Seguir o O MINHO

Braga

Centenas provocam primeira enchente do ano na praia de Adaúfe em Braga

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O calor que se fez sentir este sábado, com os termómetros a subirem acima dos 30 graus, foram centenas de pessoas que passaram pela Praia Fluvial de Adaúfe, em Braga, provocando a primeira enchente do ano de 2020 naquele espaço de lazer.

Apesar de ainda não estar vigiada, os bracarenses (e não só) procuraram a relva e a água do Cávado para refrescar as ideias durante a tarde.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Com base em dados de surtos anteriores de SARS – Síndrome Respiratória Aguda Grave e MERS – Síndrome Respiratória do Médio Oriente, os cientistas estimam que “há um baixo risco de transmissão do vírus que causa a doença covid-19 através da água”, aponta o manual, adiantando que também é estimado que o risco de transmissão através de sistemas de águas residuais tratadas seja baixo e “não existem, à data, estudos sobre a presença do SARS-CoV-2 na areia”.

Os utentes das praias devem assegurar um distanciamento físico de 1,5 metros entre diferentes grupos e afastamento de três metros entre chapéus de sol, toldos ou colmos, a partir de 06 de junho, determinou o Governo.

Relativamente ao estado de ocupação das praias, vai existir “sinalética tipo semáforo”, em que a cor verde indica ocupação baixa (1/3), amarelo é ocupação elevada (2/3) e vermelho quer dizer ocupação plena (3/3).

Segundo o Governo, a informação sobre o estado de ocupação das praias vai ser “atualizada de forma contínua, em tempo real”, designadamente na aplicação InfoPraia e no sítio da APA.

Além dos acessos à zona balnear, estão previstas medidas sobre o ordenamento do espaço de estacionamento, a circulação nas passadeiras, paredão e marginal, as instalações sanitárias, a gestão de resíduos, a venda ambulante, os equipamentos de banho, inclusive cadeiras anfíbias, gaivotas, escorregas, chuveiros e espreguiçadeiras, e o funcionamento de apoios de praia e equipamentos, nomeadamente restaurantes, esplanadas e zonas de merendas.

Quanto aos postos de primeiros socorros, estes devem dispor de termómetros e equipamento de proteção individual e ter uma área destinada ao isolamento de casos suspeitos de infeção pela covid-19, determina o regime excecional e temporário para a ocupação e utilização das praias, no contexto da pandemia covid-19.

Neste âmbito, o Governo prevê a possibilidade de interdição da praia, “por motivo de proteção da saúde pública, em caso de incumprimento grave das regras pelas concessionárias ou pelos utentes”.

Populares