Seguir o O MINHO

Alto Minho

Caminha avança com terceira fase da ecovia do rio Minho

Troço custa 271 mil euros

em

Foto: Divulgação / CM Caminha

O concelho de Caminha iniciou a terceira fase da ecovia do rio Minho, num valor superior a 271 mil euros, sendo que no total o percurso até agora construído representa um investimento próximo dos 800 mil euros.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Câmara, Miguel Alves, explicou que “os dois troços de ecovia já construídos, numa extensão de quatro quilómetros, representam num investimento global de mais de 500 mil euros”.

Um dos percursos liga a freguesia de Seixas a Lanhelas, sendo que outro, que começa nesta freguesia, estende-se para norte até ao limite com o concelho de Vila Nova de Cerveira.

A empreitada do terceiro troço, que agora se iniciou, parte de Seixas e vai estender-se até à praia fluvial de Pedras Ruivas, num trajeto de cerca de 1,1 quilómetros, num investimento de 271.241,28 euros.

A obra deverá estar terminada dentro de cinco meses.

“A ecovia do rio Minho no concelho de Caminha ficará com um hiato 1,7 quilómetros em Lanhelas, junto à Quinta da Torre – propriedade privada com a qual ainda não foi possível chegar a um entendimento quanto à passagem do troço junto ao rio – e com a continuação desde o sul da freguesia de Seixas até Caminha, numa distância de quase dois quilómetros que passará pelo sapal do rio Coura e terá que atravessar a ponte para a vila, sede do concelho”, especificou.

Foto: Divulgação / CM Caminha

Para Miguel Alves, a construção da ecovia do rio Minho “é uma peça da estratégia de atratividade do concelho, assente na criação de novas zonas pedonais e na valorização de trilhos da natureza”.

“Isso justifica que estejamos a fazer agora o terceiro troço junto do rio Minho, que tenhamos feito já trajetos tão emblemáticos como aquele que une Moledo a Vila Praia de Âncora ou atravessamentos tão simbólicos como aquele que o Passeio Dr. Francisco Sampaio permite para a freguesia de Âncora”, especificou.

O autarca avançou que “nos próximos dias arrancará o troço que falta da ecovia que liga o Camarido a Moledo e, nos próximos anos, a intenção é não só unir Seixas a Caminha, fechando um trilho emblemático junto ao rio Minho, como avançar para uma ecovia que percorra a margem esquerda do rio Coura desde Caminha a Vilar de Mouros”.

“O projeto está praticamente finalizado, do que se trata agora é de arranjar fontes de financiamento”, adiantou.

O primeiro troço da ecopista do rio Minho foi inaugurado em 2004 e liga Monção a Valença. Em 2009, o primeiro corredor ecológico a aproveitar uma linha ferroviária desativada em Portugal foi classificado como o quarto melhor da Europa.

Já em 2017, o percurso total, com cerca de 46 quilómetros, entre Monção e a freguesia de Seixas, no concelho de Caminha, recebeu o título de terceira melhor Via Verde da Europa.

A criação daquele corredor é financiada pelo programa Norte 2020.

Populares