Seguir o O MINHO

Cávado

CIM Cávado assinou contrato de financiamento com governo

em

A Comunidade Intermunicipal do Cávado, representada pelo Primeiro Secretário Executivo, Eng.º Luís Macedo, assinou esta sexta-feira um contrato de financiamento com o Governo, de uma candidatura aprovada para a concretização do projeto “Monitorização do Consumo Energético no Cávado”, cujo investimento ascende a € 78.000€.


Esta cerimónia, que decorreu na sede da CCDRN, no Porto, contou com a presença das 14 Comunidades Intermunicipais do país beneficiadas com a aprovação das candidaturas, bem como com a presença do Ministro adjunto e do Desenvolvimento Regional, Migue Poiares maduro, e do Secretário de Estado da Administração Local, António Leitão Amaro.

O valor das candidaturas aprovadas ascende a um investimento elegível de mais de 4,9 milhões de euros, que corresponde a uma comparticipação global de cerca de 3,5 milhões de euros (70%) do valor elegível, inscrita no Orçamento de Estado.

cim cavado1

Recorde-se que estes contratos resultam do concurso lançado pela Secretaria de Estado da Administração Local para apoiar financeiramente a implementação de iniciativas intermunicipais relacionadas com a integração e partilha de serviços. São exemplo a articulação de serviços de proteção civil, de sistemas de informação geográfica ou de novos serviços eletrónicos multicanal, Central de Compras e eficiência e sustentabilidade energética.

Com estes contratos, que serão acompanhados pelas Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional, a Região Norte assegura a assinatura de 6 contratos, num investimento elegível de cerca de 2 milhões de euros, apoiado em 1,4 milhões.

Anúncio

Barcelos

Vison-americano filmado a ‘repousar’ nas lagoas de Caíde em Barcelos

Espécie invasora

em

Foto: Martinho Oliveira

Depois de avistamentos na zona da Quinta do Brigadeiro, em Vila Frescainha S. Martinho, um vison-americano foi filmado noutra zona do rio Cávado, em Barcelos, concretamente nas lagoas de Caíde, em Areias de Vilar.

As imagens captadas por Martinho Oliveira e cedidas a O MINHO mostram o mamífero a ‘repousar’ numa plataforma de apoio que existe naquela zona.

As lagoas de Caíde são um observatório da vida animal e um rico espaço natural no rio Cávado, em Barcelos, segundo descrição no site da Câmara Municipal.

Vison-americano filmado no rio Cávado em Barcelos

Como O MINHO noticiou, já tinham sido filmados visons-americanos no rio Selho em Guimarães, no rio Cávado em Barcelos e há relatos da sua presença no rio Ave e no Este, em Braga, na zona de Gualtar.

O vison-americano, neovison vison, é um mamífero da família mustelidae e está relacionado com doninhas e lontras.

A moda acabou por ser a razão de ter ‘viajado’ do continente norte-americano para o europeu. “Foi introduzida na Europa para criação em quintas para o comércio de peles. No entanto, quer por fugas de animais a partir destas quintas, quer pela sua libertação deliberada e ilegal por parte dos proprietários das quintas, quando a atividade deixa de ser rentável, ou por grupos de defesa dos direitos animais, estabeleceram-se populações ferais em grande parte da Europa”, pode ler-se na tese de mestrado em Biologia da Conservação de Ana Duarte.

Novos vídeos mostram vison-americano a ‘passear’ no rio Cávado em Barcelos

“Em Portugal, o vison-americano foi introduzido na década de 80, sendo provavelmente proveniente de quintas de criação localizadas na região da Galiza, existindo apenas uma quinta de criação em Portugal, na cidade de Valença do Minho”, refere o mesmo estudo, que alerta que o vison-americano “pode ainda vir a afetar negativamente as populações de rato-de-água (Arvicola sapidus) e as populações de anfíbios já de si debilitadas”.

“Atualmente, a introdução de espécies exóticas é considerada uma das principais ameaças à diversidade biológica”, sublinha a tese de Ana Duarte.

Visons-americanos filmados no rio Selho em Guimarães

De acordo com a bióloga Joana Soto, ouvida pela Jornal de Barcelos (JB) a propósito dos avistamentos destes animais no rio Cávado, o vison-americano representa uma “ameaça” para as espécies nativas, mas o seu impacto neste território ainda carece de estudos.

A bióloga salienta que não sendo novo no Cávado, é normal existirem mais avistamentos nesta altura do ano porque está mais ativo a preparar o Inverno.

Joana Soto, nas declarações ao JB, refere que o maior perigo que o animal representa é comer ovos das aves que habitam as margens do rio e fazem ninhos no solo, salientando que é uma espécie muito recente em Portugal e que “ainda se está a adaptar ao habitat”.

Continuar a ler

Cávado

Ministério Público pede condenação da mulher que esfaqueou marido em Esposende

Defesa diz que se tratou de um acidente

em

Foto: Ilustrativa / DR

O Tribunal de Braga agendou para dia 27 a leitura do acórdão do julgamento de uma mulher, de origem colombiana, mas já naturalizada portuguesa, que, em abril de 2018, nas Marinhas, Esposende, deu uma facada nas costas do marido, quando ele dormia, com a intenção de o matar.

A faca partiu-se pelo cabo, ficando a lâmina, de oito centímetros, enterrada no corpo da vítima. Nas alegações finais, a procuradora do Ministério Público pediu, por isso, ao Tribunal que seja condenada por homicídio qualificado na forma tentada.

Mulher que esfaqueou marido em Esposende acusada de tentativa de homicídio

A magistrada rejeitou a tese de que teria havido um acidente, com a vítima a cair em cima da faca, e lembrou que a arguida Eliana Yurlev Henão, de 37 anos, nem sequer pediu socorro apesar de o marido, António Maria Ganas, estar a sangrar abundantemente.

Valorou os depoimentos da vítima e da filha deste, Maria, que, ao ouvir os gritos do pai, correu para o quarto e estancou a perda de sangue, salvando-lhe a vida. E chamou o INEM.

Já a advogada de defesa, Raquel Rodrigues Ribeiro, pediu a absolvição da sua constituinte, argumentando que “não teve intenção de espetar a faca”, e defendeu insistindo que se tratou de um acidente, ocorrido num contexto de seis anos de violência doméstica.  “Houve confrontos físicos que culminaram com a faca espetada, por acaso”, disse.

Anteriormente, a arguida, que agora vive em Valença, pedira a palavra para voltar a dizer que não quis matar o marido e manifestar-se “arrependida”. Solicitou “uma segunda oportunidade para poder cuidar dos filhos e do neto”.

“Não fui eu!”

Na primeira sessão do julgamento, e conforme O MINHO noticiou, a mulher declarou: “Não sei. Não fui eu que o esfaqueei, nem tentei matá-lo”. E, posteriormente, veio a acrescentar que se ‘enrolou’ com o marido numa briga e que este caiu em cima da cama, tendo sido espetado pela faca que ali estaria. Foi esta a versão dada ao Tribunal de Braga pela imigrante colombiana, Eliana Yurlev Henão, de 37 anos, já naturalizada portuguesa, a qual contou que, na noite do crime, em abril de 2018, discutiu com o marido, o português António Maria Ganas, após ter ido à cozinha beber água e comer uma maçã. Diz ter pegado numa faca para cortar a fruta e ter ido dormir para o quarto em que estava com dois adolescentes, um filho seu e uma jovem de 16 anos, filha dele. Afirmou que não sabe o que sucedeu depois, nem mesmo o destino da faca, só se lembrando de ter acordado os filhos e chamar o 112. Atribuiu as discussões do casal a ciúmes do marido.

Mulher que esfaqueou o marido em Esposende diz que não se lembra do crime

Marido desmente

Esta versão é desmentida pela vítima que disse a O MINHO que ela o esfaqueou nas costas, enquanto dormia, deixando-lhe uma parte da lâmina, com nove centímetros, no corpo, o que lhe perfurou um pulmão e chegou ao coração. E ainda tentou impedi-lo de respirar. “Mente. Quando foi detida disse à PJ/Braga e ao juiz que me tinha dado uma facada para me matar. Está no processo”, acrescentou. No final da audiência, a arguida empurrou, deitando-a ao chão, a mãe da vítima, tendo-lhe ainda chamado puta. O que lhe vai valer novo inquérito judicial no Tribunal, tendo como testemunhas alguns jornalistas que presenciaram os factos.

Entretanto, António Ganas revelou que apresentou duas outras queixas-crimes contra a mulher, de quem já pediu o divórcio. Diz que, quando saiu do hospital, ela tinha vendido um Audi seu e que os pertences pessoais que tinha em casa desapareceram.

Continuar a ler

Barcelos

Barcelos: Mulher de 27 anos envolvida em acidente acusou 1,90g/l de álcool no sangue

Condutora detida pela PSP

em

Foto: Ilustrativa / DR

A PSP deteve, na madrugada desta segunda-feira, uma mulher de 27 anos por ter apresentado uma taxa de álcool no sangue de 1,90 g/l após ter estado envolvida num acidente de viação na Rua de Santa Marta, em Arcozelo, Barcelos.

Em comunicado, a PSP refere que, “hoje, pelas 00:30, na cidade de Barcelos, na Rua de Santa Marta, esta Polícia procedeu à detenção de uma cidadã com 27 anos de idade, por ter sido interveniente em acidente de viação e ao ser submetida ao teste de álcool acusou uma TAS de 1,90 g/l”.

A mulher foi notificada para comparecer no Tribunal de Barcelos.

Continuar a ler

Populares