Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Colecionador de Viana do Castelo junta 8 quilómetros de discos em 51 anos

Paixão transformou-se numa “história de vida”

em

Foto: O MINHO/Arquivo

Victor Coutinho começou em 1968 por “acumular” discos, mas a “paixão” transformou-se numa “história de vida” que soma 51 anos e um espólio com mais de 40 mil exemplares que, juntos, completariam oito quilómetros de extensão.

Teimosia do proprietário mantém aberta única loja de discos de Viana do Castelo

A estimativa, “por baixo”, resulta da soma de álbuns e singles, em vinil, e CD que o ourives tem guardados numa sala, com mais de 85 metros quadrados, da casa onde reside nos arredores de Viana do Castelo.

“Somando a dimensão dos mais de 15 mil álbuns, cinco mil singles e 20 mil CD chegamos quase aos oito quilómetros de extensão”, estimou o empresário, de 63 anos.

Victor Coutinho também é DJ. Foto: CM Viana

Victor Coutinho diz que gostaria “muito” de poder partilhar a paixão de uma vida com os “vianenses, o país e o mundo”, num espaço próprio para o efeito.

“Poderei, gratuitamente, colocar o espólio ao serviço da comunidade. Terei todo o prazer e orgulho em partilhar”, referiu, lembrando o “sucesso” da exposição que realizou, faz no final do mês dois anos. A mostra dedicada aos Beatles durou dois meses e foi visitada por cerca de cinco mil pessoas.

Na calha, Victor Coutinho disse ter “grandes projetos”, mas que os quis revelar antes de estarem garantidos.

Na casa onde reside mostra o espólio que preenche um compartimento inteiro e dispara: “Já tenho tudo, não me falta nada na minha coleção”.

Contudo, rapidamente se apressa a corrigir: “Bem, se aparecer alguma raridade não sei se resistirei”.

O vinil “She Loves You”, dos Beatles, a sua banda de eleição, foi o primeiro que comprou “com critério”, ultrapassada a fase de “acumulador”.

“Tinha uma avó que patrocinava e, nessa altura, comprava tudo o que me aparecia, sem conhecimento de causa. Agora sou minucioso, procuro apenas o disco raro”, referiu.

Dos mais de 40 mil discos do empresário, nascido no Congo Belga e desde os três anos a viver em Viana do Castelo, “cerca de quatro mil” são exemplares raros da banda britânica.

“Claro que os Beatles não lançaram tantos discos. Tenho vinis de edições da Coreia, Singapura, Brasil, Estados Unidos, Inglaterra, França, Portugal, Jugoslávia, Rússia, entre muito outras edições especiais”, revelou.

Como exemplo, apontou o oitavo álbum da banda, pois tem o disco “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” assinado por Paul McCartney.

A primeira edição de “Let it be”, o vinil “Help”, com a concha da Shell, concebido para a petrolífera, e até gravações que a BBC fez da banda integram o material que espalha pela sala inteira, distribuído por prateleiras, enormes gavetas, e até pelo chão. Nas paredes, fotos, quadros e outros apontamentos relacionados com os Beatles revestem o seu “santuário”, que apesar de “aparentemente” desorganizado, está “devidamente identificado”.

“Sei onde está tudo, onde comprei, porque comprei como comprei”, aponta, avançando que organiza a coleção pela ordem do abecedário, colocando primeiro as bandas e depois os solistas.

Nas estantes repletas de discos de vinil e CD, há música portuguesa, norte-americana, inglesa, francesa e italiana, entre outras.

“Tenho de tudo um pouco. Também tenho filmes, quadros, relógios, loiças, brinquedos, coleções de cromos, livros”, especificou, lembrando o início da “doença” de colecionador.

Os álbuns “World”, dos Bee Gees, e “Mighty Queen”, de Manfred Mann, foram-lhe oferecidos pela avó, como prenda de aniversário. Tinha então 12 anos e “não sabia bem o que fazer com os discos”, pois faltava o gira-discos.

Nos últimos anos, aos discos e filmes foi juntando outros produtos que vai encontrando em viagens, mas todos relacionados com a banda britânica.

O gel que os Beatles usavam no cabelo, a bússola temática do filme “Yellow Submarine”, miniaturas do carro e do autocarro onde os músicos se deslocavam são alguns dos objetos que faz questão de mostrar.

Que destino terá, no futuro, “a paixão de uma vida” é a pergunta que o assalta frequentemente, mas não é nada que lhe tire a vontade de continuar a enriquecer a coleção.

“Doar, não vou doar, mas quero muito partilhar. Quando já cá não estiver os meus dois filhos decidirão”, concluiu.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Viana do Castelo

Grupo espanhol investe 17 milhões e cria 70 novos empregos em Viana

No parque empresarial de Lanheses

em

Foto: DR / Arquivo

Um grupo espanhol do setor automóvel vai investir 17 milhões de euros numa nova unidade industrial no parque empresarial de Lanheses e criar 70 novos postos de trabalho, anunciou o presidente da Câmara de Viana do Castelo.

José Maria Costa adiantou que o contrato de investimento vai ser submetido à apreciação do executivo municipal na próxima reunião camarária.

O autarca socialista, que falava na sexta-feira à noite, numa tertúlia promovida pelo Fórum Vianense, nas instalações do porto de mar da cidade, em Darque, sobre “Dinamização Industrial como fator de competitividade regional”, considerou que o concelho vive uma “fase vibrante de atividade económica”, referindo como exemplo “as sete novas unidades fabris que estão a instalar-se no concelho”.

“Semana sim, semana não, recebemos uma nova intenção de investimento industrial no concelho”, frisou.

O presidente da câmara adiantou que foi assinada, na sexta-feira, com a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL), a prorrogação, por mais 20 anos, da concessão do parque empresarial da Praia Norte ao município.

“Esta prorrogação do prazo vai permitir um investimento no parque empresarial de 20 milhões de euros”, salientou.

O parque da Praia Norte, propriedade da APDL, acolhe atualmente cerca de três dezenas de unidades empresariais.

Segundo os dados revelados pelo autarca, “desde 2013 e até final de 2018, já foram criados 3.557 novos postos de trabalho que resultaram da assinatura de 41 contratos que representaram um investimento de 263 milhões de euros”, nos quatro parques empresariais do concelho (Praia Norte, Alvarães/Neiva, Lanheses e Miadela).

Continuar a ler

Viana do Castelo

Mário Augusto conversa sobre cinema na Biblioteca de Viana do Castelo

Programa televisivo ‘Janela Indiscreta’ deu origem a um livro

em

Foto: DR

A Biblioteca Municipal de Viana do Castelo recebe o jornalista Mário Augusto para mais um ‘À Conversa com…’. O autor vem apresentar o livro ‘Janela Indiscreta-o que dizem as estrelas’, depois de mais de trinta anos de entrevistas a estrelas de cinema.

Segundo nota municipal, “depois de décadas a entrevistar estrelas, com algumas a convivência e os reencontros enriqueceram as conversas, que foram muito para além do mais recente filme ou escândalo de Hollywood” e que acabaram em livro.

Depois de 15 anos do Janela Indiscreta, Mário Augusto selecionou as suas melhores entrevistas a 25 dos maiores nomes da indústria cinematográfica, que apresenta agora num livro ilustrado com caricaturas certeiras de André Carrilho.

Continuar a ler

Futebol

Quatro equipas inglesas promovem estágios em Viana

Pré-época

em

Foto: Divulgação

Três equipas inglesas de futebol têm já confirmados, para julho, os estágios de pré-época em Viana do Castelo. Os estágios vão acontecer no Estádio Municipal Manuela Machado, sendo que as comitivas, que implicam mais de 100 pessoas, vão ficar instaladas em duas unidades hoteleiras do concelho.

As equipas vêm efetuar treinos de preparação de pré-época e vão também promover alguns jogos de treino com equipas portuguesas.

A equipa sub-23 do Brighton Hove Albion instala-se em Viana do Castelo de 7 a 12 de julho, numa comitiva de 30 pessoas. Depois, de 13 a 20 de julho, a equipa sub-23 do Nottingham Forest chega com uma comitiva de 28 elementos.

De 15 a 22 de julho, as equipas sub-23 e sub-18 do Fulham treinam no Estádio Municipal com uma comitiva de 48 elementos.

Recorde-se que, em dezembro do ano passado, o Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo assinou um protocolo de desenvolvimento de turismo desportivo no concelho vianense que visa trazer equipas de futebol de todo o mundo à cidade, para realização de estágios. O documento, assinado entre o autarca José Maria Costa e o representante da CA Tourism & Events Limited, com sede em Inglaterra, tem como objetivo o desenvolvimento turístico desportivo do concelho de Viana do Castelo e a cooperação entre as partes no âmbito específico do apoio logístico, vigorando pelo período de um ano, renovado automaticamente.

A Câmara Municipal de Viana do Castelo disponibiliza o Estádio Municipal Manuela Machado para realização de estágios de futebol e jogos de treino, cedendo outros apoios logísticos, dependendo das necessidades que se vierem a verificar. A autarquia fica ainda responsável por efetuar o tratamento e manutenção da relva natural do complexo, assim como tomar todas as iniciativas necessárias para que este esteja nas perfeitas condições para a realização dos estágios de futebol.

Já a empresa de promoção dos eventos desportivos tem de garantir que os clientes ficam sempre instalados nas unidades hoteleiras do concelho de Viana do Castelo, utilizando fornecedores e entidades locais para os variados serviços necessários ao apoio e realização dos estágios, assumindo ainda o compromisso de divulgar o concelho junto dos clientes e parceiros.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Patrocinado

Reportagens da Semana

Populares