Seguir o O MINHO

Barcelos

Casal de Barcelos condenado por dez assaltos que renderam 33 mil euros

Objetos furtados, valendo 33 mil euros, eram trocados por drogas ou numa ourivesaria

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Fizeram dez assaltos a casas ou lojas na zona de Barcelos, de onde furtaram objetos valendo 33 mil euros. O Tribunal de Braga condenou o casal, ele a oito anos de prisão efetiva, ela a dois anos e dez meses, mas com a pena suspensa.


Diogo Alexandre Coelho, de 28 anos e a companheira, Marta Rodrigues, de 25, ambos de Barcelos e ambos toxicodependentes, atuavam em conjunto, ele a penetrar nas residências ou lojas, ela a vigiar e a ajudar.

O primeiro assalto ocorreu em julho de 2016, e foi feito a uma casa na rua Dr. José Gualberto Sá Carneiro, em Barcelinhos. O Diogo trepou à varanda, entrou pela janela e levou uma televisão, três discos externos de computador, uma máquina fotográfica, um edredon e jóias, brincos, pulseiras e anéis. Ao todo, valiam cerca de dois mil euros.

No mesmo dia, foi ao restaurante Bolívar, em Barcelos, entrou pelo mesmo método, e levou um computador, 50 euros em notas, dezenas de maços de tabaco e 280 euros em moedas. Ao todo, 1.928 euros.

Em 22 de junho, o Diogo rebentou o fecho da janela da loja I wish, de aparelhos de som, na mesma cidade, e levou três auscultadores,três colunas, vários cartões de memória, e 295 euros da caixa registadora. O rombo atingiu os 1908 euros.

Em 17 de julho, o casal foi a Feitos, no mesmo concelho e estacionou o carro perto de uma moradia na rua de S. Mamede. Ela ficou na viatura, de vigia, e ele saltou o muro, entrando pela janela da garagem.

Depois de remexer em tudo, encontrou um saco com 10.800 euros em notas, e uma bolsa com mais 200 euros. Saiu e além de usar o dinheiro para comprar droga, adquiriu um Volkswagen que pôs em nome dela.

Ouro de uma tia

Em agosto, um amigo disse ao Diogo, em pé de conversa, que tinha uma tia que guardava ouro em casa.

Dias depois, pelas 17 horas, foi à Rua de S. Pedro, na freguesia de Vila Frescainha, pulou o muro e penetrou no interior pela janela da cave.

Aí, topou várias peças de ourivesaria, um computador portátil, 300 euros em dinheiro e um telemóvel Samsung. Tudo avaliado em 9.680 euros.

Logo a seguir, viajaram até ao bairro Pinheiro Torres, no Porto, onde venderam algumas peças em ouro.

O mesmo fizeram, no dia seguinte, na ourivesaria Pitães, em Braga, onde a GNR veio a encontrar uma pequena barra e uma libra esterlina,ambas de ouro, que valiam 525 euros.

Bicicleta furtada e trocada por coca e heroína

Em 24 de agosto, fizeram uma outra vivenda em Areias de Vilar. O Diogo encontrou, na garagem, uma bicicleta que custara 600 euros. Levou-a e foi vendê-la ao bairro do Picoto, em Braga, ou melhor trocou-a por dez bases de cocaína e duas de heroína. De seguida, e neste mesmo mês, foi apanhado a guiar sem carta.

O trajeto de furtos continuou em setembro numa moradia em Tamel S. Veríssimo de onde desapareceram um telemóvel iPhone, um iPod, peças de ourivesaria e outros artigos. Avaliados em 897 euros.

A próxima vítima, a 08 de setembro, foi uma outra casa em Tamel S. Veríssimo, onde o assaltante encontrou peças de ourives, valendo cinco mil euros.

Foi trocar parte delas à Ourivesaria Pitães, em Braga, onde lhe deram 1.700 euros, tendo trocado uma outra parte por droga, 40 bases de cocaína e dez de heroína.

Dois dias depois, foi a estabelecimento de mediação de seguros, sito na Rua Manuel António Faria, na Ucha, em Barcelos. Aí levou várias pen’s, um computador e 70 euros. Furto calculado em 1.255 euros.

O acórdão que o condenou salienta o facto de que o Diogo tinha já 17 condenações, em Barcelos, Braga e Famalicão, por condução sem carta, furto qualificado, recetação e tráfico de menor gravidade.

A Marta tinha, apenas, três condenações. No caso desta arguida, o Tribunal condenou-a, ainda, a pagar 700 euros de multa e a entregar 600 euros ao Centro de Solidariedade Social de S. Veríssimo.

Para não ir para a cadeia, terá, ainda, de se submeter a um plano de reinserção social, que a obriga a abster-se de consumir drogas e de frequentar locais onde esta se vende.

Anúncio

Barcelos

Barcelos já tem dois abrigos para gatos abandonados

em

Abrigo para gatos. Foto: Divulgação / CM Barcelos

São dois os novos abrigos criados para acolher os gatos abandonados no concelho de Barcelos, com o objetivo de controlar esta população e garantir o bem-estar animal, anunciou hoje a autarquia.

Esta medida serve para facilitar a captura dos gatos para esterilização e integra a política do município de controlo das colónias de gatos existentes.

Faz parte do acordo de colaboração entre o Município de Barcelos e a Strettdogs – Associação de Proteção Animal.

O acordo prevê que o Município de Barcelos cumpra os objetivos de aplicação de um programa de esterilização para animais errantes, de programas de captura, esterilização e devolução de gatos silvestres e assilvestrados aos locais de origem, vulgarmente designados por Programas CED (capturar, esterilizar e devolver), e, desta forma, controlar as colónias de gatos e reduzir a população felina silvestre, através de um método ético e eficaz.

Assim, na passada sexta-feira, 11 de julho, o Município inaugurou dois abrigos para colónias de gatos, um projeto-piloto integrado na estratégia de controlo de gatos errantes, que vão permitir alimentá-los com qualidade e executar a política de controlo através das medidas sanitárias, para que esta população não cresça desmesuradamente.

Estes abrigos situam-se em áreas devidamente especificadas e que não ponham em causa a salubridade, a saúde pública e a segurança de pessoas, animais e bens.

Cada colónia terá um conjunto de responsáveis, que irão zelar pela qualidade do bem-estar animal. O primeiro abrigo situa-se na EMEC e tem como responsável a cuidadora Emília Gonçalves; o segundo abrigo situa-se na Rua Silva Vieira (Quinta do Aparício) e tem como responsável o cuidador João Pedro Ferreira, ambos voluntários na Streetdogs.

Em resultado da parceria entre o Município de Barcelos e a Streetdogs, até 30 de julho, foram esterilizados 166 gatos adultos, retirados de colónias e encaminhados para adoção cinco gatos adultos e vinte e um gatos bebés.

Continuar a ler

Barcelos

Freguesia de Barcelos volta a manifestar-se contra Linha de Muito Alta Tensão

Protesto

em

Foto: DR / Arquivo

A freguesia de Perelhal em Barcelos não desiste da luta contra a Linha de Muito Alta Tensão (LMAT) e está marcada uma nova manifestação para domingo.

O movimento “Perelhal diz não à Linha de Muito Alta Tensão” está a convocar o protesto para as 09:00 do próximo domingo, com concentração marcada para o Largo do Alívio, zona central da freguesia.

A manifestação consistirá numa marcha lenta, estando o movimento a apelar à participação das pessoas em tratores, motas e bicicletas.

Perelhal é atravessada pela Estrada Nacional 103-1, que liga Barcelos a Esposende, podendo, assim, haver constrangimentos no trânsito.

Linha de muito alta tensão entre Ponte de Lima, Barcelos e Famalicão já está em construção

“A ideia será fazer um percurso pelas ruas internas da freguesia e com travessias na EN 103”, adiantou a O MINHO Fernando Miranda, presidente da Junta, que apoia o movimento de cidadãos que está contra a passagem da LMAT na freguesia.

“Como não pode haver ajuntamentos de pessoas, [o protesto] terá que ser com viaturas”, acrescenta o autarca.
Perelhal não aceita o traçado que o governo definiu para a LMAT, por estar muito próximo das habitações.

A Junta de Freguesia fez uma proposta de alteração que foi entregue ao governo pela Câmara de Barcelos.

Barcelos perde nova batalha judicial para travar linha de muito alta tensão

“Aguardamos resposta do governo, mas independentemente disso vamos manifestar-nos para perceberem que não estamos parados na defesa desta causa”, sublinha Fernando Miranda.

Relativamente à proposta apresentada ao governo, o presidente da Junta não especifica por onde passaria a linha, mas explica que “consiste em desviá-la totalmente dos aglomerados habitacionais, passando onde não provoque nenhum impacto junto de habitações”.

A LMAT já começou a ser instalada no concelho de Barcelos, mas em Perelhal “ainda não chegou”.

Freguesia em Barcelos com 48% de votos nulos contra alta tensão

“Os terrenos em Perelhal [onde está prevista a instalação das torres] não estão nenhuns vendidos ainda”, afirma o autarca, que espera o “máximo de pessoas” na manifestação.

Nas últimas eleições legislativas, decorreu em Perelhal um apelo ao voto nulo, em forma de protesto contra a LMAT,

Acabaram por se registar 479 votos nulos, equivalentes a 48,68%.

Continuar a ler

Barcelos

Ferido grave em colisão entre dois carros e uma mota em Barcelos

Acidente

em

Foto: Ilustrativa

Um ferido grave é o resultado de uma colisão entre dois automóveis e uma mota, na manhã desta terça-feira, na Estrada Nacional 206, em Negreiros, no concelho de Barcelos.

A vítima, um homem com cerca de 60 anos, foi transportada para o Hospital de Braga, apurou O MINHO junto de fontes dos bombeiros e do CDOS de Braga.

O alerta para o acidente foi dado às 8:43.

Os Bombeiros de Viatodos prestaram socorro com três viaturas e sete operacionais e a Cruz Vermelha de Macieira de Rates com um veículo e três elementos.

O socorro teve o apoio da VMER de Barcelos.

A GNR registou a ocorrência.

Notícia atualizada às 10h00.

Continuar a ler

Populares