais trazidas do passado para o presente – cuja intenção está longe de ser a construção de um município melhor. Contem com a Juventude Socialista para devolver o debate à sua dignidade, espelhando o que os bracarenses querem ver concretizado: soluções futuras, sustentáveis e amigas do bem público. 
Por último, e relembrando a intervenção do Dr. Ricardo Rio em sede de reunião de executivo, onde admitiu a importância da ideia dada pela JS, concluímos: uma residência Universitária privada não resolverá, nunca, os problemas dos alunos que não conseguem arrendar um quarto pelos preços proibitivos impostos pelo mercado. A única resposta, possível e desejável, passa pela criação de uma residência universitária, pública e acessível, ajudando, assim, os mais jovens e as suas famílias. 
Por Braga, 
Afirmamos Futuro.”
O MINHO tem acompanhado de perto este que é um dos assuntos que tem dominado o debate público na sociedade bracarense, conforme pode ser lido nas diversas notícias compiladas nesta página.

Anúncio

Braga

Gabriela Monteiro vai a sepultar este sábado em Braga

Funeral realiza-se em Real, Braga

em

Foto: DR

Gabriela Monteiro, mulher que perdeu a vida às mãos do companheiro na passada quarta-feira, na via pública, em Braga, vai a sepultar este sábado, em Real, concelho de Braga, pelas 17:00 horas.

A quarta mulher vítima mortal de violência doméstica deixa dois filhos e uma grande onda de consternação na cidade de Braga que se alastrou um pouco por todo o país, face ao cenário de horror em que perdeu a vida.

Em nota da agência responsável pelos serviços funerários, é indicado que o corpo da falecida ficará em câmara ardente a partir das 10:00 de sábado, a Igreja Paroquial de Real, com a missa de corpo presente a realizar-se pelas 17:00.

Gabriela foi a quarta mulher a perder a vida no distrito de Braga durante o ano de 2019, e a vigésima primeira a nível nacional.

Paulo Fernandes, autor das facadas que vitimaram Gabriela, está em prisão preventiva enquanto aguarda julgamento, depois de se ter apresentado no posto da PSP de Santa Tecla poucos minutos após ter cometido o bárbaro crime.

A morte de Gabriela, de 46 anos, e funcionária no Theatro Circo, em Braga, causou uma grande onde de pesar na cidade, que lhe prestou homenagem na noite desta quinta-feira, com mais de 500 pessoas em vigília silenciosa às portas do local onde trabalhava, em pleno centro histórico da cidade.

Continuar a ler

Braga

M1lhão saiu no distrito de Braga

Jogos Santa Casa

em

Foto: DR / Arquivo

O código vencedor do concurso 038/2019 do M1lhão, sorteado hoje, é DXS 18908, informou o Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

O prémio, no valor de um milhão de euros, saiu a uma aposta registada no distrito de Braga.

Continuar a ler

Braga

Ministra anuncia 35 horas semanais para todo o SNS, menos no Hospital de Braga

Os profissionais de saúde do Hospital de Braga não serão ainda abrangidos por este alargamento enquanto estiverem em análise as diferentes situações contratuais

em

Foto: DR

A passagem do horário normal de trabalho das 40 para as 35 horas semanais para todas as classes profissionais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) foi hoje concluída pelo Ministério da Saúde.

A medida deixa, no entanto, de fora os profissionais do Hospital de Braga.

Em comunicado, o Ministério da Saúde (MS) adianta que o período normal de trabalho de 35 horas semanais já tinha sido atribuído à generalidade dos profissionais, com exceção dos que ainda não dispunham de um acordo específico – técnicos superiores de saúde, informáticos, docentes, administradores hospitalares e capelães.

“Para cumprir este objetivo, foi apresentada uma proposta de acordo que foi hoje assinada por duas estruturas sindicais – Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP) e Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE), que abrange cerca de 2200 profissionais – mas não pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais, que considerou imperativo incluir os profissionais do Hospital de Braga”.

Assim, esclarece o MS, os profissionais de saúde do Hospital de Braga não serão ainda abrangidos por este alargamento enquanto estiverem em análise as diferentes situações contratuais.

A gestão do Hospital de Braga transitou da esfera privada para a esfera pública em 01 de setembro.

Continuar a ler

Populares