Seguir o O MINHO

Região

Cascatas de Melgaço e do Gerês entre as mais belas de Portugal

Cascatas

em

Fotos: Wikicomons

O portal Sapo Viagens escolheu as cascatas mais belas de Portugal, incluíndo duas na zona do Gerês, concelho de Terras de Bouro, e uma em Castro Laboreiro, Melgaço.


Na freguesia de Vilar da Veiga, zona do Gerês, as cascatas em destaque são as de Fecha de Barjas, mais conhecida como Tahiti, e as cascatas do Arado, ambas bastante procuradas por banhistas.

Cascata Fercha de Barjas, Gerês

Cascata do Arado, Gerês

Já em Melgaço, na zona de Castro Laboreiro, uma mais desconhecida do grande público – cascata de Laboreiro, também figura na lista.

Cascata do Laboreiro, Melgaço

Lista das cascatas mais belas de Portugal

Casctata da Faia d’Água Alta, Mogadouro

Cascatas do Rio Poio, Alvão

Cascatas de Fisgas do Ermelo, Mondim de Basto

Cascata Fercha de Barjas, Gerês

Cascata do Poço de Bacalhau, Açores

Cascata do Pego do Inferno, Tavira

Cascata do Laboreiro, Melgaço

Cascata do Arado, Gerês

Cascata de Pitões das Júnias, Montalegre

Cascata da Ribeira Grande, Açores

Cascata da Cabreia, Sever do Vouga

Anúncio

Braga

Praticaram oito roubos na cidade de Braga e deixaram uma vítima nua

Crime

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

São três e praticaram oito assaltos e roubos a pessoas e lojas em Braga. Nuno, de 31 anos, Fernando, de 23, e Fernando Pereira, de 35, todos de Braga e presos preventivamente, vão ser julgados no Tribunal Judicial por roubo e furto, na forma qualificada.

O primeiro roubo ocorreu a 20 de julho de 2019, junto a uma caixa multibanco em São Frutuoso, nos arredores da cidade.

Nuno e Fernando viram uma mulher, Ana Catarina, a fazer operações na caixa ATM e decidiram abordá-la. Fernando ficou no carro, para preparar a fuga, enquanto o Nuno abordou-a pelas costas, agarrando-a pela cintura: “levanta mais!”, intimou, tendo pegado nos 50 euros que tinha na mão, arrancando-os.

No dia seguinte – escreve a acusação do Ministério Público (MP) – os mesmos dois arguidos foram ao minimercado Amoreiras, na Rua Dr. Francisco de Noronha.

O procedimento foi igual: Fernando ficou na viatura e Nuno entrou, dirigindo-se à proprietária, Maria de Fátima que estava perto da caixa registadora: “não tenha medo. Não se assuste”, disse-lhe, agarrando-a pelo pescoço e por um braço, quando Fátima tentou reagir. Ainda assim, ela gritou por socorro e o marido apareceu, o que levou o assaltante a sair a correr, fugindo.

Vítima ficou nua

Nesse dia, na Rua da Fábrica, à noite, os dois criminosos, dirigiram-se a um transeunte, Ricardo Ramalho, e ameaçaram-no com um xis-ato aberto.

Agarraram-no e roubaram-lhe um telemóvel da marca Iphone, que valia 700 euros, um outro telemóvel, avaliado em 370, 40 euros em dinheiro e um maço de tabaco.

De seguida, na mesma rua, assaltaram um carro levando os documentos e outros objetos, tudo avaliado em 80 euros.

Nessa altura, os gatunos notaram que a vítima anterior, Ricardo, os seguia ao longe. Foram atrás dele, deram-lhe três bofetadas e levaram-no a uma casa de banho pública onde o despiram, deixando-o nu.

Pouco depois, introduziram-se num táxi da firma Jolece, Lda, de onde retiraram um tablet, um telemóvel, uma impressora portátil e uma nota de dez euros. Produto do furto: 1.520 euros.

A 21 de novembro, Nuno acercou-se de uma mulher, Cláudia Macedo, e arrancou-lhe a carteira com um esticão. Ficou com 20 euros, e objetos que estavam numa bolsa.

Nessa noite, pelas 02:50, Fernando e Nuno foram para junto do Hotel Burgos, na Rua D. Afonso Henriques. Fernando dirigiu-se ao rececionista e pediu-lhe dinheiro porque precisava de chamar um táxi. Levou uma nega, mas aproveitou para ver se haveria algo fácil de roubar.

Voltou a entrar, encapuzado e gritou: “isto é um assalto, não queiras problemas”. Levou dois telemóveis, uma bolsa e dez euros, tudo no valor de 600 euros.

“Queres morrer”?

Um mês depois, em dezembro, Nuno entrou no Cabeleireiro Hasbel, na Rua Fotógrafo Arcelino e gritou, dirigindo-se à proprietária: “isto é um assalto. O dinheiro todo já”.

A vítima tentou fugir, saindo, mas ele agarrou-a, puxou-a para dentro, encostou-lhe uma faca ao pescoço e perguntou: “Queres morrer?”. Ato contínuo, roubou-lhe 500 euros e dois telemóveis, obtendo assim 1.800 euros.

O MP acusou Nuno Miguel Loureiro de sete crimes de roubo e furto qualificado, Fernando Costa de três de roubo qualificado e dois de furto e Fernando Pereira de um crime de roubo.

Continuar a ler

Braga

Desentendimento entre irmãos acaba no posto da GNR em Terras de Bouro

Agressões

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Dois homens estiveram envolvidos em agressões ao final da noite desta sexta-feira, em Terras de Bouro, resultando no transporte de um deles para o hospital.

Ao que apurámos, os dois indivíduos, irmãos que residem na mesma casa, desentenderam-se, acabando por se gerar um conflito que terminou em agressões.

Militares da GNR em Terras de Bouro foram chamados ao local, na rua de Corredoura, em Moimenta, acabando por levar os dois envolvidos para o posto.

Por um dos envolvidos apresentar alguns ferimentos, acabou por ser solicitada a presença dos Bombeiros de Terras de Bouro, com uma ambulância.

O homem, cuja idade não foi possível apurar, foi transportado para o Hospital de Braga, considerado ferido ligeiro.

A GNR registou a ocorrência, mas ninguém terá sido detido.

Continuar a ler

Guimarães

Está a nascer uma nova cidade no coração de Guimarães

Um polo universitário, uma superfície comercial, novos arruamentos e várias áreas residenciais

em

Foto: Rui Dias / O MINHO

Está a nascer uma nova cidade no coração de Guimarães. Um polo universitário, uma superfície comercial, novos arruamentos e várias áreas residenciais.

Depois de demolidas as fábricas já é possível ver a extensão do terreno onde vai acontecer a maior expansão da cidade de Guimarães nos últimos 20 anos.

Foto: Rui Dias / O MINHO

Foto: Rui Dias / O MINHO

Nas palavras do vereador do Urbanismo, Seara de Sá, trata-se de uma “revolução tranquila”, que irá modificar todo o quarteirão. Tranquila porque é uma operação que se poderá estender ao longo dos próximos dez anos.

Esta operação urbanística surge na sequência de dois pedidos de informação prévia à Câmara de Guimarães, um relacionado com a instalação de uma grande superfície comercial e outro para um projeto de urbanização.

Área de intervenção. Foto: Google Maps

“Definiu-se, nos dois processos que decorreram praticamente em paralelo, que a consolidação e a aceitação de uma superfície comercial média implicaria a abertura de vias para que o projeto fosse o menos intrusivo possível”, justificou Seara de Sá.

Os terrenos serão sucessivamente transformados em terrenos urbanos, através de loteamentos que darão origem a uma nova área urbana.

Foto: Rui Dias / O MINHO

Foto: Rui Dias / O MINHO

Foto: Rui Dias / O MINHO

Novos arruamentos

A meio da avenida Afonso Henriques, próximo do Centro Cultural Vila Flor, “será aberta uma nova via que ligará à rua Colégio Militar”, explicou o presidente da Câmara, Domingos Bragança.

Uma segunda artéria parte da rua Eduardo Almeida, junto ao Hotel de Guimarães e desce até à rua da Caldeiroa. Há medida que os terrenos forem sendo urbanizados nascerão outras ruas.

Foto: Rui Dias / O MINHO

No âmbito do acordo com o promotor imobiliário, a Câmara ficará com a antiga fábrica do Arquinho avaliada em 1,5 milhões, como compensação pelas taxas de urbanização. Os arruamentos serão também da responsabilidade do promotor imobiliário.

O edifício da fábrica será preservado e servirá para expandir o campus de Couros da UMinho. Segundo Domingos Bragança, há forte possibilidade de ali se vir a instalar o curso de Engenharia Aeroespacial da Escola de Engenharia da UMinho.

Foto: Rui Dias / O MINHO

Fábrica do Arquinho. Foto: Google Maps

“É uma área promissora e a Fábrica do Arquinho poderá ser a localização para essa futura escola”, referiu Domingos Bragança.

Naquela zona poderá também instalar-se uma extensão da plataforma Fibernamics, dedicada à investigação de novos materiais.

Num futuro próximo o muro que acompanha grande parte da lateral da avenida Afonso Henriques, bem como do lado oposto do quarteirão, na rua Colégio Militar, vai desaparecer para dar lugar a uma nova cidade, no coração de Guimarães.

Continuar a ler

Populares