Seguir o O MINHO

Motores

Christian Merli com o melhor tempo nos treinos da Rampa da Falperra

em

O italiano Christian Merli, num Osella FA 30, foi este sábado o mais rápido na terceira subida dos treinos do Campeonato Europeu da Montanha, na 39ª Rampa Internacional da Falperra.


Christian Merli, de 45 anos, obteve o tempo de 1m52.193 na terceira subida, em relação ao favorito, o seu compatriota Simone Faggioli (Norma M20 FC), que fez 1m53.754 e Sébastien Petit (Norma M20 FC) fez o terceiro melhor tempo do dia com 1m55.961, enquanto o quarto lugar foi para o veterano Andrés Vilariño, também ele vencedor de cinco edições da prova bracarense, que conseguiu 1m59.453.

Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

No Campeonato de Portugal da Montanha JC Group, Rui Ramalho, líder do campeonato, foi o melhor na primeira subida oficial ao volante do seu Osella PA 2000 EVO2, com 2m05.070, tendo sido ainda o melhor português do dia, sendo segundo Carlos Vieira, mais conhecido como campeão nacional de ralis e hoje estreante absoluto num Norma que conseguiu 2m07.871, tendo sido Ângela Vilariño (BRC) a terceira classificada com 2m26.241.

O piloto bracarense José Correia, em GT, com o seu Nissan Nismo GTR-GT3 obteve o primeiro lugar e quanto aos T4, Luís Nunes, em Audi, foi o melhor., enquanto em T3 Joaquim Teixeira, num Seat Leon Supercopa MK3 foi o mais veloz.
Nos T2, o melhor foi José Silvino Pires, a conduzir um Ford Escort Cosworth, tendo Pedro Saraiva ganho com um Hyundai i20.

No Campeonato de Portugal de Clássicos JC Group, o piloto bracarense Rui Costa, com o seu Ford Escort suplantou a concorrência por largos segundos e em TPCM o Datsun 1200 de Arnaldo Marques lidera a pontuação num Ford Escort.

Anúncio

Motores

Miguel Oliveira parte do 12.º lugar para o GP da Catalunha

MotoGP

em

Foto: DR / Arquivo

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) qualificou-se hoje na 12.ª posição para o Grande Prémio da Catalunha de MotoGP, oitava prova do Mundial de motociclismo de velocidade.

Miguel Oliveira, que caiu no início da derradeira fase de qualificação, mas sem consequências físicas, fez a melhor volta sobre o final, com o tempo de 1.40,188 minutos, a 475 milésimos de segundo do autor da ‘pole position’, o italiano Franco Morbidelli (Yamaha).

O piloto luso garantiu, pela manhã, o apuramento direto para a segunda fase da qualificação ao fazer o terceiro melhor tempo na terceira sessão de treinos livres.

O francês Fabio Quartararo (Yamaha) e o italiano Valentino Rossi (Yamaha), que cumpre em Barcelona o 350.º GP da carreira, completaram a primeira fila da grelha.

A qualificação de Miguel Oliveira acabou por ser prejudicada pela queda, que aconteceu logo na primeira volta lançada, deixando o piloto português com menos tempo para atacar uma boa posição na grelha de partida.

Continuar a ler

Motores

Mundial de superbikes regressa ao Estoril e terá dois portugueses em prova

Motociclismo

em

Foto: DR / Arquivo

O campeonato do mundo de superbikes vai decorrer, pela terceira vez, no Circuito do Estoril, onde os pilotos portugueses Tomás Alonso e Miguel Santiago vão tentar a qualificação para a corrida principal na categoria Superbike 300.

Além dos dois jovens portugueses, a última prova do Mundial de superbikes, que visitou o Estoril em 1988 e 1993, poderá ainda contar com a participação de Pedro Fragoso nas Super Sport 300.

Depois da qualificação na prova do campeonato do mundo em Portimão, Tomás Alonso, que lidera o nacional, ambiciona repetir a experiência no Autódromo do Estoril.

“O objetivo vai ser como em Portimão, primeiro qualificar-me para a corrida principal e depois tentar fazer um grande resultado. Não há muita tática, vou dar tudo de início ao fim. Sabemos que é muito complicado nas Super Sport 300, porque são muitos pilotos e todos querem ganhar, mas vou dar o meu melhor e tentar trazer um bom resultado para mim e para Portugal”, avançou Alonso.

Já Miguel Santiago, que compete no campeonato espanhol, nunca disputou nenhuma corrida do Mundial e não esconde estar “muito entusiasmado com esta prova.”

“Desde há um ano que ando a sonhar com isto, a equipa sempre trabalhou comigo para conseguirmos um bom ‘set up’ para a mota, para me habituar rápido a esta categoria e subir para o Mundial o mais rápido possível. Graças à Federação de Motociclismo de Portugal e à minha equipa vou conseguir participar no Mundial no Estoril e vou dar o meu melhor. Vou dar tudo do início ao fim para aprender com os melhores do mundo e tentar me classificar”, defendeu Miguel Santiago, reconhecendo que a “falta de experiência será uma dificuldade acrescida, mas o objetivo é aprender o máximo possível”.

Manuel Marinheiro, presidente da Federação de Motociclismo de Portugal, além de destacar o trabalho e empreendedorismo de Jorge Viegas, presidente da Federação Internacional de Motociclismo, e a capacidade organizativa em Portugal, nomeadamente em Cascais, lembra que estão a ser feitos “todos os possíveis” para os pilotos lusos mais novos “poderem participar” nas provais internacionais.

“É um nível elevadíssimo, mas é a melhor forma de evoluírem e essa é também a nossa função. O foco da Federação é essencialmente os nossos pilotos, dar a oportunidade de competir com os melhores a nível mundial”, frisou o Manuel Marinheiro.

Já Frederico Nunes, vereador do desporto da Câmara Municipal de Cascais, apontou para a importância de Cascais receber estas duas provas, o campeonato do mundo de superbikes e as 12 horas Estoril, última prova do Mundial de motociclismo de resistência, ambas apresentadas hoje na Marina de Cascais.

“É um orgulho para Cascais e para Portugal receber todas estas provas internacionais. Têm os olhos postos em Cascais, temos vindo a demonstrar que somos bons a organizar e a acolher. Se não fomos os primeiros, fomos dos primeiros a receber, em tempos de pandemia, e organizar uma prova de motociclismo”, sublinhou o vereador.

Continuar a ler

Motores

Miguel Oliveira “motivado” para GP da Catalunha de MotoGP

Motociclismo

em

Miguel Oliveira. Foto: DR / Arquivo

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) garantiu estar “motivado” para o Grande Prémio da Catalunha, oitava prova do Mundial de MotoGP, que se disputa no domingo, em Barcelona.

Em declarações difundidas pela equipa Tech3, pela qual alinha o piloto de Almada, Miguel Oliveira disse que o circuito de Montmeló “é uma pista que se adequa bem” à KTM e ao seu “estilo de condução”.

“Estou a gostar de trabalhar assim e conseguir um resultado ainda melhor do que aquele que consegui no GP da Emilia Romana”, frisou Miguel Oliveira.

O piloto luso garante testar “motivado para ir para Barcelona”.

“Depois do resultado da corrida em Misano [no domingo, no qual foi quinto classificado], penso que podemos relaxar um pouco”, sublinhou Oliveira.

O GP da Catalunha será a oitava prova do Mundial de MotoGP e, após sete corridas disputadas, Miguel Oliveira é oitavo classificado, com 59 pontos, a 25 do líder, o italiano Andrea Dovizioso (Ducati).

Continuar a ler

Populares