Seguir o O MINHO

Braga

Cinco conhecidos skaters vão fazer a viagem Porto-Braga em cima de uma tábua

Tudo será documentado em live streaming para as redes sociais

em

Fotos: Divulgação

Um reconhecido grupo de skaters aceitou um desafio, possivelmente um dos maiores das suas vidas, que vai terminar em Braga. Laurence Aragão, Keanu Schwedt, Pedro Roseiro, Gonçalo Vilardebo e Alex Furtado, cinco apaixonados pelo desporto, vão fazer o percurso do Porto até a capital do Minho em cima de uma tábua de skate entre os dias 30 e 31 deste mês. Tudo será documentado em live streaming (transmissão em direto) para as redes sociais.

A partida da tour tem início numa loja de equipamentos eletrónicos no Chiado (Lisboa), a GMS, que vai abrir uma Apple Premium Reseller no Braga Parque, e segue para a Estação de Santa Apolónia para apanharem o comboio, um dia antes, que os ajudará no trajeto até ao Norte. Retomando a rota na Estação da Campanhã, e ao longo de quatro dias, o grupo de skaters vai rolando e contornando espaços emblemáticos pela zona nortenha em direção a Braga. O trajeto passa também pela Trofa e por Famalicão.

@LaurieAragao with his signature steezy FS Feebs!! #GoWithTheFlow #Skateboarding #NormandiePhoto Seb Saunier

Publicado por Dilabor em Sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Uma vez na cidade bracarense, estes aventureiros irão do Picoto à Sé de Braga, não deixando de passar pelas lojas de rua mais tradicionais e pelo Skate Park de Braga para terminar precisamente na loja do mesmo revendedor de tecnologia no Braga Parque, 96 horas depois. A tour inédita em Portugal insere-se nas celebrações da reinauguração da loja e culmina num grande espetáculo do grupo de skaters numa half-pipe de oito metros montada para o efeito que será erguida dentro do centro comercial, junto à montra da superfície comercial.

“Começamos por um desafio da GMS e da Apple de fazer uma demonstração de skate na abertura da loja do Braga Parque, e depois foi pensado em criar um momento mais icónico. O skate está em crescimento, é desporto olímpico, e nasceu a ideia. Pensamos onde seria a loja mais perto e em fazer uma peregrinação entre as lojas do Porto e de Braga, e foi lançado o desafio”, disse Laurence Aragão, um dos skaters, a O MINHO.

Publicado por Moche Skate Academy em Quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Uma das inspirações para o desafio foi uma “volta ao mundo” feita pelo brasileiro Marcelo Gervasio Silva, que foi da Nova Zelândia até ao Estoril de skate.

“Isto colocou o skate noutro patamar. O único outro meio de transporte além do skate que ele utilizou foi o avião para ultrapassar oceano e países de guerra, foi inspirador, e um dos motivos que nos fez pensar no desafio”.

O trajeto entre Porto e Braga, em estradas nacionais, tem cerca de 50 quilómetros. No entanto, o percurso ainda está a ser acertado, pois os principais desafios de uma viagem deste tipo estão a ser analisados.

“Acima de tudo o cansaço por andar de skate por tantas horas, e também o piso, usar uma estrada nacional que passam muitos carros, e pode haver qualquer inconveniente, como estragar uma peça de skate, pisos pouco fiáveis, que terá que ir a pé, troços mais íngremes… Mas o intuito é passar pela Trofa, Famalicão, conhecer um pouco destes concelhos e andar de skate”, afirma Laurence.

Os riders vão estar munidos de aparelhos eletrónicos com ligação à Internet, que medindo a sua performance física enquanto emitem resultados para os ecrãs que vão estar em destaque no Braga Parque. Os mesmos conteúdos, bem como os live streamings, vão ser publicados nas redes sociais dos skaters, da GMS e dos Media Partners.

Os desportistas vão ser acompanhados por uma equipa de realização de vídeo, um massagista, um driver e um editor.

Desporto em crescimento

O skate será elevado a desporto Olímpico em 2020 onde Portugal será representado com uma seleção nacional. Trata-se do desporto com maior taxa de crescimento a seguir ao surf no país. O desafio dos cinco skaters é também uma forma de divulgar o desporto no país.

“Isso é um trabalho que estamos a desenvolver, o skate é visto com uma dinâmica mais marginal, até pelo meio que vivemos. Com a entrada nos Jogos Olímpicos, dá uma imagem completamente diferente e temos que olhar pelo lado positivo, pode trazer muito mais jovens, e também muitos atletas querem se profissionalizar e podem ter mais condições”, disse Laurence.

Pedro Roseiro. Foto: Divulgação

“O skate é muito mais que o desporto, tem a expressão artística, o meio de transporte, estes pontos são importantíssimos naquilo que é o skate, um agregador a nível social, no skate não existem diferenças de idade, sexo, religiões, orientações sexuais, tudo é indiferente, e o skate é a ligação, é abrangente. O skate é diversão, se não estivermos a nos divertir, não está certo”.

Os skaters

Nascido em Londres, Laurence Aragão tem 27 anos e, ao lado do irmão gémeo, foi responsável pela inauguração do Parque das Gerações, um espaço com 7.000 metros quadrados de referência para a prática do skate em São João do Estoril, feito através do Orçamento Participativo e com um custo de 300 mil euros. No local também existe uma skate school, que começou a ser patrocinada pela Moche do grupo PT, denominando-se atualmente “Moche Skate Academy”, uma loja e outros projetos.

Laurence resolveu viver para o skate ao lado do irmão, Bernard, que vai conduzir o “carro vassoura” na peregrinação.

Conhecido por ser um dos skaters portugueses “mais estilosos”, Alex Furtado, de 19 anos, vive também em São João do Estoril, é estudante de arte e cresceu muito com o Parque das Gerações desde a sua inauguração.

Pedro Roseiro, praticamente uma década mais velho que Alex Furtado, é capaz de voar num half pipe de cinco metros, descer corrimões de 18 degraus, saltar 15 degraus, skatar os spots mais perigosos e supostamente impossíveis à prática. Nascido em Cascais, vive também em São João Estoril e é visto como o skater mais completo que Portugal já teve. O atleta tem 20 anos de prática na modalidade e já ganhou inúmeras competições no estrangeiro.

@GVilardebo warming up at Lisbon with @tomasfureek !!#skateboarding#gowiththeflow

Publicado por Dilabor em Sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Gonçalo Vilardebó também faz parte do projeto Parque das Gerações. Cresceu em Oeiras e é um skater “técnico”. Este ano lançou uma videoparte com manobras filmadas principalmente em Portugal e na Califórnia, nos Estados Unidos.

Nascido na Alemanha, Keanu Schwedt foi para Portugal recém-nascido com o pai alemão e a mãe grega. É uma jovem promessa do skate nacional e começou a praticar na Moche Skate Academy e é visto como um dos principais “frutos” da escola.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Braga

Dois feridos em sunset no Gerês

Ambos transportados ao Hospital de Braga

em

Foto: O MINHO / Arquivo

Duas pessoas ficaram feridas e tiveram de ser transportadas ao Hospital de Braga, na sequência de uma rixa, este domingo, num sunset em Rio Caldo, no Gerês.

De acordo com fonte dos Bombeiros Voluntários de Terras de Bouro, o alerta foi recebido depois das 21:30.

“Ao princípio falavam de cinco feridos, mas afinal, no local, só foram confirmados dois”, disse a O MINHO fonte daquela corporação.

As causas da rixa não são conhecidas.

O Match Gerês Sunset, que vai na sua sexta edição, terá juntado cerca de 4 mil pessoas. Estava marcado para este sábado, conforme noticiou O MINHO a meio da semana passada, mas acabou por ter sido adiado para hoje.

A GNR esteve no local e tomou conta da ocorrência.

 

Continuar a ler

Braga

UMinho representa Portugal em “programa revolucionário” de monitorização da biodiversidade à escala mundial

em

Foto: DR

A Universidade do Minho (UMinho)representa Portugal no BIOSCAN, um programa “revolucionário de inventariação e monitorização da biodiversidade” à escala global e que é hoje lançado em Trondheim, na Noruega, divulgou hoje a academia.

Num comunicado enviado à Lusa, a UMinho explica que o BIOSCAN envolve mais de mil investigadores de 31 países e tem um financiamento de 180 milhões de euros para os próximos sete anos.

O programa, refere, permitirá “a descoberta de plantas, animais, fungos, algas e seres unicelulares a um ritmo sem precedentes, além de aprofundar o conhecimento das simbioses entre as espécies e permitir monitorizar à escala global a dinâmica das comunidades biológicas”.

O sistema de identificação baseia-se em códigos de barras de ADN, análogos aos códigos de barras dos produtos comerciais, ao definir para cada espécie um conjunto específico de carateres genéticos.

“Conhecemos cerca de dois milhões de espécies, mas estima-se existirem possivelmente entre 10 e 20 milhões, há um trabalho gigante por fazer. Por isso, esperamos até 2026 compilar códigos de barras de ADN de pelo menos as cerca de dois milhões de espécies formalmente reconhecidas, revelando pelo caminho numerosas novas espécies”, refere Filipe Costa, investigador do Centro de Biologia Molecular e Ambiental (CBMA) e professor do Departamento de Biologia da Escola de Ciências da UMinho.

Por via da expansão da biblioteca global de códigos de barras de ADN, o BIOSCAN vai auxiliar na verificação da autenticidade de alimentos, na deteção facilitada de pragas agrícolas, no controlo de produtos nas alfândegas, na bioprospeção e na conservação da biodiversidade.

“O caminho é virmos a saber logo se a lata de conserva tem cavala ou sarda, se a planta do bosque tem perfil medicinal, se um mosquito é da espécie que transmite malária, se uma determinada erva é considerada invasora na União Europeia ou, então, inferir se determinada pesca é sustentável com base na ocorrência e distribuição das larvas de peixe”, explica a nota.

Filipe Costa destaca ainda que, “através dos códigos de barras de ADN, pode-se também fazer avaliações em larga escala sobre o impacto das alterações ambientais na estrutura dos ecossistemas. Isso permitirá à humanidade gerar informação suficiente para formular políticas que protejam a biodiversidade global”.

O BIOSCAN é o segundo projeto lançado pelo International Barcode of Life (iBOL), o “maior consórcio de sempre para a biodiversidade”, que tem por alvo de estudo todas as espécies multicelulares e ecorregiões do planeta.

O consórcio iBOL – liderado por Paul Hebert, da Universidade de Guelph (Canadá) – decidiu iniciar em 2010 uma proposta de inventariação da biodiversidade baseada no ADN.

A primeira fase de trabalho durou até 2015, com o programa Barcode 500K, que gerou códigos de barra de DNA para 500.000 espécies e teve 125 milhões de euros de investimento.

A segunda fase, com o programa BIOSCAN, vai analisar até 2026 as interações entre espécies e estabelecer as bases de uma rede monitorização da biodiversidade para a terceira fase, designada Missão para a Biodiversidade Planetária, a qual pretende completar em 20 anos o inventário total da vida e implementar um sistema global de biovigilância.

O ‘site’ oficial do projeto é ibol.org/programs/bioscan.

Continuar a ler

Braga

Mais de 300 participantes trazem a tradição do folclore às festas de São João de Braga

Espetáculo folclórico marcado para as 21:30

em

Foto: Divulgação

O São João de Braga volta a dar destaque à cultura folclórica de Braga e junta, hoje, pelas 16:30, mais de 300 participantes para que, trajados a rigor, encham o centro histórico de Braga. O cortejo arranca da Rua de S. João e culminará na Praça Municipal.

“Este será um momento importante para a cidade voltar a contemplar as capotilhas, pequenas capas traçadas sobre o peito, usadas pelas mulheres da cidade, tornadas num marco tão diferenciador da etnografia bracarense”, refere nota da associação.

Além do Cortejo Etnográfico, que será seguido de espetáculos de rua conduzidos pelos grupos participantes, o folclore subirá ao palco da Praça da República, pelas 21:00, para um espetáculo que juntará o Grupo Folclórico da Universidade do Minho, os Sargaceiros da Apúlia, Grupo Folclórico da Casa do Povo de Santa Cruz do Bispo (Matosinhos), Grupo Etnográfico de Areosa (Viana do castelo) e Grupo Folclórico Dr. Gonçalo Sampaio.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares