Seguir o O MINHO

Canoagem

Canoagem: Barros, Lacerda e Maciel podem brilhar em casa nos Mundiais de maratona em Prado

Entre 06 e 09 de setembro.

em

Foto: FP Canoagem (Arquivo)

O canoísta José Ramalho lidera as aspirações portuguesas a uma medalha de ouro nos mundiais de maratonas, que de quinta-feira a domingo juntam cerca de 1.000 competidores de 38 países na Vila de Prado, em Vila Verde, com Nuno Barros, Rui Lacerda e Sérgio Maciel, todos do Alto Minho, a terem também uma boa oportunidade para brilharem em casa.

Portugal é candidato a vários pódios, mas o atual pentacampeão da Europa de K1 é quem mais hipótese tem de fazer ouvir o hino português nas margens na praia fluvial do Faial, no rio Cávado, embora nunca tenha conquistado este cetro.

Seis vezes campeão da Europa, conquistando os últimos cinco cetros consecutivamente, o vila-condense já tem palmarés igualmente interessante em mundiais, tendo sido bronze em 2009, 2014 e 2016 e prata em 2012, faltando-lhe apenas o ouro.

Rui Lacerda. Foto: FP Canoagem (Arquivo)

Rui Lacerda é outro nome a ter em conta, uma vez que já está habituado ao sucesso nas canoas (C1): o atual vice-campeão da Europa tem percurso exemplar enquanto sub-23, pois nesse escalão conseguiu duas medalhas de bronze em Mundiais e dois títulos de campeão europeu.

Ambos do Clube Náutico de Ponte de Lima, Lacerda terá a companhia do experiente Nuno Barros, campeão do Mundo em 2010, sendo ainda bronze em 2014, 2015 e 2016, e a cooperação dos amigos limianos e o bom conhecimento do rio podem facilitar a chegada ao pódio.

Ainda nas canoas, Sérgio Maciel, do Viana Garças Clube, é o vice-campeão do Mundo sub-23, tendo em junho sido bronze europeu: no escalão abaixo, em juniores, e Leonardo Vicente já conhece o sabor de medalhas europeias, desejando agora uma mundial.

Portugal apresenta uma equipa de 35 canoístas, sendo que José Ramalho, Alfredo Faria, Miguel Rodrigues e Joana Marinho Sousa (Clube Náutico de Ponte de Lima) fazem K1 e K2, enquanto Rui Duarte Lacerda, Nuno Barros e Ricardo Coelho competem em C1 e C2.

A Vila de Prado destaca-se por ser o primeiro destino a receber as três maiores provas internacionais de maratonas, os Europeus em 2013, a Taça do Mundo em 2016 e agora o campeonato do Mundo.

A Federação, o Clube Náutico de Prado e a autarquia de Vila Verde uniram esforços numa organização orçada em 300 mil euros.

Programa dos portugueses:

Foto: Facebook de Campeonato do Mundo Canoagem de Maratona 2018 – Vila de Prado

– Quinta-feira, 06 set:

09:00 / K1

Maria Gomes e Ana Silva.

09:05 / C1

Ana Rodrigues e Cláudia Araújo.

11:50 / K1 Sub-23

Nara Varela e Ana Nogueira.

12:00 / C1 juniores

Leonardo Vicente e Luís Varajão.

15:30 / K1 juniores

Tiago Henriques e Bernardo Santos.

– Sexta-feira, 07 set:

09:00 / K2 juniores

Érica Sá/Andreia Azevedo e Bruna Nogueira/Maria Rego.

09:05 / C1 sub-23

Sérgio Maciel e Ricardo Coelho.

11:50 / K2 juniores

Gonçalo Faria/Tiago Barreto e João Silva/Tiago Lopes.

15:30 / K1 sub-23

Miguel Rodrigues e Henrique Cerqueira.

– Domingo, 09 set:

09:00 / C2

Felipe Vieira/Nuno Barros e Rui Duarte Lacerda/Ricardo Coelho.

11:30 / K2

Ana Henriques/Joana Marinho Sousa e Nara Varela/Mariana Barros.

14:30 / K2

José Ramalho/Ricardo Carvalho e Alfredo Faria/Miguel Rodrigues.

Anúncio

Canoagem

Fernando Pimenta é atleta do ano 2019

Gala dos Campeões

em

Foto: DR / Arquivo

Fernando Pimenta é o atleta do ano 2019 para a Federação Portuguesa de Canoagem (FPC), depois de se ter destacado com títulos nacionais, internacionais e o apuramento individual e coletivo para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020, foi hoje anunciado.

Em 2019, o limiano foi campeão do mundo em velocidade, no campeonato disputado na Hungria. Venceu também duas medalhas de bronze, em K1 1.000 metros e K1 5.000 metros, também na mesma competição.

Fernando Pimenta medalha de prata nos II Jogos Europeus

Teve participação de destaque nos Jogos Europeus de Minsk, realizados na Bielorrússia, vencendo a prata em K1 1.000 metros e K1 5.000 metros.

Para além do galardão entregue a Fernando Pimenta, outros premiados serão conhecidos durante a gala, como é o caso da atleta do ano em feminino, a equipa do ano, a promessa do ano e o treinador do ano.

A cerimónia vai contar com João Paulo Rebelo, secretário de Estado da Juventude e Desporto, para além do presidente da Associação Europeia de Canoagem, Albert Woods.

A gala marca ainda uma homenagem aos canoístas portugueses que participaram em campeonatos europeus e mundiais, cerca de 100.

No que diz respeito a equipas, o Clube Náutico de Ponte de Lima, clube mais pontuado a nível nacional, será alvo de homenagem em fundo e velocidade, assim como o Clube Náutico de Prado, na vertente Maratona, e o Darque Kayak Clube, na vertente Slalom Esperanças.

A Gala dos Campeões da FPC decorre no próximo sábado, no Teatro Académico Gil Vicente.

Continuar a ler

Canoagem

Taça Ibérica de slalom este fim de semana em Vila Nova de Cerveira

Centena e meia de canoístas

em

Foto: DR / Arquivo

Uma centena e meia de canoístas em representação de 14 clubes portugueses e espanhóis vão disputar este fim de semana a 11.ª edição da Taça Ibérica de slalom, em Cerveira.

O evento não vai contar com a participação de Antoine Launay, o único canoísta que até agora garantiu, em K1, a vaga nas águas bravas portuguesas para Tóquio2020, pois está a desenvolver um trabalho individual com o técnico nacional, o espanhol Pedro Guerreiro.

O olímpico José Carvalho, nono em C1 no Rio2016, vai ganhar ritmo em Cerveira para os Europeus de maio, em Londres, nos quais vai disputar a única vaga continental ainda em disputa.

O percurso no Rio Coura é constituído por um percurso de 150 metros num plano de água de corrente forte, com obstáculos naturais e portas de grau II e III.

Em simultâneo com o evento, decorre a Taça de Portugal que vai juntar 53 canoístas e 75 embarcações de seis clubes, nomeadamente a Associação Desportiva de Amarante, o Clube Náutico Barquinhense, o Águas Bravas Clube, o Darque Kayak Clube, a AMAS de Vizela e Aventura Marão Clube.

Em 28 e 29 de março vão ter lugar os campeonatos nacionais, em Vizela.

Continuar a ler

Canoagem

Família da canoagem une-se segunda-feira para recuperar CAR de Montemor-o-Velho

Mau tempo

em

cheias Mondego Montemor
Foto: Federação Portuguesa de Canoagem

A limpeza e início da recuperação do Centro de Alto Rendimento (CAR) da canoagem, em Montemor-o-Velho, inundado pelas cheias no Mondego, vai principiar segunda-feira, reunindo a ‘família’ da modalidade.

“A nossa casa, a casa da canoagem, o CAR de Montemor-o-Velho, vai voltar a ser o que era, para receber os nossos atletas e os nossos clubes. Apelo à participação de todos para que a normalidade seja reposta, sem colocar em causa a preparação dos atletas, em ano de Jogos Olímpicos”, refere, em comunicado, o presidente da federação, Vítor Félix.

Será às 10:00 que dirigentes, atletas, treinadores, funcionários, colaboradores, familiares e amigos se vão juntar para iniciar o processo de restabelecimento da normalidade no CAR, submerso pelas águas que chegaram a atingir dois metros dentro do enorme hangar.

A solidariedade estende-se à federação de triatlo que vai unir-se à iniciativa, que conta com o apoio da autarquia, gestora da infraestrutura, bem como dos comités olímpicos e paralímpicos de Portugal e a Fundação do Desporto.

“É nos maus momentos que nos devemos juntar e é nestes momentos que necessitamos do auxílio de todos. O melhor ainda está para vir e não temos dúvida nenhuma que 2020 será um grande ano para a canoagem”, acrescentou o dirigente.

O Centro de Alto Rendimento ficou submerso por uma camada de cerca de dois metros de água, estando ainda a ser avaliados os prejuízos materiais para a federação de canoagem – sobretudo com o ginásio e caiaques – e autarquia.

A canoagem é a modalidade lusa com mais qualificados para Tóquio2020, com seis na pista e um no slalom, nomeadamente Fernando Pimenta, Emanuel Silva, João Ribeiro, Messias Baptista, David Varela e Teresa Portela, bem como Antoine Launay nas águas bravas.

Em maio, na Alemanha, na fase de apuramento continental, a seleção vai procurar acrescentar vagas em K1 e K2 500 femininos, K1 200 e C1 2000 masculinos, além de tentar voltar a levar José Carvalho à prova olímpica de C1 no slalom, na qual foi nono no Rio2016.

Fernando Pimenta e Emanuel Silva conquistaram o único pódio da canoagem portuguesa em Jogos Olímpicos, com a prata em K2 1000 em Londres2012.

Continuar a ler

Populares