Redes Sociais

Combate, procissão e cortejo encheram Monção

Alto Minho

Combate, procissão e cortejo encheram Monção

A vila de Monção viveu, este domingo, um dia repleto de atividades com a Festa da Coca que coincide com as comemorações do Corpo de Deus.

O dia terminou com a vitória do cavaleiro S. Jorge sobre a Coca, o que, segundo a tradição, significa um bom ano agrícola. O momento foi presenciado por alguns milhares de pessoas, no anfiteatro natural do Campo do Souto.

Paulo Barros, que representou São Jorge, cumpriu a tradição de espetar uma lança por três vezes na boca do dragão e cortar-lhe uma das orelhas em pouco mais de oito minutos, apesar do nervosismo do cavalo Oeste, um puro lusitano.

“O animal estava assustado e tivemos que ganhar coragem. Já aconteceram algumas coisas complicadas na história deste combate. A vitória deste ano é bom sinal, significa uma boa colheita de Alvarinho”, acrescentou Paulo Barros.

Ao início da tarde, todas as freguesias do concelho desfilaram nas ruas da vila num cortejo etnográfico muito animado, despertando gargalhadas na plateia. O vinho Alvarinho, o trabalho da pedra, o ciclo do linho e a emigração foram alguns dos temas retratados ao longo de 43 carros alegóricos.

cortejo coca moncao (1)

Seguiu-se o principal momento religioso das comemorações do Corpo de Deus: uma procissão que juntou as cruzes paroquiais de todas as freguesias de Monção e ainda uma valiosa custódia de prata dourada.

procissao moncao

Todos os pontos do programa foram presenciados por milhares de pessoas.

Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais Alto Minho