Seguir o O MINHO

Braga

Cervejeiros de Vila Verde doam parte das vendas à loja social de Prado

Na Festa das Colheitas

em

Foto: Divulgação

A cervejeira Letra, com sede em Vila Verde, entregou na passada segunda-feira um conjunto de bens alimentares que resultaram da participação da marca na Festa das Colheitas, uma iniciativa realizada naquele concelho.


A marca decidiu doar uma percentagem dos lucros naquelas festividades a uma causa de ação social, e o valor angariado rondou os 200 euros, que foram transformados em bens alimentares de primeira necessidade com o objetivo de “aumentar a pegada solidária e responsabilidade social”, valores que cada vez mais a empresa quer assumir.

A entrega dos cabazes alimentares foi realizada na Loja Social de Prado, no concelho de Vila Verde. No total foram entregues 12 cabazes, em que cada um continha massa, arroz, feijão, atum, salsichas e cogumelos.

O sócio fundador Filipe Macieira refere que “a harmonia social e ambiental é fundamental para a nossa empresa, para além deste pequeno contributo em alimentos, queremos também sensibilizar a comunidade para problemas ambientais”.

O gerente explica que decorre, no próximo sábado, uma caminhada ambiental, iniciativa em parceria com Vila Verde a Correr e Desassossego Ambiental, onde se pretende caminhar e apanhar o lixo encontrado no percurso.

 

Anúncio

Braga

Homem sofre queimaduras ao incendiar colchão e agride bombeiro em Braga

Em São Víctor

em

Foto: Paulo Jorge Magalhaes / O MINHO

Um homem sofreu queimaduras no corpo depois de ter incendiado um colchão numa habitação em Braga, apurou O MINHO no local.

Os bombeiros foram alertados para uma ocorrência de incêndio urbano na rua Justino Amorim, junto ao bairro de Santa Tecla.

À chegada, um dos operacionais foi agredido pela vítima.

No local estão os Bombeiros Sapadores e os Voluntários de Braga, a VMER e a PSP.

Tanto o queimado como o bombeiro foram transportados para o Hospital de Braga.

O alerta foi dado às 00:22.

A PSP registou a ocorrência.

Continuar a ler

Braga

Dois dos arguidos do assalto milionário ao Santander em Braga resolveram falar

Tribunal

em

Foto: O MINHO / Arquivo

O Tribunal de Braga terminou, hoje, com o testemunho dos agentes da PJ/Porto que investigaram o assalto ao Santander a fase de “produçao de prova” sobre os quatro arguidos – todos em prisão preventiva – envolvidos no furto à dependência da Avenida Central, em Braga, do banco Santander. De onde levaram quatro milhões em dinheiro e em jóias.

Na sessão de hoje, os arguidos Rui Fernandes e Vítor declararam aos juízes que querem falar, o que acontecerá em setembro, com o retomar das sessões, após as férias judiciais: “o meu constituinte, que inicialmente se recusou a falar, entendeu ser hora de esclarecer o Tribunal”, disse ao MINHO, o advogado João Ferreira Araújo que defende o Rui.

O julgamento entra, assim, numa nova fase já que, após as declarações dos dois arguidos, será a vez da «produção de prova» sobre os crimes imputados aos outros seis arguidos, envolvidos no assalto a várias vivendas na região minhota.
O processo tem como que duas acusações em paralelo de associação criminosa: as dos quatro que entraram no Santander, e a dos restantes seis ligados aos furtos em vivendas.

vários dos assistentes no processo, concretamente pessoas que tinham dinheiro e joias nos cofres
Em julgamento, estão nove homens – quatro em prisão preventiva e um em domiciliária – e uma mulher, por assaltos ao Santander e a dez vivendas. Eles estão acusados de associação criminosa e furto qualificado, e a mulher, companheira de um deles, apenas por furto.

O grupo está acusado pelo MP de furtar 4,7 milhões, em dinheiro e bens, (sem contabilizar a moeda estrangeira), em dez assaltos a casas e ao Santander, em Braga, Ponte de Lima, Arcos de Valdevez  e Viana do Castelo.
E

ntre os lesados, com casas assaltadas e carros furtados, estão o empresário Domingos Névoa, o cantor limiano Delfim Júnior, e o médico e antigo atleta do Sporting de Braga, Romeu Maia. A investigação foi da GNR e da PJ/Porto.

Luís Moreira

Continuar a ler

Braga

Complexos Desportivos da UMinho permanecem abertos em agosto

Fomento à prática desportiva

em

Foto: Divulgação / UMinho

Os Complexos Desportivos de Azurém (Guimarães) e Gualtar (Braga) da Universidade do Minho (UMinho) vão estar abertos durante o mês de agosto, ao contrário do que costumava acontecer nos últimos anos. Com esta iniciativa, os Serviços de Acção Social da Universidade do Minho (SASUM) pretendem melhorar as condições de prática de exercício físico dos seus utentes, para que os mesmos não sejam confrontados com uma suspensão involuntária da sua atividade desportiva.

Carlos Videira, diretor do Departamento de Desporto e Cultura dos SASUM, revela que esta já era uma medida que estava a ser pensada há alguns meses. “De há algum tempo a esta parte, temos vindo a percecionar que este encerramento faz com que muitos utentes (estudantes das cidades de Braga e Guimarães, funcionários, docentes e externos) desistam da sua inscrição nos nossos serviços e procurem resposta noutras infraestruturas. Muitos destes utentes não retomam a sua inscrição nos nossos serviços. Outros acabam por nunca se chegar a inscrever, apontando como debilidade da nossa oferta o facto de apenas estarmos abertos 11 meses por ano”, aponta o dirigente.

Com a reabertura dos complexos desportivos no início do passado mês de junho, a ideia ganhou ainda mais força. “No contexto atual de desconfinamento, entendemos também que a abertura em agosto daria um sinal de confiança e permitiria continuar a retoma que temos vindo a promover. Não faria sentido que, apenas dois meses após a reabertura, os complexos desportivos voltassem a fechar. Precisamos de fazer com que as pessoas que estão a frequentar as nossas instalações façam dessa utilização um hábito permanente”, afirma Carlos Videira.

Dessa forma, os SASUM avançam, neste primeiro ano, com uma experiência piloto em que os complexos desportivos estarão abertos às segundas, quartas e sextas-feiras durante o período da manhã (08h00 – 14h00) e às terças e quintas-feiras durante o período da tarde (12h00 – 14h00 e 15h00 – 20h00), incluindo horário de almoço. A expectativa é a de que o horário da manhã vá de encontro à procura por parte de quem esteja de férias. Por seu lado, o horário da tarde será mais adequado para quem esteja a trabalhar.

O mensalidade do mês de agosto será oferecida aos atuais utentes do Departamento de Desporto e Cultura dos SASUM. Para novas inscrições, até ao dia 31 de agosto, a mensalidade de agosto também é gratuita. A oferta inclui atividades de musculação e cardiofitness, treino funcional e aulas de grupo.

Continuar a ler

Populares