Seguir o O MINHO

Desporto

Comité Olímpico atualiza critérios de qualificação para Tóquio2020 (que se realizam em 2021)

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O Comité Olímpico Internacional (COI) atualizou hoje os princípios do sistema de qualificação para os Jogos de Tóquio2020, adiados para 2021, no qual dá liberdade às federações internacionais de cada desporto para definir os novos prazos.


Segundo as novas diretrizes, “é necessário encontrar um equilíbrio” entre “a proteção dos desportistas que estavam próximos da qualificação nos prazos antigos” e a “garantia de que nos Jogos participarão os melhores”.

O COI pediu ainda às federações que tentem, em cada modalidade, emular o mais possível em 2021 o que aconteceria em 2020 se a pandemia de covid-19 não tivesse levado à paralisação generalizada do desporto a partir de março.

Cada federação deve agora negociar com todas as partes envolvidas e encontrar um “consenso para decisão justa e transparente”, que seja publicada o quanto antes e que respeite a data limite de qualificação para os Jogos, agora estabelecida para 29 de junho de 2021.

Ficam conservadas as vagas e quotas já garantidas, que correspondem a 57% dos atletas que vão marcar presença, faltando ainda encontrar outros cerca de cinco mil participantes.

Outra das medidas tomadas prende-se com a possibilidade de cada federação internacional ampliar o limite de idades de cada desporto, uma questão que tem sido evocada sobretudo no futebol, que tem um limite de 23 anos nas convocatórias, salvo três exceções por equipa, tanto no seu máximo como no mínimo, aí caso da ginástica.

Hoje, a federação internacional que tutela o atletismo, a World Athletics, já tinha decidido suspender a qualificação por marca e a publicação do ‘ranking’ com vista a Tóquio2020 até 01 de dezembro, para salvaguardar a igualdade no caso de as competições serem reatadas primeiro numas partes do mundo do que em outras.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,3 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 75 mil. Dos casos de infeção, cerca de 290 mil são considerados curados.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 345 mortes e 12.442 casos de infeções confirmadas.

Anúncio

Futebol

“Temos a certeza que o Braga vai animar o campeonato”

Carlos Carvalhal

em

Foto: SC Braga

Declarações dos treinadores do FC Porto e do Sporting de Braga, Sérgio Conceição e Carlos Carvalhal, respetivamente, no final da partida da primeira jornada da I Liga portuguesa de futebol, que os ‘dragões’ venceram por 3-1:

Carlos Carvalhal (treinador SC Braga): “A palavra chave é o detalhe. No início, tivemos sempre o jogo controlado, não demos espaço entre linhas, e depois de estarmos a ganhar, acabámos por abrir para o FC Porto marcar.

Na segunda parte, ainda tivemos um remate do Ricardo Horta, que passou junto ao poste e uma outra jogada de Abel Ruiz, que podiam ter feito a partida ser diferente.

A minha proposta de ganhar o jogo foi posta em prática pelos jogadores, que foram bravos e valentes, mas defrontámos o campeão nacional, que é uma equipa muito forte.

Houve coisas positivas, como o nosso golo, que foi bonito, e outras coisas para ratificar, nomeadamente a questão dos detalhes que temos de trabalhar, porque temos a certeza que o Braga vai animar o campeonato.

O Paulinho não recuperou a tempo, há jogadores com apenas algumas semanas de trabalho e atrasados na recuperação, e outros lesionados, como Gaitan ou o Rui Fonte.

Alguns dos que apresentámos tiveram de acelerar a sua preparação, mas globalmente estou satisfeito com a prestação da equipa, mas insatisfeito com o resultado que me parece pesado.

Tenho certeza que vamos melhorar, se colocarmos toda a nossa energia em jogo, vamos mostrar o nosso real valor. O Braga é uma equipa competitiva, que pode discutir os três pontos com qualquer adversário, em Portugal e na Europa.”

Sérgio Conceição (treinador do FC Porto): “Foi um jogo bem disputado, estou feliz com esse facto, e com pena por não ter pessoas no estádio para ver duas boas equipas.

Entrámos bem na partida e tivemos ocasiões para fazer golos antes do Braga, com a equipa a perceber a ocupação dos espaços e a ter inteligência para recuperar bola, mas acabámos por sofrer no primeiro remate enquadrado do adversário.

Fomos à procura do empate, para depois conseguir algo mais, porque era importante não perder no intervalo, e com mérito no último terço, fizemos dois golos e podíamos ter feito mais.

Na segunda parte, o Sporting de Braga teve ocasiões, mas controlámos bem o jogo, e ainda chegámos a mais um golo, e se tivéssemos um pouco mais de critério podíamos ter feito mais. Foi um triunfo justo.

[Sobre a eventual saída de Alex Telles] O clube não me disse nada e estou tranquilo com o trabalho que temos feito com os jogadores.

Tenho de realçar o profissionalismo do Alex, que, apesar das notícias, fez um jogo muito competente, tal como a equipa. Tenho um grupo de jogadores com muito caráter, que sei que até ao último dia no clube, quer seja amanhã ou daqui a 10 anos, vão dar o máximo.

[sobre a ausência do público] Todos esperávamos ter público nos estádios, mas é uma coisa que não podemos controlar. O futebol é muito regulado, eu já fiz 23 testes [de despiste à covid-19], mas que o [Carlos] Carvalhal, e também tenho familiares na área da saúde e nunca foram testados.

Fico triste pelos adeptos, que não podem assistir a bons jogos como este. É uma atmosfera diferente, e apesar de quando começa o jogo os jogadores esquecerem tudo isso, no final é mau para o espetáculo.

[Sobre os reforços Taremi e Zaidu que se estrearam] Estiveram bem. Com todo o respeito com o Rio Ave e com o Santa Clara, jogar num clube com o FC Porto é diferente. O trabalho diário, a ambição e a exigência é outra. Mas, normalmente, os jogadores que vamos buscar, também pelo seu caráter, adaptam-se.

O Taremi é muito inteligente nas movimentações, procurando espaços onde não há, e o Zaidu é um jovem com muito potencial. Está em estado diferente de preparação, mas conto com eles.”

Continuar a ler

Futebol

SC Braga perde no ‘dragão’ com dois penáltis contra e um golo anulado

Futebol

em

Foto: Twitter de SC Braga

O SC Braga perdeu neste sábado frente ao FC Porto por 3-1, no Estádio do Dragão, num jogo marcado por um golo anulado a Abel Ruiz, por fora de jogo, e onde os nortistas marcaram dois golos de penálti.

O SC Braga, que surgiu com os reforços Castro e Al Musrati no ‘onze’, não tinha conseguido, até então, encaixar os seus contra-ataques, mas revelou-se letal na primeira jogada consistente que desenhou, conseguindo inaugurar o marcador, aos 21 minutos.

Também numa jogada de envolvência, construída por Ricardo Esgaio e Sequeira, o reforço Castro surgiu à entrada da área para desferir um remate certeiro, embora não festejando o 1-0, pela ligação emocional ao FC Porto, que representou na fase inicial da carreira.

O lance desestabilizou os ‘dragões’, que, dois minutos depois, viram o bracarense Abel Ruiz introduzir a bola na baliza portista, mas com o lance a ser invalidado por fora de jogo.

Apesar do calafrio, o FC Porto só conseguiu responder à contrariedade já no período de descontos, operando a reviravolta em menos de três minutos.

Aos 45+1, Sérgio Oliveira desviou de cabeça um cruzamento de Alex Telles, para resgatar o empate, e, aos 45+4, foi o defesa brasileiro a colocar a equipa portuense em vantagem, apontando o 2-1, numa grande penalidade a castigar falta de Raul Silva sobre Marega.

Logo após o intervalo, os minhotos reentraram no jogo apostados em recuperar e, em dois minutos, Ricardo Horta, depois de tirar dois adversários do caminho, surgiu isolado frente o guarda-redes Marchesin, mas desperdiçou rematando por cima.

Em vantagem, os ‘azuis e brancos’ não foram tão pressionantes, chegando até a dar a iniciativa ao Braga, para poder, depois, explorar, em contra-ataque, os espaços deixados pelo adversário.

Nesta toada, o desafio perdeu alguma intensidade, até porque os minhotos, mesmo com a entrada do reforço Schettine integrado no ataque e desfazendo o inicial esquema de três centrais, sentiam dificuldades na definição final das suas movimentações ofensivas.

Perante a incapacidade do adversário em chegar ao empate, o FC Porto acabou por desfazer as dúvidas sobre o desfecho do jogo já aos 89 minutos, com Alex Telles a ‘bisar de grande penalidade, para o 3-1, após falta de Tormena sobre Taremi, que, um minuto após ter entrado para se estrear de ‘dragão’ ao peito, foi derrubado na área.

Ficha de Jogo

Jogo disputado no Estádio do Dragão, no Porto.

FC Porto – SC Braga, 3-1.

Ao intervalo: 2-1.

Marcadores:

0-1, Castro, 21 minutos.

1-1, Sérgio Oliveira, 45+1.

2-1, Alex Telles, 45+4 (grande penalidade).

3-1, Alex Telles, 89 (grande penalidade).

Equipas:

– FC Porto: Marchesín, Manafá, Mbemba, Pepe, Alex Telles, Danilo, Uribe (Loum, 86), Sérgio Oliveira (Zaidu, 71), Otávio (Fábio Vieira, 90+2), Corona (Taremi, 87) e Marega.

(Suplentes: Diogo Costa, Diogo Leite, Zaidu, Loum, João Mário, Fábio Vieira, Soares, Evanilson e Taremi).

Treinador: Sérgio Conceição.

– SC Braga: Matheus, David Carmo, Bruno Viana, Raúl Silva (André Horta, 61), Ricardo Esgaio, Al Musrati (Iuri Medeiros, 78), Fransérgio, Castro (Galeno, 61), Sequeira (Vítor Tormena, 78), Abel Ruiz (Guilherme Schettine, 61) e Ricardo Horta.

(Suplentes: Tiago Sá, Vítor Tormena, Rolando, Moura, João Novais, André Horta, Iuri Medeiros, Galeno e Guilherme Schettine).

Treinador: Carlos Carvalhal.

Árbitro: João Pinheiro (AF Braga).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Bruno Viana (11), Ricardo Esgaio (60), Sérgio Oliveira (68), André Horta (72) e David Carmo (79). Cartão vermelho direto para Raúl Silva (75, no banco dos suplentes).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

(notícia atualizada às 00h07)

Continuar a ler

Desporto

Vitória sobe à primeira divisão nacional de voleibol

Voleibol

em

Foto: Vitória SC

A equipa feminina de voleibol do Vitória SC assegurou lugar na I divisão nacional após vitória, na sexta-feira, frente ao Club Sports Madeira, por 3-1, em jogo disputado em Matosinhos.

As conquistadoras venceram os dois primeiros sets, por 25-19 e 25-20, perderam o terceiro, por 18-25, e carimbaram a subida numa quarta parte renhida que terminou em 28-26.

Continuar a ler

Populares