Seguir o O MINHO

Braga

“Coletes amarelos”: Manifestação em Braga termina com desacatos entre participantes

em

A manifestação de hoje dos “coletes amarelos” em Braga terminou pelas 13:20, com desacatos entre alguns manifestantes, após uma reunião entre os responsáveis pela organização da iniciativa e o presidente da Câmara, Ricardo Rio.

O anúncio da desmobilização, feito pelo porta-voz da organização, Filipe Monteiro, espoletou os protestos de alguns dos manifestantes, tendo mesmo havido alguns confrontos físicos entre eles.

Filipe Monteiro. Foto: DR

“Estamos muito contentes, conseguimos o objetivo que era paralisar Braga e chegámos a um acordo com as autoridades para que, por hoje, o protesto fique por aqui”, disse Filipe Monteiro.

Acrescentou que gostou daquilo que o presidente da Câmara, Ricardo Rio, lhes disse, mas sublinhou que é preciso esperar para ver se o protesto vai ter consequências práticas.

“Se em dias não houver nada, voltamos à ação”, avisou.

Enquanto os responsáveis da organização reuniam com o presidente da Câmara, cerca de 20 a 30 “coletes amarelos” esperaram no exterior, ao som de música de intervenção e apupando e insultando quem saía dos Paços do Concelho.

Nos coletes tinham escritas algumas das suas reivindicações, que iam desde melhores salários e menos impostos à legalização do ‘tuning’ (afinação/personalização de carros).

Após o anúncio do fim da manifestação, os ânimos de alguns manifestantes exaltaram-se, passando os insultos a ser direcionados para os responsáveis da organização.

A manifestação em Braga começou pelas 06:00 e levou ao bloqueio do trânsito numa das principais entradas da cidade.

A Câmara de Braga, em comunicado, esclareceu que “não autorizou nem proibiu a realização da referida manifestação, nomeadamente no que diz respeito ao corte de vias públicas, por não existir enquadramento legal para qualquer uma dessas ações”.

Segundo o comunicado, a Câmara informou os requerentes do protesto de que a sua comunicação do evento “continha várias deficiências e que a manifestação estaria desconforme com a lei”, nomeadamente por causa da hora da manifestação e do local, a menos de 100 metros do Regimento de Cavalaria de Braga.

A Câmara avisou também que a manifestação não poderia colocar em causa a salvaguarda da passagem de viaturas de emergência ou incumbentes de atos relativos à Proteção Civil e ainda de quaisquer outras que se quisessem fazer deslocar pelas vias em causa.

Os protestos dos “coletes amarelos” em Portugal foram convocados por vários grupos através das redes sociais, com inspiração nos movimentos contestatários das últimas semanas em França.

Um dos grupos, Movimento Coletes Amarelos Portugal, num manifesto divulgado na quarta-feira, propõe uma redução de impostos na eletricidade, com incidência nas taxas de audiovisual e emissão de dióxido de carbono, uma diminuição do IVA e do IRC para as micro e pequenas empresas, bem como o fim do imposto sobre produtos petrolíferos e redução para metade do IVA sobre combustíveis.

A lista das manifestações dos “coletes amarelos” na área de atuação da PSP somava 25 protestos em 17 locais das principais cidades do país.

Anúncio

Braga

Bom Jesus é dos locais mais ‘instagramáveis’ da Europa, diz televisão pública belga

Concorda?

em

Foto: Blogger "umpinguinho"

A nomeação de Braga como o segundo destino europeu do ano de 2019 está na base da classificação da cidade como uma das mais instagramáveis da Europa, sobretudo graças ao escadório do Bom Jesus, ou assim o diz a estação de televisão pública belga RTBF.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Yoswer Zambrano📷 (@yoswerz) a

Mas nem tudo é positivo. Esta descrição do monumento religioso parte de um princípio que, hoje em dia, há uma maior procura de destino de férias, não pelas memórias em si, mas sobretudo pelo enquadramento de fotografias para redes sociais.

A RTBF questiona como é que Braga ficou à frente de Florença na lista de melhores destinos europeus. A resposta? Instagram. Os belgas dizem que “Braga é muito fofa” indicando que já realizaram um trabalho na urbe bracarense “há 7 anos, quando o Norte de Portugal não era tão turístico”, mas que isso por si só não deveria chegar para ultrapassar uma cidade como Florença, à qual apelidam de “jóia de cultura, gastronomia e arte italiana”.

Os belgas acreditam que o escadório do Bom Jesus é o monumento que mais força dá a Braga e que existe um desejo na procura pela “escadaria instagramável” que passa no feed de Instagram de utilizadores um pouco por todo o mundo.

 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por zúlia (@juhzs_) a

 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Claudia Rackow (@claudiarackow) a

 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Francesca De Luca (@fraanceschinaaa) a

 

Sobre o escadório, “nada a dizer”. “É soberbo”, referem, dando também destaque à Sé Catedral e “às poucas ruas comerciais” do centro da cidade. “Mas daí até propor a cidade como segundo melhor destino turístico… Temos as nossas dúvidas”, escrevem.

O texto surge a propósito de uma nova profissão que começa a existir em alguns destinos turísticos mundiais. o “instabutler“, uma espécie de mordomo para o Instagram.

Explica a publicação que quem vai de férias para um lugar exótico e, ao lado do tradicional concierge de hotel que prepara atividades e passeios, já pode contar com quem o leve aos locais “mais instagramáveis” da região.

E para isso, o instabutler vai equipado com uma variedade de acessórios e sabe as horas em que as fotos serão mais bonitas ou os monumentos que melhor se encaixam numa foto de perfil nas redes sociais.

A National Geographic Portugal publicou em julho deste ano a lista das 10 cidades “mais instagramáveis” de Portugal, e não escolheram Braga.

Lisboa, Porto, Coimbra, Águeda, Aveiro, Obidos, Peniche, Alcácer do Sal, Seia e Faro foram as cidades escolhidas pela publicação.

Se Braga é, ou não, um dos locais favoritos para retratar momentos apelativos para as redes sociais, não sabemos, mas a verdade é que foi eleito o segundo melhor destino turístico europeu em 2019. E isso ainda parece suscitar discussão em alguns países.

Continuar a ler

Braga

Homicida de Braga fica em prisão preventiva

Homicídio em Pedralva

em

Foto: O MINHO

O homem de 59 anos suspeito de assassinar a mulher com três tiros de caçadeira, na noite desta sexta-feira, em Pedralva, Braga, vai aguardar julgamento em prisão preventiva.

Manuel Lopes foi presente ao juiz de instrução do Tribunal de Barcelos que decretou a prisão preventiva como medida de coação, por ser suspeito de homicídio qualificado inserido “num quadro de violência conjugal”.

O homem já tinha passado a noite nos calabouços da Polícia Judiciária de Braga depois de, ontem à noite, se ter entregue no posto territorial da GNR no Sameiro, confessando o crime.

Continuar a ler

Braga

Jovem de 20 anos e filho de 5 meses vítimas de violência doméstica em Braga

Armas apreendidas

em

Foto: DR

A GNR de Braga apreendeu esta sexta-feira 12 armas a um homem de 22 anos que é suspeito de agredir a companheira, de 20 anos, e o filho de ambos, de cinco meses, avança aquela força policial.

De acordo com um comunicado enviado a O MINHO, os militares averiguaram que a mulher era agredida, injuriada e ameaçada com armas, assim como o filho, por parte do companheiro.

Após a denúncia de violência doméstica, e por a vítima ter decidido sair de casa, a GNR acompanhou a mesma à residência que partilhava com o agressor, no intuito de recolher os seus pertences pessoais e do filho.

De acordo com a nota de imprensa, os militares ainda procederam à apreensão das armas, que supostamente eram utilizadas nas ameaças, as quais, devido à sua tipologia, são de posse proibida, nomeadamente, uma arma elétrica, um fio de estrangulamento, uma soqueira, um spray gás pimenta, três navalhas, uma faca borboleta, uma pulseira com um lamina dissimulada, um punhal e um bastão extensível.

Foto: GNR Braga

Os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Braga.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares