Seguir o O MINHO

Região

Coindu ativa layoff e manda 2.300 trabalhadores para casa em Famalicão e Arcos de Valdevez

Covid-19

em

Foto: Divulgação

A empresa Coindu, com fábricas em Famalicão e Arcos de Valdevez, vai colocar os cerca de 2.300 trabalhadores e regime de layoff, suspendendo temporariamente os contratos de trabalho, denunciou a União de Sindicatos de Braga.

Produtora de têxteis e componentes para automóveis Porsche, Seat, Lamborghini e Mini, é a primeira grande empresa a recorrer ao mecanismo aprovado pelo Governo, de forma a reduzir custos para as empresas sem despedimento dos trabalhadores.

Segundo avança o jornal Público, a medida predurará até 27 de abril, com os trabalhadores a receberem dois terços do salário base, sendo 70% do valor pago pela Segurança Social.

Anúncio

Alto Minho

Viana do Castelo oferece equipamento de proteção individual aos profissionais de saúde

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CMVC

A Câmara de Viana do Castelo vai fornecer equipamento de proteção individual aos profissionais e saúde. Para o Hospital Distrital serão entregues mil máscaras P2 e para a Cruz Vermelha de Viana do Castelo e para os Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo 500 máscaras P2, anunciou hoje a autarquia em comunicado.

“Este equipamento é mais apropriado na proteção individual e a distribuição integra a política municipal que já permitiu entregar, nas primeiras duas semanas de Estado de Emergência, dez mil máscaras P1 e cinco mil pares de luvas às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho”, acrescenta o Município.

Continuar a ler

Braga

Parques de campismo em Braga e Vila Verde disponíveis para profissionais de saúde

Covid-19

em

Foto: Domingos Costa

Os parques de campismo situados em Braga e Vila Verde estão disponíveis para receber profissionais de saúde durante o tempo da pandemia de covid-19, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a Câmara de Braga explica que o Parque de Campismo e Caravanismo de Braga terá alojamento para até 24 pessoas da área da saúde e da proteção civil, após pareceria entre a autarquia, a Invest Braga, o movimento de caravanistas ISTAS e o Hospital de Braga.

Bungalows, autocaravans e caravanas estarão disponíveis a partir de quinta-feira, com a chegada de mais seis autocaravanas vindas de Lisboa, conforme já foi noticiado por O MINHO.

Oferece ainda quatro espaços livres para os profissionais que possuam autocaravanas ou caravanas e necessitem deste serviço.

Já em Vila Verde, na freguesia de Aboim da Nóbrega, o parque de campismo local decidiu colocar dois bungalows, com capacidade para quatro pessoas, à disposição da comunidade médica.

No Parque de Campismo e Caravanismo Rural de Aboim da Nóbrega existem sete espaços para autocaravanas e caravanas para quem possua meios próprios e necessite de um espaço.

Esta iniciativa surge após disponibilidade demonstrada pela ATAHCA, Associação de desenvolvimento das Terras Altas do Homem, Cávado e Ave, proprietária do parque.

Continuar a ler

Alto Minho

Arcos de Valdevez quer ter Estratégia Local de Habitação até junho

Habitação

em

Foto: visitarportugal.pt / DR

O presidente da Câmara de Arcos de Valdevez espera ter concluída até junho a Estratégia Local de Habitação, que permitirá ao município concorrer a fundos do Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) para colmatar as necessidades.

“Gostaríamos muito que esta estratégia fosse aprovada antes do final do primeiro semestre para podermos concorrer aos fundos que o IHRU tem disponíveis, para podermos implementar as necessidades que forem assinaladas na Estratégia Local de Habitação (ELH). Vamos ver se conseguimos operacionalizar esse objetivo, face às circunstâncias da pandemia de covid-19 que estamos a viver”, afirmou hoje à Lusa João Manuel Esteves.

No âmbito da elaboração ELH, o município lançou um inquérito à população para apoiar a elaboração do diagnóstico e levantamento de necessidades de habitação de agregados residentes no concelho.

“Já fizemos um levantamento do que existe, das necessidades, dos estrangulamentos. Também fizemos um inquérito dirigido às fábricas, instituições, juntas de freguesia, à Agenda Local de Ação Social e agora consideramos que seria importante fazer um inquérito através da Internet à população”, explicou João Manuel Esteves.

O autarca social-democrata adiantou que o objetivo é que a “população possa dar o seu o seu contributo, sugerindo soluções, relatando o seu próprio caso, entre outras propostas”.

“A ideia é definir uma intervenção ao nível da habitação social, da reabilitação ou da construção de novas casas a custos controlados”, especificou.

João Manuel Esteves quer “fechar” uma ELH de Arcos de Valdevez “a tempo” de “concorrer a financiamentos por parte do IHRU, para construir ou para apoiar as necessidades de habitação de Arcos de Valdevez”.

“Essas necessidades podem ser de habitação para famílias carenciadas ou não, habitação para arrendamento, sobretudo a pensar nos jovens, construção a custos controlados e apoio aos que pretendam construir ou reconstruir a sua própria casa através de incentivos fiscais”, sustentou.

No inquérito agora lançado à população “qualquer pessoa poderá preencher as questões colocadas, dando contributos ou sugestões para a estratégia, identificar a sua situação de habitação ou as situações de agregados familiares que residem em fracas condições de habitabilidade”.

A consulta ‘online’ está disponível na página oficial do município na Internet.

Continuar a ler

Populares