Seguir o O MINHO

Desporto

Campeonatos de Atletismo com muitas ausências e uma grande marca de Tiago Pereira

Atletismo

em

Foto: Ilustrativa / DR

O atleta Tiago Pereira, do Sporting, aproveitou hoje da melhor forma a ausência dos favoritos Pedro Pichardo e Nelson Évora para se sagrar campeão de Portugal do triplo salto, com a excelente marca de 16,94 metros.


Várias ausências de atletas de topo acabaram por marcar uma jornada de atletismo ‘atípica’, motivada pela pandemia de covid-19, com os resultados obtidos em cinco pistas a serem cruzados para se obter uma classificação nacional global.

A maior parte dos atletas competiu em Lisboa, mas também houve provas em Braga, Madeira, Angra do Heroísmo e Ponta Delgada – aqui, por vezes, só com um atleta em ação. A grande maioria esteve mesmo em Lisboa e Braga, já que só dois estavam inscritos em Ponta Delgada, seis em Angra do Heroísmo e 23 em Ribeira Brava

Para a federação, foi a ‘opção possível’, em tempos de pandemia de covid-19, para evitar deslocações e mudanças consideráveis na rotina de atletas e outros intervenientes nos campeonatos. Uma inovação que, no entanto, não foi acompanhada por outros países, onde se manteve o figurino de dois dias e uma pista.

Sem Évora e Pichardo, que estavam inscritos para o Estádio Universitário de Lisboa, brilhou Tiago Pereira, atleta de 26 anos, que só há duas épocas se dedica mais empenhadamente ao triplo. Com a marca de hoje – uma progressão pessoal de 34 centímetros – sobe a quarto luso de sempre, atrás dos dois atletas de elite ainda no ativo e do já retirado Carlos Calado.

Além de Évora e Pichardo, a jornada também se ressentiu das ausências do lançador Francisco Belo e de Marta Pen, especialista de 1.500 metros, e da maioria dos melhores fundistas.

Destaque ainda, pela longevidade, para novo título de Vânia Silva (Sporting), de 40 anos – o primeiro que conseguiu foi em 2000 e desde então regista 19 conquistas.

Ainda pela longevidade, sobressai João Vieira, do Sporting, o campeão ‘crónico’ das provas de marcha. Com o triunfo de hoje, passa a ter 36 títulos, repartidos por pista e estrada e em distâncias que vão dos 3.000 metros até aos 50 quilómetros.

A competir sozinho na Madeira, Pedro Buaró, do Estreito ganhou o salto com vara, com 5,05 metros.

Também houve vitória ‘descentralizada’ nos 3.000 metros femininos, mas em Braga, com a jovem bracarense Mariana Machado a impor-se, como se esperava, à veterana Sara Moreira, do Sporting.

No triplo salto feminino as três melhores marcaram presença e ganhou Patrícia Mamona, do Sporting, com uma marca de boa valia: 14,26 metros. Atrás dela ficaram Evelise Veiga e Susana Costa.

Liliana Cá (N Luz) ganhou no disco, com 61,20, surpreendendo a campeã e favorita, Irina Rodrigues.

Pela sétima vez consecutiva, Anabela Neto (Sporting) foi a melhor no salto em altura feminino, enquanto que em masculinos triunfou o jovem Gerson Baldé, do Benfica.

Sem a presença de Francisco Belo no peso, o benfiquista Tsanko Arnaudov regressou aos triunfos, com ótimos 20,77 metros, enquanto no setor feminino se estreou como campeã Auriol Dongmo, do Sporting e uma das melhores do ano, a fazer 19,53 metros.

Pela qualidade da marca, merece ainda destaque a vitória de Cláudia Ferreira (Sporting), no dardo, já que os 53,27 metros a colocam como segunda portuguesa de sempre.

Anúncio

Futebol

“O espaço que o Benfica teve foi concedido por nós”

Ricardo Soares

em

Foto: Twitter

Declarações após o jogo Benfica-Moreirense (2-0), da segunda jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado hoje no Estádio da Luz, em Lisboa:

Ricardo Soares (treinador do Moreirense): “Sabemos que o Benfica este ano é uma equipa extremamente forte, sobretudo no ataque, com jogadores talentosos e rápidos, que provocam grandes desequilíbrios.

O Benfica entrou muito forte, mas estivemos bem defensivamente e o espaço que o Benfica teve foi concedido por nós. Depois, sofremos um golo de bola parada, numa situação que conhecíamos, mas ainda assim tivemos duas situações de golo. Foi manifestamente pouco para o que queríamos, mas houve muito mérito do Benfica, que ganhou com justiça e tivemos a humildade de perceber que era um jogo muito difícil para nós.

Realisticamente, sabemos que o Benfica é muito superior ao Moreirense. Se caíssemos na tentação de subir alguns metros, certamente o resultado seria outro.

Estou à espera de jogadores, pois inclusive não tínhamos os 20 necessários para hoje. A direção está a fazer o seu trabalho e sabe das nossas necessidades. Somos pacientes, mas sabemos que o futebol é feito de resultados. Estamos cá para trabalhar e atingir o objetivo final, que é a manutenção”.

Jorge Jesus (treinador do Benfica): “Esta exibição merecia que aqui estivessem 50 mil pessoas para presenciar esta qualidade de jogo, apesar de não ter sido traduzida em golos.

Acreditava que estaríamos melhor do que em Famalicão e estivemos, menos na concretização. Não demos chances ao Moreirense, que esteve bem organizado, fez o que pôde, mas apanhou um Benfica com uma grande intensidade e que já é muito difícil de parar.

Tenho quase a certeza que foi o último jogo que ele [Rúben Dias] fez. No futebol tudo muda no último segundo, mas aqui acho que não. Temos pena de o ver partir, um jogador formado no Seixal, mas também tenho culpa de ele sair, devido à eliminação da ‘Champions’. Há coisas que têm de se equilibrar e a direção entendeu, e bem, que isso tem de ser feito. Ele tem um grande valor de mercado, pois é um grande jogador.

Queríamos um central antes da saída do Rúben. Com a saída do Rúben temos de contratar dois centrais. No negócio do Ruben há o nome de outro central e a partir de hoje vou procurar saber mais pormenores.

Otamendi é um dos centrais que faz parte dos quadros do Manchester City, que já mostrou valor no FC Porto, é um jogador de seleção, que foi titular do Manchester City, e é claro que nos agrada. O jogador que chegar não será um jovem, terá de ser um jogador experiente, como o Otamendi ou o Ruben Semedo, que já trabalhou um ano comigo e sabe bem o que quero”.

Continuar a ler

Futebol

FC Porto goleia Boavista e apanha Benfica e Santa Clara no comando da I Liga

I Liga

em

Foto: DR

O FC Porto, campeão português de futebol, igualou hoje Benfica e Santa Clara na liderança da I Liga, ao vencer por 5-0 no estádio do Boavista, em jogo da segunda jornada, mantendo o percurso 100% vitorioso na prova.

Após um ‘nulo’ ao intervalo, a equipa treinada por Sérgio Conceição resolveu o dérbi portuense a seu favor durante a segunda parte, com golos do mexicano Corona, aos 47 minutos, Sérgio Oliveira, aos 59, do maliano Marega, aos 67 e 71, e do colombiano Luis Díaz, aos 90+2.

O FC Porto igualou no topo da classificação o rival lisboeta – que se tinha imposto horas antes na receção ao Moreirense, por 2-0 – e o Santa Clara, com seis pontos, enquanto o Boavista totaliza apenas um, tendo sofrido a primeira derrota no campeonato.

Continuar a ler

Desporto

GNR dá os parabéns a Fernando Pimenta pelas medalhas na Taça do Mundo

Canoagem

em

Foto: DR

O comando nacional da GNR, através das redes sociais, parabenizou o canoísta Fernando Pimenta, depois das duas medalhas alcançadas este sábado na Taça do Mundo de Velocidade, na Hungria.

Numa publicação divulgada no Facebook, a GNR coloca uma fotografia do campeão de Ponte de Lima, dando os parabéns pela “dupla conquista”.

Recentemente, o atleta que representa o SL Benfica deu os parabéns à GNR pela recuperação de um caiaque que lhe tinha sido roubado em março, em Vila do Conde.

Caiaque premiado roubado a Fernando Pimenta estava à venda no OLX

Desta feita, foi aquela força militar a ‘trocar’ credenciais com o limiano.

Este sábado, Pimenta venceu a medalha de outro na Taça do Mundo em K1 1.000 metros, ao derrotar o húngaro Balint Kopasz, que terminou em segundo.

Depois do ouro na Taça do Mundo, Fernando Pimenta vence prata nos 500 metros

Já na prova de K1 500 metros, foi a vez do húngaro triunfar, com o português a conquistar a medalha de prata.

Continuar a ler

Populares