Seguir o O MINHO

Alto Minho

CIM do Alto Minho com orçamento de mais de 8,4 milhões de euros para 2022

Economia

em

Foto: Gonçalo Barros

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho aprovou, por unanimidade, o orçamento para 2022, no valor de mais de 8,4 milhões de euros, um aumento de 17 % em relação ao ano anterior, informou hoje aquela associação de municípios.

Com sede instalada no edifício Villa Moraes, em Ponte de Lima, a CIM do Alto Minho explicou que aquele aumento “reflete a transição por reprogramações de projetos com cofinanciamento comunitário aprovados no âmbito do Portugal 2020 e dos Programas de Cooperação Territorial.

Segundo aquele organismo, o aumento traduz ainda a “necessidade formal de inscrever no Plano e Orçamento as dotações financeiras, relativas à programação para 2022, os projetos com cofinanciamento comunitário em reprogramação, aprovados, candidatados a financiamento ou em formulação”.

A CIM do Alto Minho explicou, em nota hoje enviada às redações que “num cenário com perspetivas de recuperação económica, num contexto de pressão das cadeias globais, o principal desafio da CIM Alto Minho para 2022 será o de continuar o processo de gestão adaptativa, reforçando a ação intermunicipal e desenhando o futuro do Alto Minho”.

Futuro, explicou, que passa por “antecipar constrangimentos, perspetivar desafios intermunicipais e contribuir para assegurar os recursos necessários para apoiar o investimento de proximidade, em serviços de interesse geral”.

A “conetividade entre empresas, administração local e ensino superior”, é outras das apostas da CIM do Alto Minho que pretende também “intensificar os processos de qualificação e inovação na região, promovendo melhores padrões e qualidade de vida das populações”.

“Num período de transição entre ciclos de financiamento comunitário, será dado ênfase (…) ao desenho final do Plano de Ação da Estratégia Integrada de Desenvolvimento Territorial “Alto Minho 2030”, adianta a nota.

O orçamento para 2022 foi aprovado, na segunda-feira, no auditório da Casa das Artes, em Arcos de Valdevez, na primeira sessão do mandato 2021-2025 da Assembleia Intermunicipal da CIM Alto Minho.

Além da aprovação daquele documento, tomaram posse os novos membros, e foi eleita a mesa da Assembleia Intermunicipal.

Ao ato eleitoral foi proposta uma única lista, de composição pluripartidária, aprovada por 33 votos a favor e 4 votos em branco.

O Alberto Vilas, da Assembleia Municipal de Valença, é o novo presidente daquele órgão. Para a vice-presidência foi reeleita Margarida Vasconcelos, da Assembleia Municipal de Ponte da Barca.

Abel Nunes Lopes, da Assembleia Municipal de Ponte de Lima, foi reeleito secretário da Assembleia Municipal

A Assembleia Intermunicipal da CIM Alto Minho é constituída por 38 membros, eleitos nas assembleias municipais de Arcos de Valdevez, Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Ponte da Barca, Ponte de Lima, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira.

O atual primeiro secretário executivo da CIM do Alto Minho, Bruno Caldas, foi reeleito para o cargo pela assembleia intermunicipal por sufrágio secreto com 36 votos a favor, o que face à composição da assembleia no ato foi uma eleição por unanimidade dos membros presentes.

Com sede instalada no edifício Villa Moraes, em Ponte de Lima, a CIM do Alto Minho foi constituída em outubro de 2008 e engloba os municípios que correspondem à Unidade Territorial Estatística de Nível (NUT) III do Minho-Lima.

Integram a associação os concelhos de Arcos de Valdevez (PSD), Caminha (PS), Paredes de Coura (PS), Ponte de Lima (CDS-PP), Valença (PS), Viana do Castelo (PS), Vila Nova de Cerveira (PS), Ponte da Barca (PSD), Monção (PSD) e Melgaço (PS).

Populares