Seguir o O MINHO

Braga

Cidadão pede indemnização por lesão muscular sofrida em piscina municipal de Braga

Sessão de hidroterapia

em

Foto: Ilustrativa / DR

O Tribunal Administrativo de Braga mandou fazer uma perícia médica para confirmar, ou infirmar, a lesão contraída na piscina de Maximinos, por um cidadão, que pede, no mesmo Tribunal, 2.691 euros de indemnização à Câmara Municipal.

No despacho, o juiz envia o caso para julgamento, embora não tenha marcado a respetiva data.

O queixoso alega que terá feito um derrame articular de sete milímetros quando fazia exercícios de fisioterapia naquela piscina municipal.

A Câmara, através do advogado Fernando Barbosa e Silva, e a seguradora dizem que não têm nada a pagar por não ter haver provas de qualquer lesão.

Hidroterapia

Em novembro 2015, o cidadão inscreveu-se no programa de Hidroterapia da Câmara ministrado na piscina. Que frequentava duas vezes por semana. Fê-lo a conselho médico devido a problemas cervicais.

Na queixa judicial diz que “em 16 de fevereiro de 2016, durante uma aula, o monitor veio corrigir a posição de um exercício subaquático, que não estava a fazer corretamente.

Nesse instante, “teve um episódio súbito de dor na face anterior da coxa esquerda, que comunicou, de imediato, tendo parado”. Foi para casa com “dores intensas” e dificuldade em andar.

Nas aulas seguintes queixou-se ao monitor que lhe disse para fazer alongamentos da perna e tomar um anti-inflamatório. Depois falou com outro que o aconselhou a para fazer o mesmo.

Dores contínuas

Como as dores prosseguiam, no dia 23 foi a uma consulta na Clínica Fisiátrica Bracara Augusta, e a 29 de março teve uma consulta no Hospital de Braga, que pediu uma ressonância magnética. Noutra clínica, o médico mandou fazer tratamento. Foi, ainda, ao médico de família, e ao Hospital à especialidade de Ortopedia.

Em junho, fez uma ecografia “das partes moles”, que confirmou uma imagem compatível com pequeno derrame articular, acessível com sete milémetros de espessura. Foi, ainda, a uma outra clínica no Porto onde os exames de imagiologia detetaram uma lesão de 6 mm no fémur, “mas sem características de agressividade”.

“Há mais de nove meses que se vem sujeitando a variadíssimos exames, tratamentos, com os consequentes custos, dores e sem resultados”, argumenta.

“Não pagámos” 

A seguradora Açoreana – que tem no Município um seguro de grupo de acidentes pessoais para utentes dos espaços e instalações desportivas, recreativas e culturais – respondeu ao seu pedido de pagamento de despesas dizendo que não houve qualquer evento de natureza traumática, mas sim doença do queixoso, “o que não permite accionar as garantias contratuais”.

Este contrapõe que ”o evento traumático existiu”, pelo que as rés estão obrigadas a reparar o dano: 691 euros de consultas, tratamentos e medicamentos e dois mil de não-patrimoniais, pois “vê-se impossibilitado de fazer as rotinas diárias, pessoais e profissionais”.

Danos futuros

Aos 2.691 euros, hão-de somar-se os “danos futuros”, uma vez que continua a ser seguido na Ortopedia e a fazer fisioterapia.

Na petição, subscrita pelo advogado Amadeu Luís Carvalho, requereu a realização de um exame por Junta médica para avaliar os danos e suas consequências.

Já o jurista municipal Fernando Barbosa e Silva contestou a ação, dizendo que nada fora comunicado pelo utente aos serviços camarários, e que, para haver culpa, teria de haver cumulativamente, “um comportamento voluntário do órgão ou agente, revestindo a forma de ação ou omissão”: Teria, ainda, de “ser provada a ilicitude, a culpa e o nexo de causalidade entre a conduta e o dano. O que não se verifica”.

Anúncio

Braga

Bananeiro em Braga à espera de milhares na véspera de Natal

Bananas e Moscatel

em

Foto: Divulgação

Aproxima-se o Natal e, com ele, uma das tradições mais afamadas da cidade de Braga, comer uma banana e beber moscatel na Casa das Bananas, mais conhecida como Bananeiro.

Nos dias que antecedem o Natal, com especial incidência para a tarde/início de noite da consoada (dia 24), os bracarenes (e não só) acorrem à rua do Souto para fazer cumprir a tradição.

A adesão costuma ser tanta que cria-se uma verdadeira multidão, com largos milhares de pessoas, de copo (de plástico) numa mão e uma banana amadurecida na outra.

A verdadeira história do Bananeiro de Braga. E de Viana

Manuel Jorge, o atual proprietário, não deixou morrer o hábito que já vinha do pai, Manuel Rio, fundador do atual bananeiro, criando, nos últimos anos, uma verdadeira tradição.

 

Continuar a ler

Braga

Vladislav Delay e Mão Morta “Redux” entre destaques do gnration, em Braga, até março

Espetáculos

em

Foto: Divulgação / Arquivo

A programação do primeiro trimestre de 2020 no espaço gnration, em Braga, vai contar com nomes como Vladislav Delay, Jana Winderen e Peter Burr, para além de um cine-concerto dos Mão Morta, em formato “Redux”.

Em comunicado hoje divulgado, o gnration anunciou que 2020 começa com a “prata da casa”, que se traduz na atuação dos bracarenses Mão Morta, no dia 17 de janeiro, a fazer a banda sonora de “A Casa na Praça Trubnaia”, de Boris Barnet, em formato reduzido com Adolfo Luxúria Canibal, António Rafael e Miguel Pedro.

Também hoje, o gnration anunciou que a argentina Juana Molina vai dar um concerto em Braga, no dia 09 de abril.

No dia 25 do primeiro mês de 2020, a sala de Braga acolhe a artista norueguesa Jana Winderen, reservando-se “o destaque maior do programa” para o finlandês Sasu Ripatti, mais conhecido por Vladislav Delay, que vai atuar em quinteto com Lucio Capece (saxofone), Derek Shirley (contrabaixo), Max Loderbauer (sintetizador Buchla) e Maria Bertel (trombone).

Ao longo do primeiro trimestre, o gnration vai ainda receber The Legendary Tigerman (14 de fevereiro), Gabriel Ferrandini com o pianista alemão Alexander von Schlippenbach (06 de março), Jerusalem in My Heart e Lucrecia Dalt (14 de março), entre outros.

Em 29 de fevereiro, o ciclo de performance audiovisual Binário apresenta a performance “Membrane”, de Push 1 Stop & Wikilow, enquanto Marcel Weber “dará a conhecer uma nova instalação audiovisual resultante de residência artística no âmbito do programa Scale Travels, projeto que alia arte e nanotecnologia, desenvolvido em colaboração com o Laboratório Ibérico Internacional da Nanotecnologia”

Neste âmbito, o artista Peter Burr vai expor “Mode Confusion”, entre 17 de janeiro e 18 de abril.

Continuar a ler

Braga

Mulheres terão furtado mais de 2 mil euros em perfumes, em Braga

Uma foi detida, três fugiram

em

Foto: Ilustrativa / DR

Uma mulher de 31 anos foi detida, numa loja em Braga, este domingo, depois de ter passado na caixa registadora com diversos perfumes, no valor de 547,50 euros, sem que os tivesse pago, anunciou hoje a Polícia de Segurança Pública (PSP).

Segundo a fonte, a detida encontrava-se na companhia de mais três suspeitas, que se colocaram em fuga. “Nessa altura, deixaram cair dois perfumes, no valor de 196,65 euros, tendo furtado mais perfumes, no valor de 1296,40 euros”, adianta a PSP.

No total, existem indícios de que as mesmas terão furtado produtos num valor superior a dois mil euros.

A mulher foi notificada para comparecer nos Serviços do Ministério Público junto do Tribunal Judicial da Comarca de Braga.

Continuar a ler

Populares