Seguir o O MINHO

Ponte de Lima

Comandos: Recruta de Ponte de Lima morreu há três anos e ainda ninguém foi condenado

Mãe em desespero

em

Foto: DR / Arquivo

Foi há três anos que Dylan Silva, natural de Gemieira, Ponte de Lima, morreu por falência de órgãos na sequência de denominada ‘Prova Zero’ (primeira prova do curso de Comandos) do 127.º curso de Comandos, que decorreu na região de Alcochete, distrito de Setúbal. À data com 20 anos, não resistiu às lesões graves que, em conjunto com outros dez instruendos, terá sofrido durante aquela prova de esforço.

Volvidos três anos o processo da morte de Dylan prossegue na justiça com um julgamento a decorrer há cerca de um ano, em passo lento, sem existir ainda quaisquer condenação ou obrigatoriedade de indemnização aos pais do limiano, pois a lei é omissa nos casos em que funcionários de Estado morrem durante uma formação.

Julgamento do caso da morte de Dylan da Silva no curso de Comandos começa a 27 de setembro

Acusados estão 19 militares pertencentes aos Comandos, que respondem por abuso de autoridade e ofensa à integridade física, nunca por homicídio involuntário.

Enfermeira é testemunha chave no processo

O testemunho da enfermeira Isabel Nascimento, que esteve de serviço desde o início da fatídica prova de formação,  refere que o médico responsável se terá ausentado quando Dylan terá perecido durante as provas formativas, ficando sem assistência médica até chegada do INEM, que se deu cerca de uma hora depois.

Este testemunho realizado no Campus da Justiça, em Lisboa, em junho de 2019, durante o julgamento que decorre há cerca de um ano, poderá trazer novas caras para o rol de responsabilidades na morte do soldado, algo que os pais de Dylan pretendem ver apurado.

Pais de Dylan da Silva contam agressões relatadas pelo filho antes do curso de Comandos

No último depoimento do julgamento que opõe 19 arguidos contra os pais de Dylan e também de Hugo Abreu, outro militar dos Comandos que morreu no mesmo dia e nas mesmas circunstâncias, foi revelado que, enquanto Hugo Abreu era assistido, Dylan ficou sem qualquer assistência durante cerca de uma hora. Se Hugo Abreu morreu ainda no local, Dylan ainda esteve internado seis dias no Hospital Curry Cabral, morrendo a 10 de setembro de 2016.

É também referido que, no local da formação, existiam duas ambulâncias, mas nenhuma possuía equipamento avançado de suporte de vida. A enfermeira relata que os socorristas apenas se voltaram para Dylan depois de Hugo Abreu morrer, mas que este também já não respondia.

Mãe de Dylan quer ir ter com o filho

A mãe, Lucinda Araújo, relata o JN na sua edição impressa desta terça-feira, vive em desespero e já pensou pôr término à vida. Divorciada, a viver sozinha em casa rodeada de animais, está sem qualquer apoio emocional ou financeiro, e culpa o Exército de “esquecer os jovens”, atribuindo-lhes as responsabilidades da morte de Dylan. Lucinda confessa estar cansada e que já pensou em “ir ter com ele [Dylan]”, só não o fazendo porque tem os animais para cuidar, como escreve o JN.

Anúncio

Ponte de Lima

Adega de Ponte de Lima apresentada em feira em Munique

Forum Vini

em

Foto: Forum Vini 2014 / Divulgação

A Adega de Ponte de Lima, que celebra 60 anos, será uma das nove representantes portuguesas, na comitiva liderada pela associação ViniPortugal, que vai participar na Forum Vini, feira vinícola internacional, que decorre em Munique, na Alemanha, entre sexta-feira e domingo, na qual são esperados 9.500 visitantes.

A representação portuguesa no evento é formada pela Adega Ponte de Lima, Casa Santos Lima, Esporão, Filipe Palhoça Wines, Juliana Kelman Wines, Quinta do Paral, Casa Romana Vini, Monte da Ravasqueira e Wines and Winemakers by Saven.

Adega Cooperativa de Ponte de Lima: Há 60 anos a ‘tirar’ o melhor vinho Loureiro do país

 

Com cerca de dois mil associados, a Adega de Ponte de Lima produz, em média, seis milhões de litros de vinho por ano.

Tem produtores associados em Ponte de Lima, Viana do Castelo, Ponte da Barca, Arcos de Valdevez, Barcelos e Vila Verde.

Em 2018, os vinhos portugueses cresceram 7,5% em valor no mercado alemão, 5% em volume e 2,4% no preço médio, face a 2017.

Continuar a ler

Ponte de Lima

Ponte de Lima investe 375 mil euros para requalificar cemitério municipal

Câmara quer “valorizar e dar uma nova dignidade ao espaço”

em

Foto: Divulgação / CM Ponte de Lima

Foi assinado no dia 29 de outubro, o auto de consignação da empreitada de remodelação do cemitério municipal de Ponte de Lima, pelo valor de cerca de 375 mil euros, anunciou esta quarta-feira a autarquia.

Em nota de imprensa, é referido que a pretensão da autarquia com esta obra é a de “valorizar e dar uma nova dignidade ao espaço, requalificando as áreas existentes, quer do interior e do exterior, devido ao seu mau estado de conservação e falta de funcionalidade, bem como melhorar as condições de acesso pedonal e automóvel, tornando o cemitério municipal acessível a pessoas com mobilidade condicionada”.

Para o presidente da Câmara de Ponte de Lima, Victor Mendes, “esta obra de requalificação do cemitério, é mais um dos nossos objetivos que estamos a cumprir”.

A intervenção traduz-se na substituição dos pavimentos existentes em terra batida por cubo de granito azul serrado e lajedo de granito azul de Ponte de Lima.

A obra de requalificação incidirá também na substituição da cobertura da capela, e no restauro dos portões existentes. Proceder-se-á ainda à substituição das infraestruturas existentes, nomeadamente de abastecimento e drenagem de águas pluviais, sem esquecer a colocação de uma nova infraestrutura de iluminação pública.

Esta obra insere-se na estratégia do Município de Ponte de Lima de beneficiação dos espaços públicos, conferindo-lhes condições de usufruto condicentes com a exigência dos padrões contemporâneos de urbanidade.

Continuar a ler

Alto Minho

Como manda a ‘tradição’, cartaz da Feira do Cavalo de Ponte de Lima foi apresentado na Golegã

XXI Feira do Cavalo decorre no início de julho de 2020

em

Como manda a tradição. O cartaz da Feira do Cavalo de Ponte de Lima foi apresentado, esta semana, durante a Feira Nacional do Cavalo de S. Martinho, na Golegã, distrito de Santarém, numa iniciativa que se integra na parceria estabelecida entre o Município de Ponte de Lima e o Município da Golegã para a promoção recíproca de ambos os eventos equestres.

O cartaz deste ano apresenta a Campeã dos Campeões da Feira do Cavalo de Ponte de Lima 2019. A Égua Marquesa, da Coudelaria Leonardo Franco, apresentada por João Oliveira, ostenta as faixas de “Campeã Fêmea” e “Campeã dos Campeões” com as cores de Ponte de Lima.

Imagem: Divulgação

Com fotografia de Afonso Bordallo Rodrigues e design de Teresa Aroso Vilaverde, “o cartaz deste ano teve como inspiração um trabalho de ourivesaria do Minho, muito ligado também aos trajes regionais de Ponte de Lima”, assinala a autarquia de Ponte de Lima numa nota enviada a O MINHO.

A 21.ª Feira do Cavalo de Ponte de Lima, organizada pelo Município de Ponte de Lima, Associação
Concelhia das Feiras Novas, Associação Empresarial de Ponte de Lima e o Centro Equestre do Vale
do Lima, irá decorrer entre 02 e 05 de julho de 2020.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares