Seguir o O MINHO

Futebol

Claque do FC Porto vai estar em Famalicão. Ministro apela ao respeito pelas regras

I Liga

em

Foto: DR

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, apelou hoje para que os adeptos garantam que a reabertura do campeonato nacional de futebol seja feita em “espírito de festa”, mas respeitando as regras da Direção-Geral de Saúde (DGS).


O apelo de Eduardo Cabrita surge na sequência do anúncio feito pela claque do FC Porto, Super Dragões, que manifestou a intenção de estar presente na quarta-feira nas imediações do estádio do Famalicão, com o objetivo de, a partir do exterior do recinto, apoiar a equipa de Sérgio Conceição no regresso da I Liga.

No Porto, em declarações aos jornalistas, Eduardo Cabrita garantiu que o efetivo policial destacado é “adequado e proporcional às circunstâncias”, mas salientou que este é um esforço que “recai sobre todos”.

“O apelo que eu faço aos cidadãos que gostam de futebol e que esperaram estes meses para que o campeonato fosse retomado é que o façam com respeito pelas orientações da Direção-Geral da Saúde, façam fundamentalmente sem ajuntamentos e quando queiram manifestar, de forma exuberante, eventualmente a alegria pelos resultados dos seus clubes que o façam com distanciamento físico”, disse.

O ministro da Administração Interna adiantou que “tal como é habitual”, as forças de segurança estabeleceram contactos quer com os clubes de futebol, quer com as claques.

“O apelo que eu faço a todos que garantam que o regresso do futebol seja o regresso de um espírito de festa, infelizmente com estádios vazios, mas é exatamente respeitando as regras de segurança que podemos garantir primeiro que haja futebol, e em segundo lugar que o mais cedo possível o futebol seja visto nos estádios”, concluiu.

Questionado pelos jornalistas, à margem da cerimónia de inauguração da Esquadra da PSP de Cedofeita, no Porto, o Diretor Nacional da PSP, Superintendente-Chefe, Magina da Silva, adiantou que embora as regras em vigor para a situação de calamidade não impeçam que os adeptos vão até ao estádio, não permitem grupos com mais de 20 pessoas, pelo que sublinhou, essas regras vão ter de ser cumpridas.

“Esse trabalho foi feito com a claque em concreto, é uma claque que cria problemas nos estádios, como todas infelizmente criam, mas queremos acreditar que, neste caso em concreto, têm todo o interesse que não haja problemas. Foi isso que foi manifestado nas reuniões que tivemos e queremos acreditar que vai correr tudo bem”, afirmou, sublinhando que há vários meses que a PSP se vêm preparando para o regresso da I Liga.

Quanto ao dispositivo policial, o Diretor Nacional da PSP adiantou que o mesmo foi adaptado a um cenário de covid-19, tendo sido reduzido em face da ausência de necessidade de controlar massas de adeptos. À volta do estádio será, contudo, definido um perímetro de segurança que os adeptos, sublinhou, “não vão puder ultrapassar”. Já dentro do estádio, acrescentou Magina, a PSP terá uma “presença minimalista”.

De acordo com aquele responsável, a PSP terá ainda a preocupação do policiamento de cidade, tendo em conta que os adeptos tem tendência a juntar-se para ver a bola.

“O apelo que queremos deixar aqui é que as pessoas consigam encontrar um equilíbrio entre o desejo que têm de celebrar o apoio aos clubes e obviamente o necessário cuidado para prevenção da pandemia. E quero acreditar que vai correr tudo bem”, concluiu.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 375 mil mortos e infetou mais de 6,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 2,6 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.436 pessoas das 32.895 confirmadas como infetadas, e há 19.869 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Anúncio

Futebol

Gil Vicente aprova por unanimidade orçamento de 5,5 milhões de euros para 2020/21

Futebol

em

Foto: Arquivo

Os sócios do Gil Vicente aprovaram hoje por unanimidade um orçamento de 5,5 milhões de euros para a próxima temporada, em Assembleia-Geral realizada no estádio do 11.º classificado da I Liga de futebol.

“O orçamento não nos dá garantia de sucesso desportivo. Se fosse pelos números, tínhamos feito a vontade de quase todos aqueles que nos apontavam como o primeiro clube a descer. Só que ninguém tem um orçamento como o Gil Vicente na I Liga”, enquadrou o presidente Francisco Dias da Silva, à margem da reunião magna.

Cerca de 50 associados votaram favoravelmente a proposta de receitas e despesas elaborado pela direção do clube para a época 2020/21, bem como o orçamento da Sociedade Desportiva Unipessoal por Quotas (SDUQ), que aumentou cerca de um milhão e meio de euros devido a “custos de vária ordem, que serão compensados”.

“Os estragos que a pandemia trouxe são grandes e nem sabemos se haverá assistência no início da próxima época. A verdadeira reação vai ser terminar esta época, preparar a próxima e ir para a rua trabalhar. Aí é que vamos sentir verdadeiramente quem está na disposição de continuar a apoiar e a investir e quem é que pode desistir”, analisou.

Francisco Dias da Silva foi reconduzido em 18 de junho na presidência dos minhotos rumo ao triénio 2020-2023, em plena reta final de uma temporada marcada pela construção de um plantel de raiz para assinalar o regresso administrativo do Gil Vicente à I Liga, após um ano sem competir no Campeonato de Portugal, na sequência do ‘caso Mateus’.

“Isto é muito simples: procurar dar continuidade ao que fizemos bem e corrigir o que fizemos mal. Ainda temos de fazer essa análise, mas não duvido que não fizemos tudo bem. Se algum sócio se sentir prejudicado por não ter podido assistir aos jogos, o clube terá de ressarcir essas pessoas com maior ou menor dificuldade”, assegurou.

O dirigente, de 71 anos, recusou revelar o substituto de Vítor Oliveira, que anunciou em 30 de junho a saída do comando técnico do emblema de Barcelos no final da temporada, um dia antes de questionar a “legitimidade” da direção em “tornar público” a sua sucessão, alegando que “isso provoca sempre alguma instabilidade no plantel”.

“O treinador que está neste momento no Gil Vicente é o Vítor Oliveira. Ainda falta muito para a próxima época e, francamente, não vi em nenhum lugar o clube a anunciar qualquer treinador. Se criou instabilidade? A mim não e a quem joga também acho que não. Retomámos mal, mas recuperámos e fomos para o nosso quase normal”, notou.

Os ‘galos’ ocupam o 11.º posto, com 36 pontos, nove acima da zona de despromoção, quando restam quatro jornadas e podem consumar a permanência na I Liga na sexta-feira, às 21:00, no Estádio D. Afonso Henriques, caso pontuem frente ao Vitória de Guimarães e o penúltimo Portimonense perca na véspera na deslocação ao Rio Ave.

Continuar a ler

Futebol

Vitória contrata avançado norueguês de 19 anos

Noah Jean Holm

em

Foto: DR

O Vitória SC, da I Liga portuguesa de futebol, contratou o avançado norueguês Noah Jean Holm, de 19 anos, até ao final da temporada 2023/24, informou hoje o clube minhoto, num comunicado no sítio oficial.

O vínculo do jogador, que alinhava na equipa sub-19 do RB Leipzig (Alemanha) e se transferiu para a formação de Guimarães a “custo zero”, inclui ainda uma cláusula de rescisão no valor de 50 milhões de euros, confirmou a mesma nota.

Noah Jean Holm representou a Noruega no campeonato da Europa sub-17 de 2018, em Inglaterra, tendo participado em três jogos, um deles frente a Portugal (0-0), e no europeu sub-19 do ano passado, na Arménia, no qual cumpriu outras três partidas.

O Vitória não esclareceu se o futebolista vai ser integrado na equipa principal, atual sétima classificada da I Liga portuguesa, com 46 pontos, a quatro jornadas do fim da prova, na equipa B, do Campeonato de Portugal, ou na equipa sub-23.

Continuar a ler

Futebol

João Pedro Sousa admite Famalicão “com a ambição no máximo” para jogo com Benfica

I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

O treinador do Famalicão assumiu hoje que a equipa está a olhar para o jogo com o Benfica, na quinta-feira, a contar para a 31.ª jornada da I Liga de futebol, “com a ambição no máximo”.

João Pedro Sousa não pensa noutro cenário que não seja dar tudo pela vitória, apesar de reconhecer que do outro lado vai encontrar “uma equipa forte”, que também vai fazer de tudo para levar os três pontos.

“Contamos com um Benfica forte. Estamos a falar de um clube que recusa qualquer resultado que não seja a vitória, seja em que campo for e em que competição for. Agora, o Famalicão também recusa qualquer coisa que não seja lutar pela vitória. Sabemos que vamos encontrar uma equipa forte, independentemente do que se passou no passado recente. Estamos preparados para uma equipa que vai tentar a vitória, mas nós com o nosso jogo estamos preparados para lutar pela vitória e conquistar os três pontos”, referiu.

O técnico disse ainda que o Famalicão vai manter-se igual a si mesmo independentemente do adversário que encontrar pela frente: “Não vamos encontrar um Famalicão diferente do que tem sido. A forma de jogar vai ser a mesma. Sabemos que temos um adversário que vai tentar anular o que tentamos fazer em todos os jogos. É uma equipa que sabemos que nos conhece bem, e o Famalicão conhece perfeitamente o Benfica. Será competitivo, aberto, duas equipas que querem ganhar, mas o Famalicão será igual a si próprio.”

O Famalicão, quinto classificado, com 48 pontos, recebe, às 21:30 de quinta-feira, o Benfica, segundo, com 67, numa partida da 31.ª jornada da I Liga de futebol.

Continuar a ler

Populares