Seguir o O MINHO

Braga

Carminho abre 2019 do Altice FORUM em Braga

“Maria” é o seu mais recente disco

em

O Altice FORUM Braga inicia a programação de 2019, com a voz de Carminho, no próximo sábado, às 21:30.

Carminho é uma das grandes vozes do fado e uma das artistas portuguesas com maior projeção internacional de sempre.

Depois da digressão mundial dos discos “Canto” e “Carminho canta Tom Jobim”, levando o talento, a voz e o fado aos quatro cantos do mundo, apresenta-se em Braga com o seu mais recente álbum, “Maria”.

Carminho, além de assinar quatro das 12 canções do disco, de assegurar a música de outra e a letra de mais duas, também toca guitarra eléctrica em “Estrela”.

A primeira amostra de Maria é “O Menino e a Cidade”, que conta com letra e música de Joana Espadinha.

Os bilhetes estão à venda nos locais habituais e os preços oscilam entre os 20 e os 25 euros.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Braga

Ministro Vieira da Silva está, hoje, na UMinho para discutir o Rendimento Básico Incondicional

Conferência mundial sobre o tema decorre de 24 a 26 de janeiro

em

Foto: Divulgação

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José Vieira da Silva, está na Universidade do Minho esta quinta-feira, dia 24, para debater a possibilidade do Rendimento Básico Incondicional (RBI), uma prestação atribuída a todos os cidadãos, independentemente da idade, da condição profissional e da riqueza.

A sua intervenção realiza-se às 11h30, no auditório da Escola de Direito (EDUM), no campus de Gualtar, em Braga, no âmbito da conferência internacional “Rendimento Básico: uma ferramenta para uma Europa Social?”. O evento junta até sábado, dia 26, representantes da Comissão Europeia, eurodeputados e especialistas de vários países.

A sessão de abertura decorre, às 9h30, com a presença do reitor Rui Vieira de Castro, do presidente do Instituto de Letras e Ciências Humanas, João Cardoso Rosas, e da presidente da EDUM, Clara Calheiros.

Segue-se a intervenção de Philippe Van Parijs, da Universidade Católica de Lovaina (Bélgica), autor do livro recentemente publicado “Basic Income: A Radical Proposal for a Free Society and a Sane Economy”.

Pelas 11h30 está prevista a mesa redonda “RBI e os Desafios Europeus”, que reúne o ministro José Vieira da Silva, Jamie Cooke, da Royal Society for the Encouragement of Arts, Manufactures and Commerce (Reino Unido), e Roberto Merrill, do Centro de Ética, Política e Sociedade (CEPS) da UMinho, entre outros.

A responsável da Unidade para os Sistemas de Proteção na Comissão Europeia, Ana Carla Pereira, fala às 16h15 sobre rendimentos in(condicionais), ao lado de Jurgen de Wispelaere, da Universidade de Tampere (Finlândia), e João Sérgio Ribeiro, da EDUM.

Na sexta-feira, às 14h30, é a vez do embaixador Francisco Seixas da Costa, do vice-presidente da Câmara de Cascais, Miguel Pinto Luz, e da professora Mariana Canotilho, da UMinho, partilharem as suas perspetivas sobre as causas da crise política europeia.

De seguida decorre o painel “Crise económica e o futuro do Europa Social”, com os eurodeputados Sofia Ribeiro e João Pimenta Lopes e o investigador Leonardo Costa, da Universidade Católica Portuguesa.

Esta conferência internacional é organizada pelo CEPS, em parceria com a EDUM, o Centro de Investigação em Justiça e Governação da UMinho, a Associação RBI, a Universidade Católica do Porto, a Universidade do Porto e o Fórum Demos. Conta com o apoio institucional da Secretaria de Estado dos Assuntos Europeus e do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Sobre o Rendimento Básico Incondicional

O Rendimento Básico Incondicional corresponde a uma prestação social atribuída a todos os cidadãos de um Estado, quer trabalhem ou não, quer sejam ricos ou pobres. O tema é cada vez mais relevante no debate em torno de alguns dos principais desafios dos estados sociais modernos.

“O trabalho remunerado já não é um direito para um número crescente de pessoas e é fundamental desenvolver políticas sociais, económicas e financeiras capazes de garantir o direito universal a uma vida digna, nomeadamente através de um RBI”, explica o investigador Roberto Merrill. A medida tem sido testada em vários países do mundo, incluindo a Finlândia, Holanda, Canadá e EUA.

Continuar a ler

Braga

Forum Arte Braga vai apresentar quatro exposições em 2019

Ministra da cultura inaugurou a primeira mostra

em

Foto: Divulgação

A programação de 2019 do Forum Arte Braga, a galeria de arte contemporânea criada em 2018 no Altice Forum Braga já foi apresentada, a primeira exposição foi inaugurada pela Ministra da Cultura, e resulta de uma parceira com o Museu de Arte Contemporânea da Fundação de Serralves.

Segue-se uma exposição do artista austríaco Oliver Laric, uma Coletiva de Jovens Artistas Portugueses e uma quarta e última exposição do artista portuense Jonathan Uliel Saldanha, que vai decorrer até aos primeiros dias de 2020.

“Pela sua diversidade artística, o programa do Forum Arte Braga para 2019 reflecte os objectivos da galeria desde a sua abertura. Um espaço aberto ao mundo e onde cabem todas as formas e expressões artísticas. Um espaço que alarga e engrandece a oferta cultural de Braga, uma cidade bimilenar com um património único”, referiu Ricardo Rio, Presidente do Conselho de Administração da InvestBraga e da Câmara Municipal de Braga.

A primeira exposição, que está patente ao público até 18 de Março, é composta por um conjunto de obras da Secretaria de Estado da Cultura em depósito na Colecção de Serralves “Corpo, Abstração e Linguagem na arte portuguesa”.

A segunda exposição, da autoria do artista austríaco Oliver Laric, vai decorrer entre os dias 29 de Março a 22 de Junho. Estabelecido em Berlim, a prática de Laric embarca em temas sugestivos da cultura pop, media, a relação entre o passado o presente e a globalização. No seu trabalho escultórico, Laric re-imagina esculturas clássicas Gregas e Romanas, produzindo trabalhos em grande escala com recurso a scans e Impressoras 3-D.

Segue-se uma Colectiva de Jovens Artistas Portugueses, de 28 de Junho a 5 de Outubro. Uma exposição que dará corpo a um desejo dos curadores em instigar e activar novos diálogos com as gerações mais jovens de artistas portugueses, dando oportunidade aos demais para uma exposição institucional em solo português.

A última exposição do ano, da autoria do artista portuense Jonathan Uliel Saldanha. O seu trabalho integra som, música, vídeo e gesto.

Como compositor e músico, actuou em vários festivais e salas de espectáculo, em Portugal e no estrangeiro, como são exemplo actuações no Sonar, Primavera Sound, Issue Project Room, Elevate e OUT.FEST.

Recorde-se que o Forum Arte Braga é uma iniciativa da InvestBraga que tem como missão exibir artistas portugueses e internacionais num contexto favorável ao diálogo crítico e à polinização cruzada. O eixo central da programação da galeria é uma preocupação com diferenças regionais e individuais, ao mesmo tempo que promove o cosmopolitismo e a colaboração.

Continuar a ler

Braga

Miguel Gonçalves preside à Escola de Psicologia da UMinho

Tomada de posse é hoje, às 14h30, no campus de Gualtar

em

Foto: UMinho

A nova presidência da Escola de Psicologia (EPsi) da Universidade do Minho toma posse esta quinta-feira, dia 24, às 14h30, no anfiteatro do Centro Multimédia da Escola, no campus de Gualtar, em Braga.

Para o triénio 2019/2022, o professor catedrático Miguel Gonçalves vai ter como vice-presidentes os docentes Ângela Maia, Adriana Sampaio e Pedro Rosário. A cerimónia de investidura conta com o reitor Rui Vieira de Castro.

Miguel Gonçalves licenciou-se em Psicologia na Universidade do Porto e doutorou-se em Psicologia Clínica na UMinho, onde leciona desde 1992.

Na academia minhota, foi vice-presidente da EPsi, diretor do Centro de Investigação em Psicologia, bem como diretor adjunto do Departamento de Psicologia e do Serviço de Consulta Psicológica e Desenvolvimento Humano, sendo atualmente coordenador do programa de doutoramento em Psicologia Aplicada e presidente da Comissão de Ética para a Investigação em Ciências Sociais e Humanas, do Conselho de Ética da UMinho.

No âmbito da sua atividade científica, coordenou vários projetos de investigação, desenvolveu um programa que analisa os processos narrativos que conduzem à mudança em diversos modelos psicoterapêuticos e publicou mais de 100 artigos, capítulos e livros internacionais. O professor catedrático é vice-presidente da International Society for Dialogical Science.

A EPsi é a mais nova das 11 unidades orgânicas de ensino e investigação da UMinho, criada após a extinção do Instituto de Educação e Psicologia em 2009.

Tem dois departamentos – de Psicologia Básica e de Psicologia Aplicada – e o Centro de Investigação em Psicologia, classificado como “Excelente” na recente avaliação promovida pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia e considerado um dos 15 melhores centros de investigação nacionais.

A EPsi conta com 35 docentes e investigadores e cerca de 600 alunos inscritos nos vários cursos. Dispõe ainda do Serviço de Psicologia para a prestação de serviços à comunidade, dentro e fora da universidade, em estreita articulação com os seus projetos de ensino e de investigação.

Continuar a ler

Populares