Seguir o O MINHO

Braga

Candidato do PS a Braga quer transportes públicos gratuitos e partilhados com o Quadrilátero

Eleições autárquicas

em

Foto: DR

Transportes públicos gratuitos para todos os residentes e estudantes são a principal bandeira do cabeça de lista do PS à Câmara de Braga, Hugo Pires, que aponta a medida como “fundamental” para resolver o problema da mobilidade no concelho.

Paralelamente, Hugo Pires defende uma “gestão partilhada” dos transportes públicos ao nível do Quadrilátero Urbano (associação que reúne os municípios de Braga, Guimarães, Vila Nova de Famalicão e Barcelos).

“Com transportes públicos gratuitos, haverá certamente menos recurso ao automóvel, resolvendo-se assim, em grande parte, o problema do trânsito e contribuindo-se para a competitividade do território, a descarbonização e uma melhor qualidade do ar”, diz, em declarações à Lusa.

Por outro lado, refere, não faz sentido haver “fronteiras estanques” entre os quatro concelhos do Quadrilátero Urbano, um território com 700 mil habitantes.

“Um autocarro de Braga chega a Cabreiros e volta para trás porquê? Por que não segue até Barcelos? Um habitante de Braga que trabalhe na Continental Mabor, em Famalicão, tem de ir de carro porquê? Penso que faz todo o sentido haver uma gestão partilhada dos transportes ao nível do Quadrilátero, que poderá também ser estendida aos concelhos de Vila Verde e Amares”, defende.

Uma variante entre o E.Leclerc e o centro comercial Nova Arcada é outras das medidas preconizada para resolver o problema do trânsito em Braga.

Arquiteto de 42 anos, admirador de Mário Soares, Hugo Pires é deputado na Assembleia da República desde 2005, tendo sido vereador na Câmara de Braga entre 2009 e 2013, no último mandato de Mesquita Machado.

A sua escolha para candidato esteve envolvida em polémica, uma vez que o atual presidente da concelhia, Artur Feio, também se tinha disponibilizado para a corrida, mas acabou por vingar a decisão dos órgãos nacionais do partido.

O candidato põe ainda na lista das principais preocupações a habitação, defendendo programas públicos de renda acessível, face ao “preço proibitivo” das casas em Braga.

Diz ainda ser necessário rever o Plano Diretor Municipal para devolver a capacidade construtiva retirada a muitos terrenos nas aldeias por todo o concelho na mais recente revisão daquele documento: “Isso obrigou muita gente a sair das aldeias e a ir procurar casa nas freguesias periurbanas, onde os preços são proibitivos”, refere.

Hugo Pires quer ainda construir mais creches no concelho, para que seja possível conciliar a vida profissional com a vida familiar. As contas ainda não estão fechadas, mas o candidato considera que deverão ser necessários entre 80 e 100 novos lugares em creche.

Atualmente, a Câmara de Braga é constituída por sete eleitos da coligação PSD/CDS-PP/PPM, três do PS e um da CDU.

“Sabemos que a diferença é muito grande, que partimos muito atrás, mas a verdade é que muita gente que votou Ricardo Rio está, nesta altura, desiludida. E o PS tem de ser capaz de mostrar que tem um projeto de mudança credível, consistente, sólido e com contas certas”, diz.

A Câmara de Braga foi durante 37 anos comandada pelo socialista Mesquita Machado, mas está desde 2013 nas mãos de Ricardo Rio, eleito pela coligação PSD/CDS-PP/PPM, que este ano vai incluir também o Aliança.

As autárquicas ainda não têm data, mas por lei decorrem entre 22 de setembro e 14 de outubro.

Populares