Seguir o O MINHO

Guimarães

Casa, comida e emprego. Grupo no Facebook muda a vida a sem-abrigo de Guimarães

em

Imagem do grupo "Vamos ajudar o Sr. António". DR

Um grupo, com cerca de três mil pessoas, juntou-se na rede social Facebook para ajudar um sem-abrigo em Guimarães, tendo já oferecido uma casa ao homem de 42 anos. A história, com um final feliz, foi contada já há três semanas pelo jornal digital Duas Caras, de Guimarães, e recuperada, esta semana, pelo Jornal de Notícias (JN).

Descrição do grupo “Vamos ajudar o Sr. António”, no Facebook. DR

Além da casa, onde António já está a viver, o grupo “Vamos ajudar o senhor António” disponibilizou-se para arranjar comida, roupa, eletrodomésticos, renovar-lhe a carta de condução, tratar-lhe dos dentes e encontrar-lhe emprego.

António trabalha agora à experiência numa empresa. O ponto alto dos acontecimentos das últimas semanas – ter conseguido emprego -, surgiu depois de Maria João Lopes, de 22 anos, ter visto o homem abandonado nas ruas de Guimarães.

“Não era um sem-abrigo com estamos habituados a ver. Não tinha sinais de dependência de álcool nem drogas, aceitava o que lhe dava”, contou Maria ao JN.

Maria João e Ana Magalhães são as administradoras do grupo no Facebook.

“Foi tudo muito rápido, não estava à espera”, contou Ana Magalhães, de 26 anos, ao JN, recordando que nos primeiros dias, uma clínica dentária ofereceu-se para o tratamento dos dentes, uma escola de condução renovou-lhe a carta gratuitamente e alugaram uma casa por uma renda de 100 euros mensais, paga com a ajuda dos donativos do Facebook.

António, que estava há dois anos a viver na rua, vivia com o pouco que aceitava de quem passava por ele. O homem foi alvo de um despedimento complexo que ainda se arrasta em tribunal.

 

Notícia atualizada às 17h19. Correção: erradamente O MINHO escreveu que as promotoras do grupo começaram por colocar uma lata num centro comercial, o que não corresponde à verdade. 

Anúncio

Guimarães

Guimarães recorda D. Afonso Henriques no 834.º aniversário da sua morte

Na sexta-feira

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Grã Ordem Afonsina vai assinalar na sexta-feira o 834.º aniversário da morte de D. Afonso Henriques, “um símbolo identitário da cidade que serviu de berço ao Fundador da Nação Portuguesa”, anunciou hoje a instituição.

As solenidades iniciam-se às 16:00 com a inauguração da sede social da Grã Ordem Afonsina, no edifício do Mercado Municipal de Guimarães, seguindo-se uma palestra sobre a vida e obra de Afonso Henriques, pelo orador António José Oliveira, na Sala Dr. Emídio Guerreiro, Edifício da Sociedade Martins Sarmento.

As celebrações terminam às 19:00, com uma eucarística com a participação do Chorus Anima Populi e do organista Nuno Mimoso, na Igreja de Nossa Senhora da Oliveira.

“Guimarães tem a obrigação de honrar a memória de Afonso Henriques, na medida em que ele é, não só um símbolo identitário desta cidade que lhe serviu de berço, mas também o Fundador da Nação Portuguesa e a pedra angular da construção da grande pátria lusófona”, justifica a Grã Ordem Afonsina.

Continuar a ler

Guimarães

Ossadas humanas descobertas em Vila Real podem ser de camionista de Guimarães desaparecido

Descoberta em zona de mato ardido

em

Foto: DR

A Polícia Judiciária (PJ) de Vila Real foi, esta quinta-feira, chamada para investigar o aparecimento de ossadas humanas na zona de Casas da Estrada, no concelho de Alijó, disse fonte da GNR.

Segundo a fonte, as ossadas foram encontradas por um popular numa área atingida por um incêndio, neste verão, e a “cerca de um quilómetro” da Autoestrada 4 (A4).

A Polícia Judiciária foi chamada ao local para investigar.

Em fevereiro, naquela zona da A4, localizada entre os nós do Pópulo e de Murça, perto de uma das saídas de emergência, desapareceu um camionista de 45 anos após um acidente com um camião.

Na altura, a GNR informou que quando os militares chegaram ao local encontraram o camião tombado na autoestrada, sem, no entanto, encontrarem indícios do condutor.

Aquela força policial disse que, de acordo com testemunhas e as câmaras de videovigilância da A4, o homem saiu da autoestrada perto do local do acidente.

A GNR efetuou buscas nas imediações e nas aldeias próximas, com recurso a cães, e a militares do comando de Vila Real e do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS).

A queixa pelo desaparecimento do condutor foi formalizada por familiares, em Guimarães, de onde é natural.

Continuar a ler

Guimarães

Guimarães oferece pinheiros para o Natal

Provenientes de desramas controladas

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Câmara de Guimarães volta a oferecer pinheiros, provenientes de desrama, para os munícipes que optem por uma árvore de Natal natural, anunciou esta terça-feira a autarquia.

As árvores podem ser recolhidas no horto municipal, situado no lugar de Monchique, freguesia de Costa, Guimarãeas, entre as 08:00 e as 12:00 / 13:00 e as 16:00, nos dias da semana.

Em comunicado, o município esclarece que estas árvores, gratuitas, são “resultado de desramas e desbastes efetuados nas matas controladas, como medida de gestão dos povoamentos florestais, contribuindo para evitar o abate indiscriminado e mutiladores de árvores jovens, que põem em causa o equilíbrio do ecossistema florestal”.

O abate é feito em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, e, de acordo com a mesma nota, foi feito “de acordo com as regulamentações técnicas e resultam de várias operações de silvicultura preventivamente realizadas, com o objetivo de satisfazer as necessidades do mercado e, ao mesmo tempo, promover a utilização racional da floresta vimaranense”.

Continuar a ler

Populares