Seguir o O MINHO

Vila Verde

Caminhada solidária ‘Juntos pela Dora’ entre Prado e Braga, esta noite

Saída às 20:00 da igreja nova de Prado

em

Foto: Facebook da organização

Uma caminhada solidária está marcada para hoje entre a igreja nova de Prado e a capela de S. Bento em Braga. Com saída às 20:00, a iniciativa, de cariz solidário e religioso, pretende criar uma corrente de fé pela pradense Dora Fernandes, que luta contra uma doença.


A família agradece de coração todos os esforços que venham a ser feitos. “Hoje por ela… Amanha por nós. Um obrigado contamos convosco”, refere a organização.

Será entregue uma camisola e uma vela a cada pessoa, oferecidas pela família mas “se alguém quiser doar alguma coisa será entregue por escolha da Dora à instituição ‘O Joãozinho’”, acrescentam, pedindo que os participantes levem um colete refletor, roupa confortável e quente.

Quem tiver dificuldade no transporte da vinda (Braga/Prado) a família disponibilizou-se para o fazer e estarão disponíveis três autocarros.

Anúncio

Braga

Enfermeiras do Hospital da Misericórdia de Vila Verde em greve às cirurgias

Sindicato denuncia que horas extra são mal pagas

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

As 14 enfermeiras do Serviço de Cirurgia do Hospital da Santa Casa da Misericórdia de Vila Verde estão em greve, desde o dia 01 de agosto, ao trabalho extraordinário, e vão continuar até que o organismo lhe pague as verbas a que dizem ter direito.

A presidente do SITEU- Sindicato Independente de todos os Enfermeiros Unidos, Goreti Pimentel, adiantou que as profissionais reclamam 4,5 por cento da verba que a Misericórdia retém pelas cirurgias pagas pelo Hospital de Braga, realizadas fora do serviço normal: “Recebem, mensalmente, e no máximo, até 170 euros por várias horas extras diárias a fazer cirurgias com os médicos. A greve só acaba quando pagarem o que lhes é devido”.

A sindicalista acentua, a propósito, que as enfermeiras continuam a intervir nas restantes cirurgias feitas no Hospital, dentro do seu horário normal de sete horas por dia.

A dirigente sindical explicou que a Misericórdia contratualizou com o Hospital de Braga a feitura de operações cirúrgicas, entre as quais as hérnias, pelas quais paga uma determinada quantia: “A Misericórdia retira 60 por cento para os seus custos e os restantes 40 ficam para pagar o trabalho de médicos, enfermeiros e auxiliares”.

Só que – salienta – aos enfermeiros chega apenas uma quantia ridícula, apesar de trabalharem mais sete horas, fazendo dois turnos: “há quem saia do Serviço à meia-noite para receber 170 euros, ou menos, ao fim do mês”.

O SITEU sublinha que a situação se arrasta há vários anos e acusa o Provedor, Bento Morais, de não querer negociar. “Nenhuma instituição de misericórdia pode viver à custa do trabalho dos seus profissionais”, salienta.

O organismo sindical garante que a greve continuará, mesmo após o fecho do serviço por uma semana previsto para o corrente mês, e diz que só pára quando a Misericórdia se sentar para negociar: “As enfermeiras ganham muito mal, apenas 968 euros brutos, enquanto que, por exemplo, o ordenado das que trabalham no Hospital de Braga é de 1.205 euros”.

Continuar a ler

Braga

Volta a arder em Vila Verde. Dois meios aéreos no combate às chamas

Incêndio

em

Foto: Irene Pinheiro no grupo de Facebook "Aboim da Nóbrega"

Um incêndio deflagrou, na manhã desta quarta-feira, em Aboim da Nóbrega, no concelho de Vila Verde.

Dois meios aéreos estão a apoiar o combate às chamas.

No local estão empenhados 59 operacionais e dez viaturas.

O alerta foi dado às 11:29.

Vila Verde tem sido, neste últimos dias, fustigada por incêndios florestais.

O incêndio foi extinto ao início da tarde.

Notícia atualizada às 16h37.

Continuar a ler

Braga

Três jovens detidos por furto de carro em Vila Verde

Crime

em

Foto: GNR / Arquivo

Três jovens, entre os 19 e os 21 anos, foram detidos por furto de veículo, na sexta-feira, em Vila Verde, anunciou a GNR.

A detenção foi levada a cabo pelo Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Braga, após alerta de que uma viatura tinha sido furtada.

“Os militares desenvolveram diligências que permitiram intercetá-la e deter o condutor e outros dois homens que seguiam numa viatura de apoio”, refere a GNR em comunicado.

A viatura foi recuperada e entregue ao proprietário.

A GNR apreendeu três telemóveis, duas armas brancas, um gás pimenta, um objeto metálico usado para partir vidros e 230 euros em numerário.

Os detidos, com antecedentes criminais por furto, tráfico de estupefacientes e condução ilegal, foram presentes no Tribunal Judicial de Viera do Minho.

Continuar a ler

Populares