Seguir o O MINHO

Região

Caravelas-portuguesas (com longos tentáculos) estão a ser avistadas nas praias do Norte

Alerta o IPMA

em

Foto: Divulgação

Estão a ser avistadas caravelas-portuguesas, com tentáculos que podem chegar aos 30 metros de comprimento, em praias do norte e centro de Portugal continental, alertou, esta terça-feira, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

“Muito influenciada por ventos e correntes de superfície, a caravela-portuguesa (physalia physalis) é uma espécie comum na costa portuguesa, incluindo Açores e Madeira. É caracterizada por um flutuador em forma de balão, frequentemente de cor azul ou rosada”,  aponta o IPMA em comunicado.

Segundo o IPMA, esta espécie exige “mais cautela”, devido aos longos tentáculos, que podem chegar aos 30 metros, capazes de provocar fortes queimaduras.

“Deve evitar-se tocar nos organismos, mesmo quando aparentam estar mortos/secos na praia. Em caso de queimadura por contacto com esta espécie, deve ser aplicado vinagre e compressas quentes”, refere.

O programa GelAvista, que monitoriza organismos gelatinosos em Portugal, também tem deixado alertas.

“Ao longo da semana passada foram muitos os registos enviados pelos observadores GelAvista sobre a ocorrência da caravela-portuguesa. Em vários casos verificou-se a ocorrência conjunta da espécie velella velella, que não representa perigo para a saúde humana e que é muitas vezes confundida com a caravela-portuguesa”, explica.

O IPMA apela para qualquer informação sobre avistamento desta ou de outras espécies, de modo a que seja possível “compreender a dinâmica dos organismos gelatinosos” e prevenir situações desagradáveis.

No caso de haver contacto com a caravela-portuguesa

Não esfregar ou coçar a zona atingida para não espalhar o veneno, não usar água doce, álcool ou amónia, não colocar ligaduras, lavar com cuidado com soro fisiológico, retirar com cuidado os tentáculos (caso tenham ficados agarrados à pele) utilizando luvas, uma pinça de plástico e soro fisiológico, aplicar uma camada fina de pomada própria para queimaduras, quando em contacto com as águas vivas, consultar assistência médica o mais rapidamente possível.

Mesmo mortos, organismos são nocivos. Foto: Autoridade Marítima

Os sintomas da picada da caravela-portuguesa são dor forte e sensação de queimadura (calor/ardor) no local e ainda irritação, vermelhidão, inchaço e comichão. Algumas pessoas, especialmente sensíveis às picadas e venenos das caravelas portuguesas, podem ter reações alérgicas graves, como falta de ar, palpitações, cãibras, náuseas, vómitos, febre, desmaios, convulsões, arritmias cardíacas e problemas respiratórios. Nestes casos devem ser encaminhadas de imediato para o serviço de urgência.

A caravela-portuguesa tem o nome científico de Physalia physalis e vive na superfície do mar graças ao seu flutuador cilíndrico, azul-arroxeado, cheio de gás. Os seus tentáculos podem atingir 30 metros e o seu veneno é muito perigoso.

As águas-vivas, também conhecidas como medusas ou alforrecas, são espécies gelatinosas que vivem no mar, na coluna de água ou à superfície, e podem ter diferentes tamanhos, formas e cores. Estas espécies têm tentáculos que podem libertar um líquido, potencialmente urticante e perigoso. Este veneno serve para paralisar pequenos seres, dos quais se alimentam, ou como mecanismo de defesa.

O contacto com uma água-viva pode produzir irritação na pele e até queimaduras ou outras reações graves e prejudiciais.

Anúncio

Braga

Bombeiros e Proteção Civil desobstruem via após derrocada em Braga

Nó de Infias

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Uma equipa dos Bombeiros Sapadores de Braga, com apoio dos serviços da Proteção Civil da câmara local, ainda procedem, pelas 12:30, à desobstrução de um dos acessos à variante de Braga, no conhecido nó de Infias, sentido Infías-Hospital de Braga.

A derrocada ocorreu pouco depois das 09:30 desta manhã de domingo, surpreendendo automobilistas que circulavam naquele nó. Não há feridos.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

A chuva forte e persistente que se tem abatido durante a manhã, não só em Braga, mas um pouco por todo o Minho, tem levado a várias intervenções das autoridades, nomeadamente nos concelhos de Braga, Esposende, Póvoa de Lanhoso e Famalicão.

Atenção, Braga: Derrocada corta um dos acessos à variante no nó de Infias

Em Lamaçães, cidade de Braga, a chuva forte e um alegado entupimento dos colectores de águas pluviais levou a que uma viatura ficasse retida nas águas, levando à intervenção dos Bombeiros Sapadores de Braga.

Família resgatada de carro em estrada atingida por cheias em Braga

O distrito de Braga encontra-se sob aviso amarelo do IPMA até às 15:00 horas deste domingo.

 

Continuar a ler

Braga

Família resgatada de carro em estrada atingida por cheias em Braga

Em Lamaçães

em

Foto: Carlos Costa

Uma família foi resgatada de uma viatura automóvel, esta manhã de domingo, depois de ter ficado parcialmente submersa numa estrada, em Lamaçães, cidade de Braga, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

Foto: Carlos Costa

A ocorrência deu-se na Avenida António Palha, junto ao novo edifício da Mercadona, levando a que vários populares captassem imagens de diversos carros que iam sofrendo para avançar.

Foto: Carlos Costa

No local estiveram os Bombeiros Sapadores de Braga, conseguindo deslocar a viatura para fora da área inundada e retirar as vítimas.

Não há feridos a registar, disse a mesma fonte.

Foto: João Cerqueira

Depois de resgatada a família, os bombeiros sapadores, com apoio da PSP de Braga, procederam à desobstrução dos coletores de águas pluviais, principal causa da inundação registada.Foto: Telma Silva

Foto: Telma Silva

Foto: Telma Silva

A forte chuva que se tem feito sentir durante a noite e manhã deste domingo não tem dado tréguas na cidade existindo vários pedidos de ajuda para com os bombeiros.

Continuar a ler

Braga

Atenção, Braga: Derrocada corta um dos acessos à variante no nó de Infias

Deslizamento de terra

em

Foto: Vera Rocha

Uma derrocada, ao início da manhã deste domingo, levou ao corte de um dos acessos do Nó de Infias, que dá acesso à variante no sentido Infias-Hospital/Braga Parque, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

Sem feridos, a situação levou ao corte daquele acesso levando a que os automobilistas sigam por outras direções.

A mesma fonte indicou que os Bombeiros Sapadores de Braga já se encontram no local para limpeza de via, pelas 11:00.

Continuar a ler

Populares