Seguir o O MINHO

Braga

Cinco conhecidos skaters vão fazer a viagem Porto-Braga em cima de uma tábua

Tudo será documentado em live streaming para as redes sociais

em

Fotos: Divulgação

Um reconhecido grupo de skaters aceitou um desafio, possivelmente um dos maiores das suas vidas, que vai terminar em Braga. Laurence Aragão, Keanu Schwedt, Pedro Roseiro, Gonçalo Vilardebo e Alex Furtado, cinco apaixonados pelo desporto, vão fazer o percurso do Porto até a capital do Minho em cima de uma tábua de skate entre os dias 30 e 31 deste mês. Tudo será documentado em live streaming (transmissão em direto) para as redes sociais.

A partida da tour tem início numa loja de equipamentos eletrónicos no Chiado (Lisboa), a GMS, que vai abrir uma Apple Premium Reseller no Braga Parque, e segue para a Estação de Santa Apolónia para apanharem o comboio, um dia antes, que os ajudará no trajeto até ao Norte. Retomando a rota na Estação da Campanhã, e ao longo de quatro dias, o grupo de skaters vai rolando e contornando espaços emblemáticos pela zona nortenha em direção a Braga. O trajeto passa também pela Trofa e por Famalicão.

@LaurieAragao with his signature steezy FS Feebs!! #GoWithTheFlow #Skateboarding #NormandiePhoto Seb Saunier

Publicado por Dilabor em Sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Uma vez na cidade bracarense, estes aventureiros irão do Picoto à Sé de Braga, não deixando de passar pelas lojas de rua mais tradicionais e pelo Skate Park de Braga para terminar precisamente na loja do mesmo revendedor de tecnologia no Braga Parque, 96 horas depois. A tour inédita em Portugal insere-se nas celebrações da reinauguração da loja e culmina num grande espetáculo do grupo de skaters numa half-pipe de oito metros montada para o efeito que será erguida dentro do centro comercial, junto à montra da superfície comercial.

“Começamos por um desafio da GMS e da Apple de fazer uma demonstração de skate na abertura da loja do Braga Parque, e depois foi pensado em criar um momento mais icónico. O skate está em crescimento, é desporto olímpico, e nasceu a ideia. Pensamos onde seria a loja mais perto e em fazer uma peregrinação entre as lojas do Porto e de Braga, e foi lançado o desafio”, disse Laurence Aragão, um dos skaters, a O MINHO.

Publicado por Moche Skate Academy em Quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Uma das inspirações para o desafio foi uma “volta ao mundo” feita pelo brasileiro Marcelo Gervasio Silva, que foi da Nova Zelândia até ao Estoril de skate.

“Isto colocou o skate noutro patamar. O único outro meio de transporte além do skate que ele utilizou foi o avião para ultrapassar oceano e países de guerra, foi inspirador, e um dos motivos que nos fez pensar no desafio”.

O trajeto entre Porto e Braga, em estradas nacionais, tem cerca de 50 quilómetros. No entanto, o percurso ainda está a ser acertado, pois os principais desafios de uma viagem deste tipo estão a ser analisados.

“Acima de tudo o cansaço por andar de skate por tantas horas, e também o piso, usar uma estrada nacional que passam muitos carros, e pode haver qualquer inconveniente, como estragar uma peça de skate, pisos pouco fiáveis, que terá que ir a pé, troços mais íngremes… Mas o intuito é passar pela Trofa, Famalicão, conhecer um pouco destes concelhos e andar de skate”, afirma Laurence.

Os riders vão estar munidos de aparelhos eletrónicos com ligação à Internet, que medindo a sua performance física enquanto emitem resultados para os ecrãs que vão estar em destaque no Braga Parque. Os mesmos conteúdos, bem como os live streamings, vão ser publicados nas redes sociais dos skaters, da GMS e dos Media Partners.

Os desportistas vão ser acompanhados por uma equipa de realização de vídeo, um massagista, um driver e um editor.

Desporto em crescimento

O skate será elevado a desporto Olímpico em 2020 onde Portugal será representado com uma seleção nacional. Trata-se do desporto com maior taxa de crescimento a seguir ao surf no país. O desafio dos cinco skaters é também uma forma de divulgar o desporto no país.

“Isso é um trabalho que estamos a desenvolver, o skate é visto com uma dinâmica mais marginal, até pelo meio que vivemos. Com a entrada nos Jogos Olímpicos, dá uma imagem completamente diferente e temos que olhar pelo lado positivo, pode trazer muito mais jovens, e também muitos atletas querem se profissionalizar e podem ter mais condições”, disse Laurence.

Pedro Roseiro. Foto: Divulgação

“O skate é muito mais que o desporto, tem a expressão artística, o meio de transporte, estes pontos são importantíssimos naquilo que é o skate, um agregador a nível social, no skate não existem diferenças de idade, sexo, religiões, orientações sexuais, tudo é indiferente, e o skate é a ligação, é abrangente. O skate é diversão, se não estivermos a nos divertir, não está certo”.

Os skaters

Nascido em Londres, Laurence Aragão tem 27 anos e, ao lado do irmão gémeo, foi responsável pela inauguração do Parque das Gerações, um espaço com 7.000 metros quadrados de referência para a prática do skate em São João do Estoril, feito através do Orçamento Participativo e com um custo de 300 mil euros. No local também existe uma skate school, que começou a ser patrocinada pela Moche do grupo PT, denominando-se atualmente “Moche Skate Academy”, uma loja e outros projetos.

Laurence resolveu viver para o skate ao lado do irmão, Bernard, que vai conduzir o “carro vassoura” na peregrinação.

Conhecido por ser um dos skaters portugueses “mais estilosos”, Alex Furtado, de 19 anos, vive também em São João do Estoril, é estudante de arte e cresceu muito com o Parque das Gerações desde a sua inauguração.

Pedro Roseiro, praticamente uma década mais velho que Alex Furtado, é capaz de voar num half pipe de cinco metros, descer corrimões de 18 degraus, saltar 15 degraus, skatar os spots mais perigosos e supostamente impossíveis à prática. Nascido em Cascais, vive também em São João Estoril e é visto como o skater mais completo que Portugal já teve. O atleta tem 20 anos de prática na modalidade e já ganhou inúmeras competições no estrangeiro.

@GVilardebo warming up at Lisbon with @tomasfureek !!#skateboarding#gowiththeflow

Publicado por Dilabor em Sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Gonçalo Vilardebó também faz parte do projeto Parque das Gerações. Cresceu em Oeiras e é um skater “técnico”. Este ano lançou uma videoparte com manobras filmadas principalmente em Portugal e na Califórnia, nos Estados Unidos.

Nascido na Alemanha, Keanu Schwedt foi para Portugal recém-nascido com o pai alemão e a mãe grega. É uma jovem promessa do skate nacional e começou a praticar na Moche Skate Academy e é visto como um dos principais “frutos” da escola.

Anúncio

Braga

Braga quer “fotografar a inclusão” e desafia cidadãos

As melhores imagens vão estar expostas no Museu D. Diogo de Sousa

em

Foto: DR/Arquivo

No âmbito do Projecto de Mediadores Municipais e Interculturais (PMMI), o Município de Braga desafiou os cidadãos a captar imagens de objectos ou situações que simbolizem a inclusão. Com a iniciativa ‘Fotografa a Inclusão’, o Município pretende sensibilizar para a diversidade existente no concelho.

As melhores imagens vão estar expostas no evento ‘Celebrando a Interculturalidade’, que terá lugar nos dias 25 e 26 de outubro, no Museu D. Diogo de Sousa.

Os interessados em participar devem enviar as suas fotografias até 31 de agosto por email: [email protected] As imagens podem ser captadas através de máquina fotográfica ou telemóvel.

O PMMI é composto por quatro mediadores, que representam as comunidades mais representativas de Braga e, um coordenador, colaborador municipal.

Compete ao Mediador Intercultural fazer a “ponte”, entre o cidadão estrangeiro/de etnia e as instituições locais de apoio à sua legalização, integração plena e, assim, dar resposta adequada às necessidades dos diferentes cidadãos em contextos e com diferentes características.

O PMMI tem entre os seus objectivos estratégicos criar condições para que as diferentes comunidades do concelho se possam conhecer (comunicação) e, promover o reconhecimento mútuo das diferentes comunidades existentes e sua interacção (diversidade/inclusão).

Continuar a ler

Braga

“Variações” estreia-se hoje em cerca de 60 salas de cinema portuguesas

Protagonizado pelo ator Sérgio Praia

em

Antestreia do filme Variações. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

“Variações”, filme de João Maia sobre o músico António Variações, que morreu em 1984, aos 39 anos, protagonizado pelo ator Sérgio Praia, estreia-se hoje em cerca de 60 salas de cinema portuguesas.

O filme é inspirado na vida do barbeiro minhoto António Joaquim Rodrigues Ribeiro, que desejou viver da música e que em Lisboa se transformou em António Variações, marcando a música portuguesa a partir dos anos 1980.

António Variações nasceu em 1944 em Fiscal, no concelho de Amares, que acolheu na segunda-feira a antestreia de “Variações”.

O filme é protagonizado pelo ator Sérgio Praia que, além da interpretação física do músico, também canta todas as canções, recriando as sessões de composição e gravação embrionária dos temas em várias cassetes – sozinho em casa com um gravador e uma caixa de ritmos – até à primeira atuação de Variações, na discoteca Trumps, em Lisboa, em 1981.

Em julho do ano passado, durante a rodagem do filme, o ator partilhou que andava anda há mais de dez anos a preparar a personagem, tendo o mais importante sido perceber humanamente quem era o músico.

“Se tivesse feito filme há dez anos não tinha densidade. Foi preciso este cansaço para hoje conseguir perceber melhor aquilo que ele viveu, a busca constante, o faz-não-faz. Este tempo foi bom para o meu trabalho”, afirmou o ator na altura em declarações à Lusa.

Além de Sérgio Praia, o elenco inclui, entre outros, Filipe Duarte, Victoria Guerra, Augusto Madeira, Filipe Albuquerque, Lúcia Moniz, Afonso Lagarto, Maria José Paschoal, José Raposo e Dinarte Freitas.

O filme foca-se sobretudo na transformação de António Ribeiro em António Variações, num período de vida entre 1977 e 1981, a época em que um barbeiro ambicionava viver da música, gravava canções em cassetes e ensaiava com músicos amadores, muito antes de editar oficialmente qualquer canção.

Arrojado e irreverente, influenciado pelo fado, pela música popular e pelo pop rock, António Variações morreu aos 39 anos, a 13 de junho de 1984. Deixou apenas dois álbuns editados pouco antes de morrer: “Anjo da guarda” (1983) e “Dar e receber” (1984).

No filme, Sérgio Praia interpreta todas as canções, que foram gravadas num álbum, a ser editado na sexta-feira.

Em julho, a banda sonora foi apresentada ao vivo no festival Alive, em Oeiras, em julho. Em palco, Sérgio Praia esteve acompanhado por Armando Teixeira (sintetizador) e pelos músicos Vasco Duarte (guitarra), David Santos (baixo) e Duarte Cabaça (bateria).

O músico e produtor Armando Teixeira, que assina a direção musical do filme, teve acesso às cassetes que António Variações deixou com dezenas de canções, excertos, ensaios, experimentações; as mesmas cassetes que foram recuperadas para o projeto Humanos, em 2004, e das quais é agora retirado um tema inédito, intitulado “Quero dar nas vistas”.

Continuar a ler

Braga

Pudim Abade de Priscos ainda pode vencer 7 maravilhas doces de Portugal

Doce tradicional de Braga

em

Foto: DR

O concurso 7 Maravilhas Doces de Portugal resolveu repescar todos os doces classificados na segunda posição de cada distrito para voltarem a concorrer à meia-final do concurso.

No distrito de Braga, o vencedor foi o Bolinhol de Vizela, por ter angariado mais votos via telefone, com o Pudim Abade de Priscos, de Braga, a classificar-se na segunda posição.

Durante esta quarta-feira, este pudim tradicional de Priscos estará a votos até às 17:30 de forma a juntar-se aos doces de Vizela como representantes do distrito nas meias-finais do concurso que elege o doce português favorito da população.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares