Seguir o O MINHO

Alto Minho

Cerveira e Tomiño querem construir ponte pedonal sobre o Rio Minho

em

Um parque transfronteiriço e uma ponte pedonal sobre o rio Minho são dois dos projetos comuns de Vila Nova de Cerveira, e Tomiño, na Galiza, que envolvem a Marinha de Portugal e a de Espanha.

Fonte da Câmara de Vila Nova de Cerveira explicou, esta terça-feira, que os projetos, a candidatar aos novos fundos comunitários do programa Interreg, foram apresentados aos comandantes das entidades marítimas de Caminha e da Galiza como forma de consolidar a cooperação transfronteiriça”.

A intenção dos dois municípios passa por avançar com a criação de eco parque comum, o Parque Transfronteiriço Castelinho-Fortaleza, que resultará da união de dois espaços urbanos e de lazer, que se encontram “um em frente do outro”, em ambas as margens do rio internacional.

A ligação será assegurada pela construção de uma ponte pedonal e ciclável sobre o rio Minho, com cerca de 900 metros de comprimento.

A “oferta diversificada e complementar de valências” das duas estruturas está na origem da do projeto que terá uma área total de 15 hectares resultado da união do parque de lazer do Castelinho, em Vila Nova de Cerveira, e do espaço Fortaleza de Goián, em Tomiño, que juntos têm atualmente uma área de seis hectares.

O objetivo é “fomentar o conceito de um destino, dois países, valorizando o rio Minho como um elemento aglutinador de desenvolvimento de diversas vertentes”.

O encontro com os comandantes das entidades marítimas de Caminha e da Galiza, que decorreu na segunda-feira em Vila Nova de Cerveira com a presença dos autarcas dos dois municípios, serviu para “abordar as potencialidades e as burocracias inerentes à construção de uma ponte pedonal para uma comunicação sustentável através do rio Minho”, informou a fonte.

“A concretização deste projeto só será possível pela ligação das duas margens, através de uma ponte pedonal e ciclável sobre o rio Minho, fazendo a ligação entre os dois parques”, sustentou a autarquia portuguesa.

Segundo a Câmara de Vila Nova de Cerveira os dois projetos já foram apresentados, do lado português, o Ministério dos Negócios Estrangeiros, a delegação portuguesa da Comissão Interministerial de Limites e Bacias Hidrográficas Luso-Espanholas, à Direção Geral dos Assuntos Europeus, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), e à Associação Portuguesa do Ambiente, o mesmo acontecendo com as entidades congéneres galegas.

O objetivo passa por candidatar a empreitada ao programa de cooperação transfronteiriça entre Portugal e Espanha, o INTERREG V-A, lançado em fevereiro pela Comissão Europeia com uma dotação de mais de 288 milhões de euros.

Os dois projetos estão contemplados na Agenda Estratégica para a Cooperação Transfronteiriça Cerveira-Tomiño 2014-2020. O documento surgiu na sequência da assinatura, em junho de 2014, de uma “Carta da Amizade” com vista ao “fortalecimento das relações entre os dois lados”.

EM FOCO

Populares