Seguir o O MINHO

Braga

Carro destruído pelas chamas em Vieira do Minho

em

Foto cedida por Eduardo Ferreira (Rio Longo e Notícias)

Uma viatura ligeira de marca Mercedes ficou destruída depois de um incêndio rodoviário ter deflagrado na zona do motor, esta tarde de quinta-feira, em Vieira do Minho.

Ao que apurou O MINHO, a condutora, de 43 anos e residente naquele concelho, conseguiu sair a tempo da viatura não sofrendo ferimentos, mas a viatura acabou por ser consumida pelas chamas.

Foto cedida por Eduardo Ferreira (Rio Longo e Notícias)

Foto cedida por Eduardo Ferreira (Rio Longo e Notícias)

O alerta foi dado para a freguesia de Mosteiro, pelas 19:28, tendo mobilizado uma equipa dos Bombeiros Voluntários de Vieira do Minho.

A GNR registou a ocorrência.

Anúncio

Braga

Funcionários de empresa de Braga acusam Câmara de Valongo de “incumprimento da lei”

Parque VE

em

Estacionamento. Foto: O MINHO (Arquivo)

Os seis funcionários que o Tribunal Judicial do Porto (TJP) mandou serem integrados pela Câmara de Valongo na sequência do resgate da concessão de estacionamento acusaram, nesta sexta-feira, a autarquia de incumprimento da lei ao não aceitar a integração.

Em comunicado, os seis funcionários da Parque VE, com sede em Braga, afetos à concessão reagiram em comunicado à recusa da autarquia liderada pelo socialista José Manuel Ribeiro citando a decisão do TJP que considerou “ilícito o despedimento dos trabalhadores”.

Contactada pela agência Lusa, a Câmara de Valongo, no distrito do Porto, disse em 12 de novembro, “estranhar” a decisão do tribunal, considerando que esta “contraria o princípio da igualdade definido na Constituição e na Lei, que faz depender o acesso à função pública de concurso público”, e avançou que vai recorrer.

Em comunicado datado de 13 de novembro, mas apenas hoje enviado à Lusa, os funcionários dizem ter-se apresentado naquela data na câmara, mas que “foram surpreendidos com a recusa do município em acatar a decisão judicial”, situação que dizem “não esperar de um executivo liderado pelo PS”.

Afirmando-se numa “situação desesperada” e sem “receber qualquer retribuição desde 28 de agosto de 2019, data em que operou a decisão de resgate por parte do município”, dizem-se “privados do mínimo de subsistência para o seu sustento e das suas famílias”.

O facto de “não estarem equiparados a agentes da autoridade pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária não é motivo para incumprimento da decisão judicial”, argumentam os signatários do comunicado, considerando reunir condições “para exercer as funções que mantinham na Parque VE”.

Acusando o executivo de “confundir a emissão de autos de notícia para instauração de processos de contraordenação com as cobranças dos valores de estacionamento previsto no regulamento”, afirmam-se “alheios” a esta situação.

A sentença surgiu no âmbito de um processo que teve início com a decisão da Câmara de Valongo de resgatar as concessões de estacionamento à superfície na sede do concelho e na cidade de Ermesinde, as quais estavam atribuídas à empresa Parques VE, SA, com sede em Braga.

O executivo municipal aprovou esta medida por unanimidade em 03 de janeiro, uma decisão que foi ratificada em 13 de junho, também por unanimidade, na Assembleia Municipal de Valongo.

A empresa Parque VE acusou em 24 de setembro a Câmara de Valongo de deixar no desemprego vários trabalhadores ao resgatar a concessão do estacionamento, com a autarquia a responder não ser responsável pelos funcionários.

Antes, em 02 de setembro, o município anunciou que tinha estabelecido um prazo de cinco dias à empresa Parques VE para a entrega dos equipamentos e bens afetos à concessão de estacionamento resgatada.

A Lusa tentou obter uma reação da autarquia, mas até ao momento não foi possível.

Continuar a ler

Braga

Braga: Bombeiros ensinam técnicas a idosos que podem salvar a vida no dia a dia

Formação no quartel dos Bombeiros Sapadores de Braga

em

Foto cedida a O MINHO

Um grupo de pessoas, com mais de 60 anos, esteve no quartel da Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga (BSB) para uma formação de conhecimentos e técnicas de suporte básico de vida.

Em nota enviada a O MINHO, a companhia refere que esta formação é bastante útil “no dia a dia dos seniores”, explicando que a visita ao quartel se realiza com periodicidade mensal e está inserida na VI edição do “Ciclo do Conhecimento”, um projeto que visa combater o isolamento e prolongar a qualidade de vida da população idosa do concelho de Braga.

O objetivo destas sessões passa por uma “resposta social do município de Braga que visa criar e dinamizar regularmente atividades culturais, educacionais e de convívio num contexto de formação ao longo da vida, em regime não formal”.

Este ano o projeto abrange uma oferta formativa alargada, com o ensino de inglês, de tecnologias da informação e comunicação (TIC), de história de Braga, de filosofia para a vida e de língua portuguesa.

Esta edição traz algumas novidades formativas, nomeadamente as danças de salão, saúde e bem-estar (onde se inclui a formação em suporte básico de vida), matemática da vida e ginástica da mente.

Continuar a ler

Braga

Inauguração das luzes de Natal em Braga com concertos, dança e árvore de 16 metros

A 30 de novembro

em

Foto: Divulgação / CM Braga (2018)

Concertos e um espetáculo de dança marcam a inauguração das luzes de Natal em Braga, anunciou esta sexta-feira a autarquia. O dia escolhido para o arranque do Natal em Braga é o 30 de novembro, como já havia avançado, em exclusivo, O MINHO.

Em comunicado, a Câmara de Braga revela que a árvore de Natal terá 16 metros de altura e “promete surpreender os bracarenses e os milhares de visitantes que passam pela cidade”.

“À volta da árvore será colocado um presépio e nos jardins laterais estarão os reis magos. Para além do edifício conhecido como Arcada, na Praça da República, também na Rua do Souto haverá animação com luz e som”, sublinha a mesma nota.

Este ano, a animação percorre as principais ruas do centro histórico logo ao início da tarde, com espetáculos de dança e música. Os “Soldadinhos de Chumbo” do Grupo de Percussão da Equipa ESPIRAL dão o mote para o início das celebrações, percorrendo as ruas do centro urbano.

Na Avenida Central, estará situado o palco “Braga é Natal”, onde decorre o espetáculo de dança “The Christmas Broadway Ladies”, pela Companhia Backstage, ao início da tarde.

De seguida, realizam-se dois concertos: Voz Luminis, do Conservatório Bonfim, e o “Canto Lírico visita o Natal”, pelo grupo Ópera de Bolso.

Às 17:00, é inaugurada a iluminação de Natal, com milhares de luzes nas ruas, praças, avenidas do centro histórico, nas rotundas de todo o concelho e, este ano, como novidade, também na Avenida 31 de janeiro e na fachada do edifício Turismo.

O Monte Picoto volta a albergar uma estrela de Natal em tamanho gigante, para “iluminar a cidade”.

As festividades do dia 30 encerram com a atuação de um DJ convidado.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares