Seguir o O MINHO

Futebol

César Peixoto classifica jogo com Sporting de “dificuldade máxima”

I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

O treinador César Peixoto garantiu hoje que o Moreirense está preparado para um jogo de “dificuldade máxima” no estádio do Sporting, no sábado, a contar para a oitava jornada da I Liga de futebol.

“Estes são os jogos mais fáceis de preparar. É natural que todos queiram jogá-los, porque dão mais motivação e visibilidade. Contudo, também são difíceis e temos de saber gerir a equipa no plano emocional. Isso depende da forma como cada um aborda a pressão de jogar em Alvalade”, referiu o técnico, em conferência de imprensa.

Recuperado da infeção pelo novo coronavírus, que provoca a covid-19, César Peixoto reintegrou hoje os treinos e vai estrear-se no comando técnico dos minhotos, afirmando “não ter receio nenhum” da exigência da I Liga, após experiências no segundo escalão.

“Cheguei a um clube estável e ao patamar que queria desde o início. Estou perfeitamente preparado para isso. É verdade que as coisas não correram bem aqui e ali nos projetos em que estive, mas há muitas condicionantes para que, às vezes, isso aconteça. Neste momento, importa estar focado no Moreirense e saber o caminho que quero”, explicou.

O sucessor de Ricardo Soares foi oficializado em 10 de novembro e está a procurar encaixar as suas ideias de jogo com a identidade do Moreirense, visando uma “época tranquila, a potenciar jogadores, a entrar sempre para vencer e a praticar bom futebol”.

“A minha ideia de jogo é uma equipa que sabe o que quer. Os atletas devem ter noção dos seus comportamentos e querer ser protagonistas. Vamos ter alguma dificuldade e teremos de saber sofrer, mas, com bola, tentar apresentar qualidade para jogar e ser corajosos. Acima de tudo, proporcionar que os jogadores se divirtam”, observou.

Apesar das “boas condições de trabalho” encontradas, César Peixoto orientou poucos treinos e notou algum défice físico no plantel, que esteve em isolamento no início do mês, devido ao surto de covid-19 registado no emblema da vila de Moreira de Cónegos.

“Foi difícil nos 10 dias em que estive em confinamento, mas arranjámos sempre forma de estarmos presentes à distância. A equipa tem adquirido processos e é natural que ainda não esteja tudo trabalhado. Estamos numa fase de aprendizagem gradual, mas, com o tempo, não duvido que vamos fazer um bom trabalho aqui”, apontou.

O treinador falhou o triunfo diante do Merelinense (1-0), na Taça de Portugal, e fará uma “gestão a três jogos” nos próximos sete dias, esperando “uma equipa competitiva” frente ao Sporting, que permita acalentar esperanças quanto à presença na Taça da Liga.

“O adversário está confiante, forte e com processos assimilados. Todos os jogadores sabem bem o que têm de fazer em campo. Isso é sinal do trabalho fantástico do Rúben Amorim, que também está demonstrado na tabela. O Sporting é um justo primeiro classificado, em função daquilo que tem feito neste início de época”, analisou.

O Moreirense, no 11.º posto, com oito pontos e um jogo em atraso, visita o Sporting, líder isolado, com 19, num duelo da oitava jornada da I Liga, no sábado, às 20:30, no Estádio José Alvalade, em Lisboa, com arbitragem de Vítor Ferreira, da associação de Braga.

Anúncio

Futebol

Jorge Jesus efetuou segundo teste e voltou a ter resultado negativo

Covid-19

Foto: DR / Arquivo

O treinador do Benfica, Jorge Jesus, “voltou a testar negativo” ao novo coronavírus, num segundo teste realizado hoje, no dia em que o clube anunciou ter 17 casos de infeção na sua estrutura profissional de futebol.

“O Benfica esclarece que o seu treinador Jorge Jesus voltou hoje a testar negativo à COVID-19, pelo que estará amanhã, quarta-feira, no banco a orientar a equipa do Benfica na meia-final da Taça da Liga, em Leiria”, indicou o clube, em comunicado.

Jorge Jesus nunca foi identificado como um caso positivo, mas o facto de ter apresentado durante o dia “sintomas gripais” levou a que realizasse novo teste de despistagem ao vírus da SARS-Cov-2.

“A insistência num segundo teste no espaço de 24 horas prendeu-se com aparentes sintomas gripais, sem consequências de maior”, acrescentou o Benfica.

Durante o dia o clube comunicou que 17 elementos testaram positivo, identificando os casos dos futebolistas Gilberto, Grimaldo, Vertonghen, Diogo Gonçalves e Luca Waldschmidt, e do presidente, Luís Filipe Vieira.

Um cenário que levou o clube a remeter, num primeiro momento, para a Direção Geral da Saúde a decisão de se apresentar nos próximos 14 dias à competição, e, depois, a comunicar que estará na meia-final de quarta-feira.

“Após ter exposto publicamente, de forma cautelar e transparente, o aumento de casos de covid-19 na sua estrutura profissional, não recebeu por parte das autoridades competentes – DGS [Direção-Geral da Saúde] e Liga de Clubes – qualquer recomendação contrária às regras até agora vigentes nas competições nacionais. Ou seja, proceder ao isolamento dos jogadores que testaram positivo e incluir no lote de atletas à disposição da sua equipa técnica todos aqueles que testaram negativo, 48 horas antes da partida”, referiu o Benfica.

Além dos casos confirmados pelo clube, a imprensa avançou também que boa parte da equipa técnica está infetada, nomeadamente os treinadores adjuntos João de Deus, Pietra, Fernando Ferreira, Paulo Lopes, Márcio Sampaio ou Mário Monteiro, bem como o diretor e ex-jogador Luisão.

Na quarta-feira, o Benfica defronta o Sporting de Braga na segunda meia-final da Taça da Liga, no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, já depois de hoje Sporting ter garantido um lugar na final, ao bater o FC Porto, por 2-1.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.041.289 mortos resultantes de mais de 95,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.246 pessoas dos 566.958 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

Futebol

Sporting vence FC Porto e está na final da Taça da Liga pela quinta vez

Futebol

Foto: FC Porto

O Sporting qualificou-se hoje pela quinta vez para a final da Taça da Liga em futebol, ao vencer o FC Porto por 2-1, na primeira meia-final da prova, no Estádio Municipal de Leiria, Dr. Magalhães Pessoa.

Um ‘bis’ do suplente Jovane Cabral, aos 86 e 90+4 minutos, depois do maliano Marega adiantar os ‘azuis e brancos’, aos 79, selou o triunfo dos ‘leões’, que venceram a prova em 2017/18 e 2018/19 e perderam as finais de 2007/08 e 2008/09.

No sábado, pelas 19:45, o Sporting vai disputar o título com o Benfica – com o qual perdeu a final de 2008/09 (2-3 nos penáltis, após 1-1 nos 90 minutos) – ou o Sporting de Braga, que se defrontam na quarta-feira. O FC Porto continua em ‘branco’ na prova.

O suplente Jovane Cabral ‘bisou’ hoje na vitória do Sporting frente ao FC Porto, por 2-1, em Leiria, consumando a reviravolta no clássico das meias-finais da Taça da Liga de futebol, depois de Marega ter adiantado os ‘dragões’.

O extremo foi uma das apostas para desempatar o encontro do treinador do Sporting, Ruben Amorim, aos 78 minutos, mas, um minuto depois, Marega ensaiou uma jogada monumental e marcou o primeiro golo da partida.

Mesmo assim, Jovane Cabral arrebatou o protagonismo do encontro, ao marcar os dois golos ‘leoninos’, aos 86 e 90+4, qualificando o Sporting para a final da competição, frente a Benfica ou Sporting de Braga, que se defrontam na quarta-feira, também na cidade leiriense.

Após a polémica da véspera, o líder da I Liga apresentou-se sem Nuno Mendes e Sporar e com o esquema tático habitual, com os três centrais Gonçalo Inácio, Coates e Feddal e os laterais Pedro Porro e Antunes, os médios Palhinha e João Mário e um ataque com Pedro Gonçalves, Nuno Santos e Tiago Tomás.

Face às ausências dos ‘titulares’ Otávio, Sérgio Oliveira, Luís Diáz e Taremi, Sérgio Conceição recriou a disposição ‘leonina’, com Marega no centro do ataque, apoiado por Corona e Felipe Anderson, à frente dos médios defensivos Uribe e Grujic. Mais atrás, os centrais Diogo Leite, Pepe e Mbemba estiveram à frente de Diogo Costa, com João Mário e Zaidu nas laterais.

O ‘encaixe’ foi praticamente perfeito e foi até o menos rotinado nesta formação FC Porto a demonstrar melhor desenvoltura, conseguindo, logo na primeira parte, algumas oportunidades de finalização, uma delas embatendo no poste da baliza ‘verde e branca’.

Marega foi o protagonista do lance mais flagrante da primeira metade, aos 40 minutos, depois de João Mário se desenvencilhar de Antunes e obrigar Coates a um corte perto da linha de golo, que deixou a bola à mercê do maliano, que acertou no poste.

Antes, aos 20, já Marega tinha aproveitado o mau tempo de salto de Feddal a um passe longo do guarda-redes Diogo Costa, para servir Corona, que rematou por cima do ‘alvo’.

Do lado ‘verde e branco’, o guarda-redes Adán mostrou-se eficaz, a defender um cabeceamento de Diogo Leite, aos 11, e a sair-se aos pés de Grujic, aos 18.

Na primeira parte, o setor mais ofensivo do Sporting ressentiu-se das incursões dos laterais, Porro, na direita, onde se deparava com Felipe Anderson, e Antunes, que, com Corona, também não se aventurou como Nuno Mendes.

Assim, os ‘leões’ não conseguiram melhor do que as aparições de Pedro Gonçalves, aos 34, quando atirou por cima da baliza ‘azul e branca’, e Nuno Santos, dois minutos depois, após passe de Tiago Tomás, sem conseguir evitar a saída de Diogo Costa.

A segunda parte começou praticamente com novo desperdício dos ‘dragões’, aos 47, quando Uribe, em zona central, atirou muito por cima da baliza sportinguista, após um passe da linha de fundo de Marega.

O tal ‘encaixe’, alimentado pelas cautelas e pelas picardias normais de um clássico, concentrava o jogo no meio-campo, excetuando-se as bolas paradas e alguns lançamentos diretos, como os dois protagonizados por Nuno Santos e Diogo Costa.

O extremo ‘leonino’, após iniciativa de Pedro Gonçalves, chegou a conseguir posição de remate, aos 68, mas encontrou o guarda-redes ‘azul e branco’, que, cinco minutos depois, se viu obrigado a sair até à entrada do meio-campo para desarmar Nuno Santos.

Depois, surgiu Marega com uma arrancada fulminante, conseguindo, mesmo com a oposição de Antunes, inaugurar o marcador, aos 79, com um remate fraco e rasteiro, mas colocado, que deixou Adán sem reação.

Apesar de próximo do fim, o jogo não estava resolvido e Jovane Cabral, que tinha substituído Tiago Tomás, chegou ao empate, aos 86, com um ‘tiro’ cruzado, à entrada da área, após um corte da defensiva ‘azul e branca’, sem hipóteses para o guarda-redes ‘azul e branco’.

O extremo ‘leonino’ acabou por sentenciar o encontro, quando faltavam 20 segundos para o fim dos quatro minutos de compensação, batendo Diogo Costa, após um lance de contra-ataque conduzido por Pedro Gonçalves.

O Sporting, vencedor da Taça da Liga em 2017/18 e 2018/19, vai disputar a final da Taça da Liga pela quinta vez, no sábado, a partir das 19:45, frente ao vencedor do embate entre Benfica e Sporting de Braga, marcado para quarta-feira.

Ficha de jogo

Jogo realizado no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria.

Sporting – FC Porto, 2-1.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores:

0-1, Marega, 79 minutos.

1-1, Jovane Cabral, 86.

2-1, Jovane Cabral, 90+4.

Equipas:

– Sporting: Adán, Gonçalo Inácio, Coates, Feddal, Pedro Porro, Palhinha (Daniel Bragança, 85), João Mário (Matheus Nunes, 69), Antunes (Gonzalo Plata, 85), Pedro Gonçalves, Nuno Santos e Tiago Tomás (Jovane Cabral, 78).

(Suplentes: Luís Maximiano, André Paulo, Eduardo Quaresma, Borja, Matheus Nunes, Jovane Cabral, Daniel Bragança e Gonzalo Plata).

Treinador: Rúben Amorim.

– FC Porto: Diogo Costa, Mbemba, Pepe, Diogo Leite, João Mário (Fábio Vieira, 90+1), Grujic, Uribe, Zaidu (Manafá, 79), Corona (Nanu, 84), Felipe Anderson e Marega (Toni Martinez, 84).

(Suplentes: Marchesín, Manafá, Nanu, Sarr, Loum, Romário Baró, Francisco Conceição, Fábio Vieira e Toni Martinez).

Treinador: Sérgio Conceição.

Árbitro: João Pinheiro (AF Braga).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Grujic (35), Pedro Porro (42), Felipe Anderson (43), Sérgio Conceição (44), Palhinha (52), Coates (57), Antunes (72) e Fábio Vieira (90+6).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Continuar a ler

Futebol

Benfica confirma presença na ‘final four’ da Taça da Liga e vai a jogo com o SC Braga

Covid-19

Foto: DR / Arquivo

O Benfica informou hoje que vai marcar presença na ‘final four’ da Taça da Liga de futebol, em Leiria, apesar dos vários casos de infeção com o novo coronavírus, que provoca a covid-19, que afetam a equipa lisboeta.

Em comunicado emitido no sítio oficial, o clube da Luz, que defronta na quarta-feira o SC Braga, nas meias-finais, confirma a presença, “com a ambição de vencer a prova, à imagem do que acontece em todas as competições que disputa”.

“Após ter exposto publicamente, de forma cautelar e transparente, o aumento de casos de covid-19 na sua estrutura profissional, não recebeu por parte das autoridades competentes – DGS [Direção-Geral da Saúde] e Liga de Clubes – qualquer recomendação contrária às regras até agora vigentes nas competições nacionais. Ou seja, proceder ao isolamento dos jogadores que testaram positivo e incluir no lote de atletas à disposição da sua equipa técnica todos aqueles que testaram negativo, 48 horas antes da partida”, refere o Benfica.

Perante as dificuldades, os ‘encarnados’ destacam o “inabalável espírito de grupo e tenacidade” do plantel, que possibilita à equipa “marcar presença amanhã [quarta-feira] na meia-final da Taça da Liga, com o desígnio de vencer um troféu que já conquistou por sete vezes”.

Por outro lado, o Benfica manifestou que tem cumprido “escrupulosamente” as normas e recomendações das autoridades competentes e revelou que, “ao longo da época, realizou mais de 7.000 testes SARS-CoV-2 a todos os elementos da sua estrutura profissional”, algo que “se situa claramente acima das orientações da DGS e do que se encontra estipulado pela Liga de cubes”.

Na quarta-feira, o Benfica defronta o Sporting de Braga, nas meias-finais da Taça da Liga, a partir das 19:45, em Leiria, num encontro no qual não poderá contar com Gilberto, Vertonghen, Grimaldo, Diogo Gonçalves e Luca Waldschmidt, os mais recentes casos positivos ao novo coronavírus no plantel.

Já hoje, o clube tinha informado terem sido detetados 17 casos de infeção pelo novo coronavírus entre jogadores, equipa técnica e ‘staff’ no decurso dos testes de despistagem realizados desde sábado, e entre os quais o caso positivo do presidente Luís Filipe Vieira.

Os ‘encarnados’ cancelaram a conferência de imprensa de antevisão do jogo com os minhotos, que estava marcada para hoje, e disseram aguardar uma decisão da Direção-Geral da Saúde (DGS) relativamente à participação da equipa nas competições de futebol.

“O Sport Lisboa e Benfica comunica que, no decurso dos testes realizados desde sábado no Seixal, foram detetados 17 novos casos de covid-19 entre staff, equipa técnica e jogadores. Perante estes dados, na defesa da saúde pública e da integridade física dos atletas envolvidos, o Benfica remete para a DGS a decisão de se apresentar em competição nos próximos 14 dias”, pode ler-se na nota publicada hoje no sítio oficial dos ‘encarnados’.

Na segunda-feira, a comunicação social portuguesa deu conta de vários casos de infeção nas ‘águias’, nomeadamente do avançado alemão Luca Waldschmidt, dos treinadores-adjuntos João de Deus, Pietra e Fernando Ferreira e do diretor Luisão, acrescentando que os brasileiros Gilberto e Everton Cebolinha cumpriam isolamento.

No calendário do Benfica para os próximos 14 dias, além da meia-final da Taça da Liga, em Leiria, onde poderá ter de disputar a final da prova, no sábado, incluem-se também os jogos em casa com Nacional (15.ª jornada da I Liga) e Belenenses SAD, para os quartos de final da Taça de Portugal, e a visita ao Sporting (16.ª jornada).

De acordo com o plano de retoma do futebol profissional, “os atletas e equipas técnicas da equipa na qual foi identificado um caso positivo podem ser considerados contactos de um caso confirmado”.

“No entanto, a identificação de um caso positivo não torna, por si só, obrigatório o isolamento coletivo, das equipas. A determinação de isolamento de contactos (de praticantes e outros intervenientes), a título individual, é de estrita competência da Autoridade de Saúde territorialmente competente”, acrescenta o mesmo documento da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP).

Este plano, que vigora desde 07 de setembro de 2020, determina que todos os infetados, sintomáticos ou não, devem ser isolados, “ficando impossibilitados de participar em treinos e competições até à determinação de cura deliberada pela Autoridade de Saúde territorialmente competente”.

Continuar a ler

Populares