Seguir o O MINHO

Braga

“Coletes amarelos”: Manifestação em Braga termina com desacatos entre participantes

em

A manifestação de hoje dos “coletes amarelos” em Braga terminou pelas 13:20, com desacatos entre alguns manifestantes, após uma reunião entre os responsáveis pela organização da iniciativa e o presidente da Câmara, Ricardo Rio.

O anúncio da desmobilização, feito pelo porta-voz da organização, Filipe Monteiro, espoletou os protestos de alguns dos manifestantes, tendo mesmo havido alguns confrontos físicos entre eles.

Filipe Monteiro. Foto: DR

“Estamos muito contentes, conseguimos o objetivo que era paralisar Braga e chegámos a um acordo com as autoridades para que, por hoje, o protesto fique por aqui”, disse Filipe Monteiro.

Acrescentou que gostou daquilo que o presidente da Câmara, Ricardo Rio, lhes disse, mas sublinhou que é preciso esperar para ver se o protesto vai ter consequências práticas.

“Se em dias não houver nada, voltamos à ação”, avisou.

Enquanto os responsáveis da organização reuniam com o presidente da Câmara, cerca de 20 a 30 “coletes amarelos” esperaram no exterior, ao som de música de intervenção e apupando e insultando quem saía dos Paços do Concelho.

Nos coletes tinham escritas algumas das suas reivindicações, que iam desde melhores salários e menos impostos à legalização do ‘tuning’ (afinação/personalização de carros).

Após o anúncio do fim da manifestação, os ânimos de alguns manifestantes exaltaram-se, passando os insultos a ser direcionados para os responsáveis da organização.

A manifestação em Braga começou pelas 06:00 e levou ao bloqueio do trânsito numa das principais entradas da cidade.

A Câmara de Braga, em comunicado, esclareceu que “não autorizou nem proibiu a realização da referida manifestação, nomeadamente no que diz respeito ao corte de vias públicas, por não existir enquadramento legal para qualquer uma dessas ações”.

Segundo o comunicado, a Câmara informou os requerentes do protesto de que a sua comunicação do evento “continha várias deficiências e que a manifestação estaria desconforme com a lei”, nomeadamente por causa da hora da manifestação e do local, a menos de 100 metros do Regimento de Cavalaria de Braga.

A Câmara avisou também que a manifestação não poderia colocar em causa a salvaguarda da passagem de viaturas de emergência ou incumbentes de atos relativos à Proteção Civil e ainda de quaisquer outras que se quisessem fazer deslocar pelas vias em causa.

Os protestos dos “coletes amarelos” em Portugal foram convocados por vários grupos através das redes sociais, com inspiração nos movimentos contestatários das últimas semanas em França.

Um dos grupos, Movimento Coletes Amarelos Portugal, num manifesto divulgado na quarta-feira, propõe uma redução de impostos na eletricidade, com incidência nas taxas de audiovisual e emissão de dióxido de carbono, uma diminuição do IVA e do IRC para as micro e pequenas empresas, bem como o fim do imposto sobre produtos petrolíferos e redução para metade do IVA sobre combustíveis.

A lista das manifestações dos “coletes amarelos” na área de atuação da PSP somava 25 protestos em 17 locais das principais cidades do país.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Braga

Procissão do “Ecce Homo” saiu às ruas em Braga – imagens

FOTOGALERIA

em

Fotos: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

A Procissão do Senhor “Ecce Homo”, que se repete, todos os anos, na Quinta-feira Santa, saiu esta noite às ruas, em Braga.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Procissão é organizada, desde os tempos antigos, pela Irmandade da Misericórdia, evocando “o julgamento de Jesus, ao mesmo tempo que celebra a misericórdia por Ele ensinada”.

Segundo é explicado no site da Semana Santa de Braga, “abre o cortejo o exótico grupo dos farricocos com grosseiras vestes de penitência, descalços e encapuçados, de cordas à cinta, como outrora os penitentes públicos, uns empunhando matracas e outros alçando fogaréus (taças com pinhas a arder). Daí chamar-se também «Procissão dos Fogaréus». Integrados na procissão, os fogaréus evocam os guardas que, munidos de archotes, foram, de noite, prender Jesus”.

“A imagem do Senhor “Ecce Homo” (ou “Senhor da cana verde”) representa o Cristo que se declarara rei e que o governador romano pôs a ridículo pondo-lhe na mão um simulacro de ceptro (uma cana verde). Foi assim que Pilatos o apresentou à multidão, dizendo: ― “Eis aí o Homem!” (“Ecce Homo”)”.

A página oficial da Semana Santa de Braga está acessível através do endereço semanasantabraga.com.

Continuar a ler

Braga

Galegos embelezam centro de Braga com tapete de flores

Ponteareas promove-se na cidade durante a Semana Santa

em

Foto: Divulgação / CM Braga

A Avenida Central, em Braga, está hoje embelezada por um tapete de flores criado, junto ao Posto de Turismo, por membros da “Asociación de Alfombristas do Corpus Christi de Ponteareas”, associação espanhola do Município de Pontearas, na província de Pontevedra.

O vereador do Turismo da autarquia bracarense salienta a satisfação em receber aquele tapete floral, que visa promover a Festa do Corpo de Deus daquela cidade, durante a Semana Santa de Braga.

Foto: Divulgação / CM Braga

“Consideramos importantes desenvolver estas parcerias com os municípios vizinhos da Galiza, sendo que os turistas espanhóis, sobretudo os Galegos, chegam em grande número para assistir às celebrações da Semana Santa em Braga” refere Altino Bessa, citado numa nota enviada a O MINHO.

No mesmo texto, Xosé Represas, Alcaide de Ponteareas, refere ser um prazer estar em Braga a divulgar uma actividade com enorme tradição e ligada à religiosidade.

“Aproveito para convidar os bracarenses a passar por Ponteareas para participar nas festas do Corpo de Deus, que se realizam nos dias 22 e 23 de Junho. Trata-se de uma tradição com 200 anos mas que a cada ano ganha maior número de participantes e atrai milhares de visitantes”, disse, salientando o tapete floral de um quilómetro que irá receber a Procissão Solene que se realiza no dia 23 de Junho.

A Festa do Corpo de Deus em Ponteareas é a celebração mais importante daquela cidade de Espanha.

Continuar a ler

Braga

Gelados com larvas à venda em Braga e Ponte de Lima – e isso é bom

Para começar: larvas. A proposta é da MyIced

em

Foto: Divulgação

Sabia que o consumo humano de insetos comestíveis foi recomendado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), em particular devido ao facto de ser uma fonte de proteína com uma produção ecologicamente mais sustentável? Quem o diz a MyIced, que, no Minho, conta com duas lojas, em Braga e em Ponte de Lima, e que, esta quarta-feira, anunciou a chegada desta nova iguaria como topping (cobertura) extra nos seus gelados de iogurte, nos crepes, nos waffles ou como topping em qualquer outro produto à venda na rede nacional da marca.

Segundo a FAO, explica a empresa, “há atualmente registo do consumo humano de mais de 1900 espécies de insetos: escaravelhos (31%), lagartas (18%), abelhas, vespas e formigas (14%) … gafanhotos, cigarras, térmitas, libelinhas e moscas são outras espécies consumidas”.

Foto: Divulgação

Na fase de lançamento, a MyIced propõe larvas como uma primeira experiência exótica neste novo mundo da alimentação que, dizem, está já aí ao virar da esquina. Posteriormente, a marca poderá apresentar outras opções da gama de insetos voadores ou rastejantes.

João Gouveia, gestor nacional da MyIced, destaca que a marca pretende sobretudo proporcionar novas experiências gustativas aos seus clientes, seguindo uma linha estratégica que procura desafiar o convencional e apostar em eixos como a alimentação saudável e ambientalmente sustentável.

“Depois do gelado preto à base de carvão vegetal ativado (MyIced Eclipse) e da folha de ouro de 24 quilates como topping do mesmo (MyIced Eclipse Deluxe), os insetos MyIced Top Bugs constituem uma proposta certamente disruptiva, mas que irão completar um menu onde há muito pontuam os gelados de iogurte vegan, halal e kosher, sem glúten, sem açúcar e sem lactose, bem como o bubble tea e as bubble waffles refere ainda o fundador da Myiced.

Foto: Divulgação

“Os insetos comestíveis MyIced Top Bugs não têm antibióticos, corantes artificiais, aromatizantes, conservantes ou MSG; são ricos em nutrientes e proteínas, pobres em carboidratos e uma grande fonte de fibras, minerais e aminoácidos. Os insetos são desidratados através de um processo de liofilização: são congelados sob vácuo e o gelo formado é volatilizado”, garante a empresa.

A MyIced, empresa com sede em Leiria tem, ainda, lojas em Bragança, Viseu, Leiria, Caldas da Rainha, Setúbal, Porto e Lisboa, estando já previstas a abertura de novas lojas em Santarém e em Penafiel.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Patrocinado

Reportagens da Semana

Populares