Seguir o O MINHO

Desporto

Campeonato de Portugal. Resultados da 11.ª jornada e Classificação

em

Resultados e classificação da 11.ª jornada da Série A do Campeonato de Portugal


Juventude Pedras Salgadas – Vilaverdense, 0-1

AD Oliveirense – Limianos, 3-1

União Torcatense – Merelinense, 0-2

Montalegre – Ponte da Barca, 2-0

Bragança – Mirandela, 1-1

Classificação

1 MERELINENSE 29

2 OLIVEIRENSE 27

3 VILAVERDENSE 19

4 BRAGANÇA 19

5 UNIÃO TORCATENSE 14

6 MONTALEGRE 12

7 JUV. PEDRAS SALGADAS 11

8 MIRANDELA 10

9 LIMIANOS 7

10 PONTE DA BARCA 6

13.ª Jornada (04 dezembro)

Limianos – Vilaverdense

Merelinense – AD Oliveirense

Ponte da Barca – União Torcatense

Mirandela – Montalegre

Bragança – Juventude Pedras Salgadas

logo Facebook Fique a par das Notícias do Campeonato de Portugal. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Desporto

Alexey Lukyanuk vence rali Fafe Montelongo

Terceira prova do Campeonato da Europa

em

Foto: DR

O russo Alexey Lukyanuk (Citroën C3 R5) venceu hoje o rali Fafe Montelongo, terceira prova do campeonato da Europa, que se realizou este fim de semana.

O atual líder do campeonato chegou à derradeira especial com 3,8 segundos de vantagem sobre Yoann Bonato (Citroën C3 R5), segundo classificado, depois de um pião na antepenúltima classificativa da prova lhe ter custado meio minuto.

Apesar das condições meteorológicas adversas, conseguiu ganhar tempo à concorrência direta, vencendo a prova portuguesa com 4,6 segundos de avanço sobre Bonato e 4,7 sobre o espanhol Ivan Andres (Hyundai i20 R5).

Os rostos (e os pormenores) do Rali Fafe Montelongo

“Fiz um pião no troço anterior, não era bem o momento ideal para cometer um erro daqueles, mas isso deixou-nos ainda mais motivados. Fizemos um bom trabalho na última especial, apesar da chuva. Posso estar orgulhoso”, admitiu Lukyanuk, no final do rali.

Entre os portugueses, João Barros (Citroën C3 R5) foi o melhor classificado, no 13.º lugar da geral, enquanto Pedro Almeida (Peugeot 208 Rally4) foi o terceiro na classe ERC3 e 17.º da classificação geral.

Seguiram-se Aloísio Monteiro (Skoda Fabia R5) no 21.º lugar, José Paula (Peugeot 208 T16) em 25.º, Manuel Pereira (Peugeot 208 R2) em 28.º e Mário Castro (Ford Fiesta R2T) no 30.º lugar final.

Continuar a ler

Motores

Miguel Oliveira aponta ao ‘top-5’ nas próximas três corridas

Mundial de MotoGP

em

Foto: Facebook

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) espera terminar as próximas três corridas do Mundial de MotoGP entre os cinco primeiros classificados.

Em declarações à equipa Tech3, pela qual alinha na categoria rainha do campeonato do mundo de velocidade, o piloto de Almada mostrou-se “entusiasmado por correr em Le Mans”, palco do Grande Prémio de França, no próximo fim de semana.

“Claro que queremos dar a volta ao resultado de Barcelona [desistência por queda] e marcar pontos, que é o mais importante”, começou por explicar Oliveira, que se prepara para entrar num novo ciclo de três corridas consecutivas, duas delas em Aragão, onde está habituado a ter bons resultados.

Por isso, Miguel Oliveira frisa que o objetivo para estas três provas “é terminar todas e dentro dos cinco primeiros lugares”.

Para já, segue-se o GP de França, “que é a corrida caseira para a equipa” Tech3, pelo que se sente “ainda mais motivado para conseguir um bom resultado”, que acredita “poder alcançar”.

“Estou mesmo satisfeito por poder voltar ao trabalho”, concluiu.

Depois desta tripla jornada segue-se mais uma semana de pausa antes das três provas finais, duas em Valência e a derradeira no Algarve, em Portimão, a 25 de novembro.

Após oito corridas disputadas, Miguel Oliveira é o nono classificado do campeonato, com 59 pontos.

Continuar a ler

Futebol

Vitória SC poderá ser castigado em “milhares de euros” no ‘caso Marega’

Decisão será divulgada dentro “de duas semanas”

em

Foto: DR / Arquivo

O processo aberto pela Autoridade para a Prevenção e Combate à Violência no Desporto (APCVD) ao Vitória SC, após insultos racistas de adeptos a Moussa Marega (FC Porto), será decidido “em duas semanas”, explicou hoje o presidente.

Segundo Rodrigo Cavaleiro, o “processo contraordenacional”, relativo “às responsabilidades do promotor do espetáculo desportivo”, no caso o clube da casa, devido a “questões relacionadas com deveres e obrigações do clube” terá uma decisão final divulgada “em cerca de duas semanas”.

“Estamos a falar da possibilidade de jogos à porta fechada, também consoante as diversas infrações. [Este processo] não versa apenas o ‘caso Marega’, versa outras infrações que tiveram lugar naquele jogo. Há um cúmulo jurídico. E falamos de algo na ordem dos milhares de euros” em sanções, frisou Rodrigo Cavaleiro, em entrevista à Lusa, quando questionado sobre o quadro punitivo que enfrentam os vimaranenses.

Depois de o processo ter arrancado em março, sucedeu-se uma “interrupção legal de prazos” decorrente da declaração do estado de emergência no país, devido à pandemia de covid-19, com o prazo para apresentação de defesa por parte do Vitória a ser retomado até julho.

“Depois tivemos de fazer diligências de inquirição de testemunhas, e outras instrutórias solicitadas pela defesa, e estamos em fase de conclusão do processo, estando para breve a redação da decisão final”, apontou.

Ao lado do processo da APCVD, sobre os insultos racistas ao maliano Marega decorrem outros três processos, um judicial, movido pelo Ministério Público (MP), que constituiu três arguidos e prossegue no Tribunal de Guimarães, e outro por parte da Liga.

Em 25 de setembro, um juiz de instrução criminal no Tribunal de Guimarães começou a ouvir os três adeptos do Vitória constituídos arguidos por cânticos e insultos racistas, explicou à Lusa fonte judicial.

Os arguidos estão indiciados pelo crime de discriminação e incitamento ao ódio e à violência, punido com pena de prisão de seis meses a cinco anos.

Neste momento, estão com termo de identidade e residência, uma medida de coação que pode ser agravada pelo juiz de instrução criminal, designadamente com a proibição de frequência de recintos desportivos.

O caso remonta a 16 de fevereiro último, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, durante o jogo de futebol entre o Vitória SC e o FC do Porto, a contar para a 21.ª jornada da I Liga de futebol.

Por volta do minuto 70, pouco depois de ter marcado um golo, Marega pediu para ser substituído e acabou mesmo por abandonar o relvado, agastado com cânticos de natureza racista que lhe estavam a ser dirigidos por adeptos do Vitória, com sons a imitar macacos.

Continuar a ler

Populares