Seguir o O MINHO

Guimarães

Cazaquistão vai ter consulado honorário em Guimarães

Diplomacia económica

em

Foto: DR

O Cazaquistão vai ter um consulado honorário em Guimarães, conforme avançou em primeira mão O MINHO, no antigo edifício dos Paços do Concelho, local que vai também albergar a Associação de Jovens Empresários vimaranenses e um espaço dedicado à Diplomacia Económica, confirmou hoje a autarquia.

Em declarações aos jornalistas, o vereador para a área da economia da Câmara de Guimarães, Ricardo Costa, explicou que a instalação daquele consulado fará com que “a entrada [de empresas] no Cazaquistão fique muito facilitada”.

Segundo documentação da autarquia, a instalação daquelas valências no centro histórico da cidade surge dentro da missão do município de “assumir uma atitude pró-ativa e de caráter inovador, promovendo e induzindo na sociedade e na economia um capital de exigência e de inovação que façam do seu território uma clara referência internacional”.

O objetivo é “criar condições de apoio à população, em especial na área do desenvolvimento económico e empresarial, essencial ao bom desenvolvimento da região, e às atividades desenvolvidas pela autarquia”.

Quanto ao consulado do Cazaquistão, a nova valência terá “um papel importante no desenvolvimento das relações culturais e contactos com a imprensa para a promoção do tecido económico concelhio, procurando intensificar a sua atividade na captação de novos investimentos nacionais e estrangeiros, e também estimular o empreendedorismo já existente, bem como a defesa dos interesses económicos bilaterais”.

Ricardo Costa destacou a importância da presença do Cazaquistão no município, salientando que o consulado “ficará responsável por toda a zona Norte”.

“O Cazaquistão tem a melhor qualidade do mundo de algodão. Nós temos a maior ‘trading’ europeia de fios, a Mundifios. Uma das possibilidades é importar algodão para cá. Se, com estas parcerias, conseguimos importar matéria prima a um custo mais baixo, vamos incorporar mais valor no produto final o que pode levar a pagar melhores salários”, apontou.

Sobre a instalação da sede da Associação de Jovens Empresários de Guimarães, a autarquia explicou que pretende “fomentar a reunião dos jovens empresários residentes ou com atividades no concelho de Guimarães, com vista à satisfação dos interesses comuns e ao desenvolvimento das suas atividades profissionais, nomeadamente nas vertentes de formação, apoio técnico”.

O Espaço dedicado à Diplomacia Económica, da responsabilidade da Câmara de Guimarães, através da Divisão de Desenvolvimento Económico, tem como objetivo” acolher comitivas nacionais e internacionais, num local emblemático da história da cidade, com foco na atração de investimento estrangeiro e internacionalização da economia concelhia”.

A autarquia pretende ainda que o espaço seja “um local privilegiado para o intercâmbio de ideias e negócios entre empresários locais e diversos ‘stakeholders’ e, simultaneamente, possam senti-lo como uma porta aberta para potenciar sinergias corporativas”.

A instalação de todas estas valências no concelho de Guimarães, salientou Ricardo Costa, “tem como vantagem a promoção das relações económicas, a estimulação do empreendedorismo empresarial, a intensificação da captação de novos investimentos nacionais e estrangeiros, a internacionalização das relações económicas e o incentivo da própria economia do concelho.

Populares