Seguir o O MINHO

Cabeceiras de Basto

Centenas de cachecóis vão ‘abraçar’ o Mosteiro de Refojos em Cabeceiras de Basto

Cada cachecol terá entre 1,40m e 1,60m de comprido e entre 0,25m e 0,30m de largo mas haverá alguns com dimensões superiores

em

Foto: DR

A população de Cabeceiras de Basto vai abraçar o Mosteiro de S. Miguel de Refojos, no próximo dia 03 de Junho, pelas 10:00, com centenas de cachecóis.

A iniciativa ‘Dá Lã um abraço ao Mosteiro’ desafiou os cabeceirenses a produzirem, manualmente, cachecóis em tricot para “dar o maior abraço alguma vez dado ao monumento”.

Inserido nas Comemorações do Dia Mundial da Criança, a comunidade educativa também se vai juntar à iniciativa que terá ainda a participar da população sénior, das famílias e de diversas instituições.

O cachecol poderá depois ser oferecido pelos participantes ao Mosteiro, comprometendo-se a Câmara Municipal a promover, posteriormente, uma exposição de cachecóis em espaço público, em novo momento de grande manifestação de carinho pelo património.

Com esta iniciativa a Câmara destaca também “o trabalho das Mulheres de Bucos que dão vida à Casa da Lã, um núcleo museológico vivo que integra o Museu das Terras de Basto, onde a arte venceu o tempo e se tornou uma marca idiossincrática das mulheres da aldeia de Bucos”, revela ainda o Município.

Estas artesãs participam na dinamização da iniciativa “através do ensinamento e apoio a todos os que queiram fazer um cachecol e participar, depois, no grande abraço”. De referir que também o Centro de Emprego do Médio Ave colabora com a iniciativa através da participação de um grupo de formandas que neste momento recebem formação, precisamente na Casa da Lã.

Os cachecóis são em lã e resultam da criatividade e imaginação de cada participante. Cada um tem a dimensão adequada (entre 1,40m e 1,60m de comprimento e entre 0,25m e 0,30m de largura), mas algumas das instituições apresentarão trabalhos com dimensões superiores às indicadas.

Os participantes puderam adquirir a lã e, eventualmente, as agulhas nos estabelecimentos de venda destes produtos, mas a Câmara Municipal, para facilitar a aquisição da matéria-prima, colocou à venda meadas de lã e agulhas em vários locais do concelho.

Anúncio

Cabeceiras de Basto

Apreendida espingarda a suspeito de “violência física e psicológica” sobre a mulher em Cabeceiras de Basto

Casal de 33 e 31 anos

em

A GNR apreendeu na quinta-feira, na sequência de uma busca domiciliária realizada por violência doméstica, uma espingarda de caça e munições em Cabeceiras de Basto, divulgou hoje o Comando Territorial de Braga daquela força policial.

Em comunicado, a GNR informa que a apreensão resultou de uma investigação por violência doméstica, “em que o suspeito, um homem de 33 anos, exercia violência psicológica e física sobre a sua esposa de 31 anos”.

Foto: GNR

Ao realizar uma busca domiciliária, os militares do Posto Territorial de Cabeceiras de Basto encontraram uma espingarda de caça e 24 cartuchos na residência do casal.

Ao que O MINHO apurou, o casal reside na freguesia de Arco de Baúlhe e Vila Nune.

De acordo com a força policial, os factos foram transmitidos ao Tribunal Judicial de Cabeceiras de Basto.

Continuar a ler

Cabeceiras de Basto

Cabeceiras de Basto é o sexto concelho do país onde se perde mais água

Segundo a DECO, em Portugal há um desperdício de 90 milhões de euros por ano com perdas de água

em

Foto: Ilustrativa / DR

As perdas de água em Portugal rondam os 180 milhões de metros cúbicos por ano e correspondem a um desperdício na ordem dos 90 milhões de euros, denunciou hoje a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, identificando um conjunto de 15 municípios com maiores perdas de água, em que Cabeceiras de Basto surge na sexta posição, com 390 litros por dia e 1,10 milhões de m3 por ano.

“Globalmente, perdem-se, por ano, 179.722.877 metros cúbicos de água em 258 municípios”, divulgou hoje a DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, com base em dados que deixam de fora mais “20 municípios que desconhecem o volume desperdiçado”.

O valor apurado corresponde, segundo a associação, “a 197 piscinas olímpicas”, mas, estimando o valor não contabilizado nos municípios que não forneceram dados, as perdas deverão chegar, anualmente a “mais de 180 milhões de metros cúbicos de água, o que corresponde a deitar fora cerca de 90 milhões de euros”, refere a DECO num comunicado.

As perdas são provocadas por problemas ao nível “do armazenamento, do transporte e na distribuição” de água e, segundo a DECO, “o pior caso ao nível nacional” regista-se em Macedo de Cavaleiros, com “642 litros de água perdidos por ramal e por dia”, o que equivale a 2,35 milhões de metros cúbicos (m3) por ano.

Já o melhor exemplo identificado foi o de Santo Tirso e Trofa, com 13 litros perdidos, por ramal e por dia.

Tendo por base a análise de dados da Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos (ERSAR), a DECO revelou hoje a lista dos 15 municípios do país com maiores perdas de água.

A Macedo de Cavaleiros segue-se Peso da Régua, com 520 litros perdidos por ramal e por dia (1,24 milhões de m3 por ano); Anadia, com 463 litros por dia (2,40 milhões de m3 por ano).

Arruda dos Vinhos, com perdas de 452 litros por dia e por ramal (752 mil m3 por ano), e Silves, com 448 litros por dia e por ramal (2,33 milhões de m3 por ano), completam o ‘top’ cinco dos maiores perdedores de água revelados pela associação.

Da lista fazem também parte Cabeceiras de Basto (6.º, com 390 litros por dia e 1,10 milhões de m3 por ano); Loures e Odivelas (383 mil litros por dia e 6,92 milhões de m3 por ano); Amadora e Oeiras (com 372 litros por dia e 4,85 milhões de m3 por ano); Estremoz (com 371 litros por dia e 1,21 milhões de m3 por ano) e Castelo de Paiva (com 364 litros por dia e 781 mil m3 por ano).

De entre os 15 com maiores perdas, seguem-se Moimenta da Beira (com 364 litros por dia e 900 mil m3 por ano); Lousã (com 352 litros por dia e 972 mil m3 por ano); Sesimbra (com 340 litros por dia e 2,47 milhões de m3 por ano); S. Brás de Alportel (com 333 litros por dia e 689 mil m3 por ano) e Santa Marta de Penaguião (com 332 litros por dia e 528 mil m3 por ano).

Além destes 15 municípios, segundo a DECO, “91 têm perdas acima do aceitável” e em 200 “a reabilitação de condutas com mais de dez anos é insatisfatória”.

No comunicado, a DECO defende que “uma quantia tão elevada [de perdas] não deve repercutir-se na fatura cobrada ao consumidor” e alerta que a falta de manutenção “poderá levar ao colapso” das condutas, dando origem a avarias e a perdas de água da rede.

Continuar a ler

Cabeceiras de Basto

GNR de Cabeceiras de Basto apreende armas de fogo a indivíduo suspeito de violência doméstica

Homem de 67 anos exercia violência psicológica e física sobre a esposa de 61 anos

em

Foto: GNR

A GNR de Cabeceiras de Basto apreendeu três armas de fogo e 162 munições, no âmbito de um processo de violência doméstica, naquele concelho.

Na sequência de uma investigação por violência doméstica, onde o suspeito, um homem de 67 anos, exercia violência psicológica e física sobre a esposa de 61 anos, a GNR deu cumprimento a um mandado de busca domiciliária que culminou na apreensão de duas pistolas transformadas (armas de alarme transformadas para armas de fogo); uma espingarda e 162 munições.

Os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Guimarães.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares